• Postado por Tiago

O pessoal que tem que tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou renovar a autorização terá que pagar mais caro ano que vem. Os valores cobrados pelos serviços dos centros de formação de condutores (CFC) foram tabelados no Balneário Camboriú e, em determinados casos, fizeram os preços aumentarem em até 55%, o que deixou muito proprietário de autoescola injuriado, achando que a cobrança é um abuso.

A tabela foi definida pelo DETRAN da região e apresentada aos donos de autoescolas do Balneário na sexta-feira através de uma portaria publicada no diário oficial. A classificação estabelece a cobrança mínima e máxima dos valores dos trabalhos oferecidos pelos CFCs. As taxas não sofriam reajuste desde 2007 e valem a partir do primeiro dia de 2010. Pela relação, foram estabelecidos os preços para primeira habilitação, adição de categoria e renovação de CNH.

As primeiras carteiras de motora poderão variar com preços entre R$ 867,83, que é o mínimo estabelecido pra moto, até R$ 1.828,52, que é o máximo que poderá ser cobrado pra quem quer pilotar carango e motoca. Quem tem que renovar a autorização terá que desembolsar entre 110 pilas e 261 contos. Já quem quer adicionar categoria às sua carteira terá que amargar desembolsar o mínimo de 440 pilas e o máximo de R$ 967.

O delegado regional, Ademir Serafim, explica que o tabelamento de preços foi necessário pra acabar com a farra da cobrança na cidade. Ele conta que, até esse ano, as autoescolas deviam seguir os valores traçados pelo DETRAN federal, mas algumas cobram valores mais baixos pra abocanhar mais clientes.

Pra cobrar mais baratinho, o dotô conta que alguns destes CFCs não ofereciam todos os serviços pré-determinados, como sala de aula à altura do que os clientes precisam, veículos em boas condições ou instrutores preparados. “A gente preza muito pelo preparo do futuro motorista e isso tudo implica em custos”, justifica. Pro delegado, se o condutor tiver uma boa autoescola, poderá se tornar um motorista consciente e evitar porradaços no trânsito.

Por outro lado, teve muito dono de CFC que não gostou nada da novidade e até agora não engoliu a imposição. O diretor geral da Stop, Mauro Correa da Silva, acha que o valor é abusivo. Conta que tem noção dos valores reais, das taxas cobradas pelo DETRAN e o custo de manutenção da autoescola, e pra isso, não é necessário cobrar o olho da cara pelas CNHs. “Não é preciso mexer no bolso pra formar um bom condutor. É a educação dele em casa que vai torná-lo um bom motorista”, lascou.

Contrariando o delegado regional, Mauro afirma que oferece um serviço bom pacas e cobrava cerca de 500 contos a menos que o exigido na tabela. “O serviço é de muita qualidade. Tanto que vem cliente indicado por outros”, mandou indignado.

Confira os novos preços

PRIMEIRA HABILITAÇÃO

Mínimo que deve ser cobrado

Máximo que deve ser cobrado

Carro e moto

R$ 1427,48

R$ 1828,52

Moto

R$ 867,83

R$ 1086,38

Carro

R$ 1074,05

R$ 1359,59

ADIÇÃO DE CATEGORIA

Mínimo que deve ser cobrado

Máximo que deve ser cobrado

Moto

R$ 441,38

R$ 540,67

Carro

R$ 598,50

R$ 748,83

Van

R$ 688,34

R$ 858,19

Caminhão

R$ 776,85

R$ 967,47

Ônibus

R$ 770,80

R$ 967,47

RENOVAÇÃO

Mínimo que deve ser cobrado

Máximo que deve ser cobrado

Carteira anterior a 1998

R$ 215,40

R$ 261,04

Carteira após 1998

R$ 110,10

R$ 121,39

  •  

Deixe uma Resposta