• Postado por Tiago

A leitora Estalina Waltrick, 56 anos, diz estar chateada com o prefeito dengo-dengo Roberto Carlos de Souza (PSDB). É que Bob Carlos prometeu melhorar os acessos à praia para os deficientes físicos e, quase um ano depois de assumir a prefa, nada fez.

Dona Estalina tem um neto de 10 anos que usa cadeira de rodas. “É muito pesado carregar a cadeira pela passarela com aquele areia toda”, reclama a vovó coruja. A leitora diz que na rua onde mora, a Engenheiro Victor Hugo, tem três crianças que andam de cadeira de rodas.

Nenhum dos poucos acessos à praia possuem condições para quem tem dificuldade de locomoção. “Às vezes a gente precisa caminhar até chegar perto de um posto de salva-vidas, pra aí o guarda nos ajuda a carregar a cadeira pra praia, porque é muito difícil”, lasca a denunciante.

Estalina lembra que uma das promessas do prefeito Bob Carlos era melhorar as passagens entre o calçadão e a praia. Ela já teria conversado com o secretário de Obras, que alegou falta de grana para arrumar os acessos. “Mas eles nem precisam arrumar todas as passagens, a gente pede pelo menos pra que uma em cada bairro seja feita”, diz dona Estalina. “Se as pessoas que andam normalmente podem ir à praia, o meu pequeno que quer brincar na areia também”, conclui a vozona.

Direitos iguais

José Augusto Meier Gochinski, presidente da associação dos Deficientes Físicos da Foz do Itajaí (Adefi), diz desconhecer reclamações sobre os acessos para cadeirantes na praia de Navega. “Em Itajaí e Balneário existem os acessos. Mas, pra verificarmos junto à prefeitura de Navegantes, como somos uma ONG, é necessário que um associado faça a reclamação”, alega.

O chefão da Adefi lembra que a Constituição garante a todos os brasileiros o direito de ir e vir, incluindo os cadeirantes.

Tem projeto, mas só pro ano que vem

O secretário Valmir Cesar Francisco, o Chero, afirmou que a prefa já tem um projeto pra melhorar os acessos para os deficicientes físicos às praias. Mas admite que o projeto ainda não saiu do papel e nem tem previsão para sair. “Falta a questão da Fatma aprovar. Eu creio que para este ano não será possível, mas esperamos começar as obras no ano que vem”, prometeu o abobrão.

Chero ainda lembrou que na praia do Gravatá, no calçadão que está sendo construído, os acessos para deficientes já estão sendo montados. A cada 200 metros terá uma saída com rampa para os cadeirantes. O calçadão também só tem previsão para ficar pronto no ano que vem.

  •  

Deixe uma Resposta