• Postado por Tiago

O Procon das Minas Gerais abriu processo ontem contra a Fiat Automóveis e a concessionária Sinal pela venda de um carro avariado pela chuva de granizo em setembro passado como se fosse zero. Por enquanto, a medida é apenas uma decisão cautelar, para evitar que novos casos ocorram enquanto o processo não é concluído, mas já suspende a comercialização e revenda, em todo o país, de qualquer veículo zero quilômetro que tenha sido fabricado em Betim no ano de 2008 pela rede de revendas Fiat. 

O comprador Sulavan Fornazier de Santana, funcionário público, não viu o carro durante a o feirão, ocasião em que efetuou o pagamento de R$ 34,5 mil como entrada. Dias depois, foi à concessionária para concluir o negócio e só mais tarde reparou nos pequenos amassados no teto do automóvel, um Doblò Adventure. No dia seguinte, levou o carro a uma oficina, que confirmou os reparos de qualidade duvidosa.

Depois de tentar resolver o caso diretamente com a revenda, o funcionário público recorreu à Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Câmara de Vereadores de Belo Horizonte. Ele conta que, depois da notificação de uma audiência pública sobre o caso, recebeu um telefonema da direção da concessionária, na tentativa de um acordo. Na audiência pública, ficou combinado que a concessionária trocaria o veículo avariado por outro igual. Na última sexta-feira, Santana recebeu o veículo, mas garante que não abre mão de uma indenização por danos morais.

Como o pátio da Fiat foi atingido por uma forte chuva de granizo no dia 18 de setembro, o processo considera a possibilidade de não apenas o carro de Sulavan mas outros veículos também terem sido afetados pelo mesmo problema. O Procon mineiro pretende reunir mais casos ao processo e está convocando quem passou por uma situação semelhante a entrar em contato pelo email proconcr@mp.mg.gov.br.

A suspeita é que o número de veículos avariados variam entre três mil e 10 mil. Os infratores têm prazo de 10 dias para se pronunciar sobre o processo. A decisão será mantida até que a Fiat comprove o número e descrição exatos dos veículos sinistrados pela chuva de granizo e dos danos causados, além dos serviços realizados nos produtos antes de serem vendidos. A assessoria de comunicação da Fiat informou que a fábrica ainda não recebeu a notificação, mas assegurou que os veículos atingidos pela chuva de granizo foram vendidos para funcionários ou então emplacados e comercializados como usados sem qualquer reparação nos estragos.

  •  

Deixe uma Resposta