• Postado por Tiago

INTERNA_13_abre-direita--aterro-ribeirão-ariribá_foto-luz-clarita-(4)

Ninguém assume a responsabilidade pelo aterro do ribeirão

Um aterro nas margens do ribeirão Ariribá, pelos lados de Balneário Camboriú tá deixando o professor Roberto Murilo, 53 anos, de cabelo em pé. Faz duas semanas que o morador da praia dos Amores percebe a movimentação de caminhões pela avenida Carlos Drumond de Andrade. Os brutus jogam a terra que sobra da obra da avenida num terreno às margens do ribeirão, próximo ao motel Vis a Vis. O aterro acabou com a mata ciliar do local.

O professor conta que há três anos viu uma tartaruga no ribeirão, bem na altura onde atualmente a margem do lado de Balneário Camboriú foi aterrada. Ele tem medo que o descaso acabe com a fauna da região, que já tá bem prejudicada com as construções irregulares em áreas de preservação permanente.

O leitor tá encucado. Diz que viu caminhões da empreiteira EIT e da prefa de Balneário fazendo o aterro.

Empreiteira diz que não é com ela

O engenheiro Gonzalo, da EIT, nega que o aterro do ribeirão esteja sendo feito pela empreiteira. ?Nós não estamos mexendo no ribeirão. Se existe alguma obra por lá, é por conta da prefeitura?, afirma.

Não pode aterrar, afirma secretário

Walmir Pereira, secretário de obras de Balneário Camboriú, disse que não tava sabendo do caso. Prometeu que vai até o local dar uma bizolhadinha na situação.

O bagrão não acredita que seja um aterro, já que a obstrução do ribeirão não é permitida. ?Está sendo feita a obra de tubulação nas travessias. Talvez tenha ligação com isso, mas vou até lá pra verificar?, garante.

Na secretaria de Meio Ambiente, um homem que se identificou apenas como Arnaldo, disse desconhecer o fato e que iria ao local averiguar a denúncia.

  •  

Deixe uma Resposta