• Postado por Tiago

O agente de viagens Reinaldo Wanderec foi um dos felizes moradores do casarão, que hoje só pode ser admirado nas fotos. Ele fez um texto, disponível na internet, em que conta um pouco da história do sobrado que testemunhou as transformações da cidade peixeira. Reinaldo revela que a casa tinha cerca de 500 m² e grossas paredes construídas com óleo de baleia, razão de sua durabilidade. No começo, a casa ficava no meio de uma chácara de 940m².

O primeiro proprietário, Olímpio Miranda, viveu ali por mais de 50 anos. Depois o casarão foi vendido, pelos herdeiros, pra uma incorporadora de Balneário. O local serviu de morada, também, pros peões que construíram ao lado um prédio nos anos 70, e passou um longo tempo fechado.

Em 1984, por ocasião da enchente, a casa foi invadida por desabrigados, que acabaram levando várias peças originais. Foram poupadas a escadaria, o assoalho em tábuas largas de canela e o piso dos banheiros, decorado à mão. Naquele ano, o casarão foi vendido a um proprietário que sabia da importância histórica e arquitetônica da casa e promoveu sua restauração. Mas a roda da história girou de novo e a casa foi vendida pra quem não tem nenhum compromisso com Itajaí.

  •  

Deixe uma Resposta