• Postado por Tiago

Tansas acharam que família era dona de estaleiro

As investigações da Deic mostram que o crime foi planejado logo após Viviane encontrar um cartão do estaleiro Eisa no quarto da família Pivatto, no hotel da avenida Eugênio Krause. Os bandidos achavam que Geovane era o dono do estaleiro e decidiram sequestrá-lo. w

Embora tenha dado suporte pro crime e confirmado que tinha conhecimento do sequestro, Cristiane alega que não embolsou a grana do resgate. ?Eu não fiquei com nada?, afirma. A polícia fez buscas detalhadas na casa de Cristina e Sulamir e, por enquanto, não foi encontrado dindim do sequestro.

Mesmo assim, o delegado de Piçarras, Francisco Ari Plantes dos Anjos, pediu a prisão temporária do bando, que foi caneteada pela dona justa. Eles devem ficar grampeados pelo menos por cinco dias. A prisão pode ser prorrogada pelo mesmo período ou transformada numa preventiva ? aquele tipo de prisão que não tem prazo pro marmanjo sair da jaula.

  •  

Deixe uma Resposta