• Postado por Tiago

O mandachuva dos garis reconheceu que a misturança dos lixos acontece também na coleta feita com o caminhão, em todos os bairros da cidade. Ele diz que o fato do caminhão do lixo orgânico passar três vezes por semana e o do lixo reciclável passar só uma é que causa a confusão. “Se tiver lixo seletivo no dia da coleta do orgânico, os funcionários realmente recolhem e aí não tem como fazer a triagem”, admite.

Ganhando bem

Pelo contrato que tem com a prefa, a Engepasa recebe mensalmente dos cofres públicos a bagatela de R$1,1 milhões. Pra ganhar essa dinheirama, a empresa é responsável por varrer, capinar e roçar as ruas e ainda fazer a coleta do lixo orgânico e reciclável, separando os dois e levando cada um pro seu lugar certinho: a cooperativa de reciclagem e o aterro sanitário. O contrato teve início em 2002 e só termina em 2017.

  •  

Deixe uma Resposta