• Postado por Tiago

INTERNA_13_abre-direita_calçadas-detonadas_leitor INTERNA_13_abre-direita_calçadas-detonadas_leitor-(1) INTERNA_13_abre-direita_calçadas-detonadas_leitor-(2)

Calçadas destruídas ou interrompidas. Falta de passeio público. Piso escorregadio. Barro no lugar onde deveria ter, pelo menos, cimento. Essas são algumas situações que o leitor Luis César da Silva vem observando nas calçadas de Itajaí. Luiz César afirma estar preocupado com a situação, que coloca em risco o povão que anda diapé.

A preocupação do leitor começou quando pedalava pela rua Heitor Liberato, no centro. ?Um dia vi uma senhora com um carrinho de bebê no meio da ciclovia, justamente no pior horário?, contou. Ele, no começo, pensou que a mulher fosse irresponsável. Mas logo percebeu que a coitada não tinha alternativa. As calçadas da Heitor Liberato, assim como da maioria das ruas da cidade, não têm condições de ser usadas normalmente.

Para Luis César, o negócio tá bagunçada porque cada dono de imóvel construiu a calçada do jeito que queria. ?Não existe um nivelamento padrão. Em determinados pontos, o desnível pode chegar a 30 centímetros?, detectou.

Ele comparou Itajaí a uma cidade de 60 mil habitantes chamada Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso. ?Tudo está sendo padronizado lá?, ressaltou.

Luis César acha estranho que a cidade peixeira tenha uma regra em que os novos loteamentos são obrigados a fazer calçada com uma estrutura padronizada. Mas isso, lamenta ele, não vale pros bairros mais antigos da cidade. ?A prefeitura decretou que as pessoas padronizassem suas calçadas e pra quem não tivesse grana, a secretaria de Obras fazia e depois o valor era cobrado no IPTU?, explica. ?Será que Itajaí pode melhorar e irá melhorar suas calçadas??, questiona.

Tão padronizando

Tarcísio Zanelatto, secretário de Obras de Itajaí, explicou que na cidade não existe um padrão de calçada, mas sim algumas regras básicas que garantam o livre acesso dos pedestres, pisos antiderrapantes e passagem de um passeio para outro sem desníveis.

Paulo Praun, chefão-mor da secretaria de Urbanismo, acrescentou ainda que quem for fazer pela primeira vez o passeio público tem desconto no IPTU como forma de incentivo. E isso vale pra toda a cidade.

Quem quiser reformar a calçada, conta com a orientação de uma cartilha informativa descrevendo as exigências da lei. ?O contribuinte pode vir na secretaria que nós passamos todas as informações. Inclusive um fiscal também pode ir ao local e orientar?, esclareceu Praun.

O secretário de Urbanismo disse ainda que a intenção da prefeitura é padronizar todas as calçadas da cidade.

  •  

Deixe uma Resposta