• Postado por Tiago

Caranga ficou parada por horas na rua 1300, centro de Balneário Camboriú

O jornalista argentino Carlos Eduardo Alhadeff ficou dicara quando viu um carango da guarda de trânsito de Balneário Camboriú parado bem no centro da city, onde os motoras são obrigados a comprar cartãozinho de estacionamento, sem o papéli grudado no painel. Como se não bastasse a folgação, o possante tava com uma caixa recheada de florzinhas sobre o banco do carona. ?Além de estar estacionado sem cartão, parece que este cidadão está comprando florzinhas ou vendendo. Ou será que foi emprestado pro paisagismo??, ironiza.

Carlos ficou tão injuriado com a cena que presenciou na manhã de ontem, na rua 1300, que não perdeu tempo e fotografou o celtinha oficial, placa MCQ 4302 (Balneário Camboriú). ?Eu fui no banco, saí, e o carro ainda estava ali. E o que é mais estranho é aquela caixa de flores no banco?, lascou.

Pra ele, trata-se de mau uso de um veículo pago com grana do povão. ?É mais um flagrante de uso de carro oficial pra fins próprios. Ou seriam impróprios??, lasca.

Chefão do Funtran vai investigar

Jaime Mantelli, chefão do fundo Municipal de Trânsito (Fumtran) no Balneário Camboriú, disse que os carros dos guardinhas não precisam usar o cartão do estacionamento rotativo quando param pela city. ?Carros oficiais são dispensados do uso do cartão. Isso é especificado em resolução do Contran (código de trânsito) e em lei municipal?, afirma.

Mas Mantelli estranhou as florzinhas dentro do possante. ?Não faço ideia do que isso significa. Nenhum veículo oficial pode ser usado pra fins particulares?, afirmou.

O chefão do Fumtran observou que o agente de trânsito é responsável pela viatura e, caso fique comprovado que andou transportando alguma coisa que não devia, pode levar uma mijada oficial. ?É passível de punição?, faz questão de dizer o mandachuva do trânsito de Balneário.

Jaime Mantelli prometeu investigar o caso pra descobrir o que as florzinhas faziam dentro do carro dos guardinhas do Fumtram.

  •  

Deixe uma Resposta