• Postado por Tiago

Moça já tinha dado queixa do rapaz, que não aceitava o fim do namoro e tava perseguindo a coitada

História de amor do casal tinha terminado há mais ou menos dois meses

A tarde de ontem, em Itapema, foi manchada por uma tragédia. Um jovem de 25 anos atirou contra a ex-namorada e depois se matou, com um balaço no coração. Barbara passou por uma delicada cirurgia e continua internada, mas não corre risco de morrer.

O crime rolou na imobiliária onde a moça trampava, na Meia Praia. Há um mês, ela tinha registrado um boletim de ocorrência contra o rapaz, que andava perseguindo a pobre porque não aceitava o fim do namoro.

A história de amor entre Bruno Alfredo Marcondes, 25, e Bárbara Stéfanie Peruzzo, 19, já tinha terminado há dois meses. Inconformado com a separação, Bruno começou a seguir todos os passos de Bárbara, na esperança de que a insistência fizesse a mocinha mudar de ideia.

A guria trampava como secretária na imobiliária Objetiva, que fica na avenida Nereu Ramos, na Meia Praia, e à noite fazia faculdade na Univali, em Balneário Camboriú. Nos últimos tempos, Bruno costumava pintar de surpresa no trabalho da moça e na facul, pra tentar reatar o namoro.

Com medo de perder o emprego por conta do ex, no início de julho Bárbara registrou um boletim de ocorrência contra o rapaz, por perturbação do sossego. Ela disse aos homisdalei que ele ameaçava fazer um escândalo se os dois não voltassem a namorar.

Na tarde de ontem, ele perdeu a cabeça e causou toda a desgraça. Era por volta das 15h quando a puliça militar foi avisada de que duas pessoas tinham sido baleadas, dentro da imobiliária. Os milicos correram pro local e encontraram Bruno caído na chón, com um tirombaço no coração e um berro calibre 38 na mão. Ao lado dele tava Bárbara, que levou um balaço no peito e outro no braço direito, e lutava pra sobreviver.

O delegado Carlos Dirceu, responsável pelo caso, disse que ainda não sabe ao certo tudo o que rolou antes da tragédia. ?Algumas testemunhas dizem que os dois teriam se falado antes de ele atirar, outras afirmam que ele já entrou atirando contra a moça, e depois disparou contra o próprio peito?, comentou.

Também rolou uma conversa de que ele teria tentado mandar uma bala contra um corretor de imóveis que correu pra acudir a moça, mas a arma teria falhado. ?Tudo isso ainda vai ser apurado quando ouvirmos os depoimentos das pessoas que estavam no local?, disse o dotô.

Bárbara foi levada pro hospital Santa Inês, na Maravilha do Atlântico, em estado grave. Ela passou por uma cirurgia, e no início da noite de ontem, por sorte, já tava se recuperando. O pessoal do hospital não quis revelar se ela ainda corre risco de morte.

Bruno não resistiu ao tiro no peito, e passou dessa pra uma melhor. O corpo do rapaz foi levado pro Instituto Médico Legal (IML) de Balneário Camboriú.

Difícil prever

Dotô Carlos Dirceu comenta que crimes como esse são muito difíceis de prever. ?Só a Bárbara vai poder dizer se ele já tinha feito esse tipo de ameaça?, disse. Ele revelou que os assassinatos passionais geralmente são cometidos por gente boa, que nunca se envolveu com a bandidagem, como é o caso de Bruno, mas que tá transtornada por conta de uma paixão.

A puliça vai agora tentar descobrir onde foi que o rapaz conseguiu a arma que provocou a desgraça. ?O que sabemos é que era uma arma sem registro, provavelmente de contrabando?, contou o delegado.

  •  

Deixe uma Resposta