• 07 jul 2009
  • Postado por Tiago

 

Não está legal

Falta espontaneidade nas entrevistas ao vivo do “Fantástico”. Perguntaram pra Mariana Ximenes (foto) qual a sua música favorita do Roberto Carlos. Ela respondeu “Detalhes”, como se Patrícia Poeta e Zeca Camargo não soubessem. Soa falsidade.

Oficina da Globo

Voltada para funcionários da Globo, a oficina de seriados foi ampliada até quinta-feira. No encerramento, os participantes vão apresentar a versão final das propostas de seriado. São 21 profissionais, mas apenas dois ou três projetos serão selecionados para realização do piloto.

Record: em busca de identidade

A Record precisa rever alguns dos seus conceitos. Copiar a Globo, simplesmente, já ficou provado que não dá certo. O resultado é nenhum. O reality “A Fazenda” só melhorou alguma coisa e teve a sua audiência fortalecida, quando a ficha caiu e alguém percebeu que o programa não tem nada de “Big Brother”. E o Britto Junior, nem no aro dos óculos, é parecido com o Pedro Bial.

Viver na cola da primeira colocada só evidencia falha e fraqueza. Domingo foi a vez do “Esporte Fantástico”. Não foi uma estreia legal. Boa a matéria do Kaká, feita pelo Reinaldo Gottino, mas nem tanto a da Mylena Ciribelli, no Canadá. A falha no cálculo do tempo de produção impediu que o final do handebol, Portugal e Brasil, tivesse transmissão ao vivo. Nada mais frustrante para quem acompanhava a partida.

Por último, completando, não era necessário cortar a despedida da Eliana, que ela gravou e poderia perfeitamente ir ao ar. Ficaria simpático e demonstraria grandeza, como aliás aconteceu quando Marcio Garcia decidiu voltar pra Globo. Ninguém entendeu porque com a Eliana foi diferente.

Brito Jr. no paredão

A Record ainda não sabe o que fará na próxima “Fazenda”. É certo que o programa terá outro apresentador. O pretendido, dizem, ainda tá na Globo.

De surpresa

Nos seus próximos capítulos, “Paraíso”, a global das seis, receberá novas participações musicais. Como a novela de Benedito Ruy Barbosa foi esticada até setembro, outras ideias, além da presença de duplas sertanejas, estão sendo estudadas para rechear a história. Esta espichada pegou o autor e sua filha, Edmara Barbosa, de surpresa.

Homem não entra

A Record cancelou a presença masculina no jornal das manhãs “Fala Brasil”, depois do afastamento de Marcos Hummel. Na bancada, Carla Cecato e Roberta Piza. Como se não bastasse, ontem estreou na apresentação do quadro de esportes a jornalista Thalita Oliveira.

No lugar de Renata

Para o espaço de Renata Sorrah, que deixou o elenco de “Cinquentinha” devido a um compromisso no cinema, o autor Aguinaldo Silva e o diretor Wolf Maya estudam a possibilidade de contar com um nome que já está no projeto. A mais cotada é Marília Pêra, que de participação especial, poderá participar de todos os episódios da série.

Gato no telhado

Ontem, pelos corredores da Record, já circulava a notícia que o próximo “Esporte Fantástico” poderá ter um novo horário. Só que bater de frente com o “Esporte Espetacular” não será bom negócio.

Limite

A estreia de “Viver a Vida”, novela de Manoel Carlos, acontecerá em 21 de setembro. A ordem é não passar disso, até para liberar Glória Perez, autora de “Caminho das Índias”.

Homenagem ao Rei

Na próxima sexta-feira, o “Globo Repórter” será inteiramente dedicado a Roberto Carlos, como parte das homenagens da Globo aos 50 anos de carreira. Quem acompanhou a edição garante que a emissora se superou, e que o material pode virar um documentário.

Homenagem duvidosa

Para as eleições de 2010, o cantor dasantigas e vereador Agnaldo Timóteo vai tentar uma vaguinha de deputado federal, diz ele, pra resgatar os projetos de lei do amigo Clodovil Hernandez, morto em 17 de março, depois de sofrer um derrame. “Não é justo que os sonhos de Clodovil morram com ele. Quero dar continuidade”, jura Agnaldo.

Entre os projetos que Clô apresentou, há uma PEC que reduz de 513 pra 250 o número de deputados federais. “Já pedi os relatórios dos projetos dele. Um deles é a obrigatoriedade do SUS em realizar gratuitamente o exame de próstata para homens com mais de 40 anos”, conta.

A amizade entre Agnaldo e Clodovil durou 40 anos. “Como todo ser humano, Clodovil tinha milhões de defeitos e qualidades. Mas ele sempre foi muito elegante, audacioso, inteligente e digno. Ele é um dos meus grandes ídolos; já fui até macaco de auditório. Vou fazer com que, depois de morto, ele não caia no esquecimento”, conclui.

Clodovil se candidatou a deputado federal em 2006, pelo PTC (Partido Trabalhista Cristão). Clô recebeu 493.951 votos e foi o terceiro deputado mais votado de Sampa. Depois de se eleger, Clodovil trocou o PTC pelo PR, alegando ter sido abandonado pelo partido. Acusado de infidelidade partidária, foi absolvido pelo TSE em 12 de março.

Em maio de 2007, o deputado bateu boca com a deputada Cida Diogo (PT), dizendo que “as mulheres ficaram muito ordinárias, vulgares, cheias de silicone e que trabalham deitadas e descansam em pé”. Após ser questionado, Clodovil disparou: “Digamos que uma moça bonita se ofendesse, não é o seu caso. A senhora é uma mulher feia”. A muié foi às lágrimas.

  •  

Deixe uma Resposta