• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-PÁGINA-SETE---DIVULGAÇÃO-2009-08-05-presidio(16)[1]

Obras da penitenciária andam a passos de tartaruga

O juiz corregedor Carlos Roberto da Silva acredita que o cadeião peixeiro tá pronto pra explodir numa nova rebelião. A preocupação foi apresentada aos secretários de Segurança, Ronaldo Benedet, e ao da Justiça e Cidadania, Justino de Almeida Pedroso. O cadeião tem 661 presos, número bem próximo dos 668 que se rebelaram em fevereiro, destruindo grades e paredes de 11 celas e o presídio teve que ser interditado.

A preocupação do corregedor aumentou depois que o próprio administrador do presídio, Maurílio Antônio da Silva, o procurou para pedir ajuda para tentar reduzir a população carcerária. O corregedor encaminhou um ofício aos secretários, em que pede providências imediatas pra evitar uma nova rebelião.

No documento, o juiz diz que é lamentável a situação verificada, que bem demonstra o quadro caótico pelo qual atravessa o sistema carcerário e de segurança pública em Santa Catarina.

O juiz afirmou que apesar das reformas que foram feitas na estrutura do presídio depois da rebelião de fevereiro, o problema não está solucionado e são necessárias outras medidas de emergência. ?Há necessidade de transferência de presos para outros estabelecimentos prisionais, até porque as obras da nova Penitenciária do Vale do Itajaí encontram-se estagnadas, o que demonstra que a situação precária persistirá por tempo indeterminado?, destacou.

Otoridades vão dar bizú

Apontada como solução para o sistema prisional de Itajaí, Balneário Camboriú e Camboriú, as obras da Penitenciária do Vale do Itajaí esbarram na burocracia. Ontem a comissão responsável por monitorar o andamento da construção, encontrou o canteiro de obras fechados, com um cadeado na porta e ninguém trabalhado.

A direção da construtora Espaço Aberto, que venceu a licitação pra realizar a obra, informou à comissão que interrompeu as obras devido à demora na liberação dos recursos previstos num aditivo do contrato. A comissão se reúne dia 16 na Câmara de Vereadores de Camboriú. Ela espera contar com a participação do secretário de Segurança Pública, dos engenheiros e proprietários da empresa Espaço Aberto e do superintendente da Caixa Econômica Federal, pra tentar estabelecer um cronograma de obras, com prazo definido para a conclusão da penitenciária.

  •  

Deixe uma Resposta