• Postado por Tiago

Praia é a favorita da galera jovem, que vem de todos os cantos do país

Cabeçudas e praia Brava estão quase lado a lado, mas suas características são totalmente distintas. Enquanto a primeira tem águas calmas e visual urbano, com direito a vários casarões, a outra é de mar agitado, boas ondas e de natureza preservada ? pelo menos boa parte dela, já que a construção civil começa a tomar conta do local.

E é justamente este segundo balneário que é o point da galera jovem e bonita, que adora uma badalação. A paulista Lucinéia Boso, de Marília, é uma dessas turistas que curte a Brava de dia e de noite. Ela está de férias no apartamento de sua mãe, em Balneário Camboriú, e pretende ficar pela área até o fim do Carnaval. Sobre a preferência pela praia, Lucinéia tem na ponta da língua os seus motivos. ?Aqui o mar é limpo, dá pra você nadar. O povo também é mais selecionado, temos atendimento diferenciado e conforto pra curtir o dia todo?, conta a paulista.

Ela estava na estrutura do Galera?s Bar, um dos dois estabelecimentos que oferecem cadeiras e guarda-sóis pra quem chega na Brava por Cabeçudas. O outro é o Kiwi Bar, que também é ponto de encontro das gostosonas e dos saradões. ?É a praia mais bonita, com as mulheres mais lindas?, lasca o engenheiro Marcelo Almeida, do Rio de Janeiro, que veio a trabalho pra Itajaí, mas achou um tempinho pra curtir a Brava com mais dois colegas de trampo.

Separada da praia Brava por um morro, a pequena praia do Morcego também faz parte do cenário e tem praticamente as mesmas características naturais da vizinha. O diferencial é que suas águas concentram uma grande quantidade de iodo, o que favorece a cura de distúrbios respiratórios e digestivos.

Recanto dos brous e naturistas

Mas a Brava não é só badalação. Tem muita gente que vai lá pra curtir a natureza e as ondas, que já foram palco de vários campeonatos importantes de surfe e moribug, como os mundiais de bodyboarding e de surfe WQS (divisão de acesso à elite mundial) ? que neste ano voltam a rolar nas ondas da praia peixeira. A Brava ainda é a favorita dos amantes do voo livre, que estão sempre sobrevoando a região.

As causas ambientais também são de grande importância pra alguns moradores e frequentadores do local. Uma prova disto é a associação União dos Amigos da Brava (Unibrava), que tá sempre de olho e denunciando qualquer tipo de crime contra a natureza.

Música eletrônica

Este paraíso natural barriga-verde também tem agito à noite e é considerado um templo da música eletrônica no Brasil. Abriga o renomado Warung Beach Club, referência mundial quando o assunto é balada com os famosos djs. E por falar neles, alguns do melhores do planeta já passaram pela casa peixeira. ?Fui numa festa no Warung esse ano e tava muito boa. Todos meus amigos em São Paulo conhecem ou falam bastante daqui. A praia Brava tem de tudo?, garante Lucinéia.

A turista paulista não quer saber de outra praia pra passar as férias

Regueiros também tão na área

Além das baladas eletrônicas, a praia Brava tem espaço pra outros sons, como o reggae. Tanto é que até domingo (7) rola o baita festival Internacional de Verão ? Reggae 4 Life. São 12 atrações nacionais e internacionais e ainda um concurso que vai dar a oportunidade de bandas desconhecidas se apresentarem ao lado de feras do reggae mundial.

O principal ?amigo do Bob Marley? na área é Neil Fraser, da Guiana, que ganhou o nome de Mad Professor ainda na infância, por causa de sua fascinação pela eletrônica. Produtor e engenheiro de som, ele é conhecido por suas produções e também pelos seus trabalhos com artistas mundialmente famosos, como Massive Attack, Pato Bantu, Lee Perry, Beastie Boys, Rancid, Jamiroquai, entre outros. Mad Professor se apresenta nesta sexta (5) e sábado (6), sempre às 21h30.

Além de muita música, o festival terá ainda outras atrações, como esportes radicais, fotografia, artesanato, meditação e aulas de ioga. O Reggae 4 Life rola na avenida José Medeiros Vieira, pertinho do Brava Beach, e contará com um espaço especial pra galera apresentar experiências ecológicas, como reciclagem de lixo, economia de água e redução de emissão de gases poluentes. O festival tem entrada digrátris e todo mundo poderá ver os shows numa boa, se a nuvem de fumaça da erva do Bob não estiver muito grande.

Como chegar

mapa-como-chegar

Pra ir até Cabeçudas, quem tá no centro de Itajaí, na igreja Matriz, deve pegar a Marcos Konder, direção Centro-Fazenda, fazer a rotatória nas proximidades da floricultura Meyer e entrar à esquerda. Passar o semáforo, entrar à direita na rua Camboriú e seguir toda vida reto, até o semáforo da praça Genésio Miranda Lins. Segue em frente, passa na Alameda Ernesto Scheineider, que depois da ponte muda de nome e vira Dep. Francisco Evaristo Canziani, uma estrada cheia de curvas. Siga pela via, passando as praias da Atalaia, de Geremias e também o Bico do Papagaio, que você chegará lá.

Estando em Cabeçudas, se você quiser esticar até o canto norte da praia Brava, onde ficam os bares chiquetosos e também a praia do Morcego, é só ir até o fim da Francisco Evaristo Canziani, pegar a rua Floriano Peixoto, que é obrigatória, e seguir até o fim dela também. Cambe à direita na Benjamin Constant e depois a segunda à esquerda na rua José Menescau do Monte. Suba e desça o morro, que você vai sair na Brava.

Pra quem vem da BR-101, direção Norte-Sul, vindo de Curitiba ou Sampa, entre no terceiro trevo de Itajaí, que vai dar no centro, passando pela avenida Contorno Sul (Abraão João Francisco). Chegando na universidade do Vale do Itajaí (Univali), vá toda vida reto, passando por três semáforos e uma rotatória, até cair na avenida Sete de Setembro. Na altura do cemitério da Fazenda pegue a pista da esquerda e entre na rua Onze de Junho, que tem mão inglesa. Siga até o próximo semáforo e dobre à direita na Dep. Francisco Evaristo Canziani, que vai dar em Cabeçudas e, consequentemente, na Brava.

Pra ir pro outro lado da praia Brava, siga reto pela Sete de Setembro, passando o cemitério da Fazenda, até chegar na rodovia Osvaldo Reis. Vá toda vida reto pela rodovia, até chegar na divisa de Itajaí com Balneário Camboriú. Faça o primeiro retorno à esquerda e pouco depois entre à direita na avenida Carlos Drumond de Andrade, que tem o motel Vis à Vis na esquina. Vá até o fim dela e cambe à esquerda na avenida José Medeiros Veira, que você estará na praia Brava.

  •  

Deixe uma Resposta