• Postado por Tiago

A onda de calor, que parece ter dado uma trégua ontem à tarde, trouxe consequências na região da Grande Floripa, principalmente durante o fim de semana. Vários bairros da capital e das cidades vizinhas ficaram na mó secura por causa do aumento do consumo. O povo da região norte da ilha e bairros da bacia do Itacorubi, também na ilha, penou e nem banho de canequinha conseguiu tomar, já que não saía nada das torneiras e a chuva não dava as caras há dias.

Pra evitar mais berreiro e prevenir o cancelamento de viagem da turistada que afivela as malas pra passar o Carnaval na região, a Casan aumentou em 18% a vazão do líquido precioso na Grande Floripa. Com isso, ao invés dos normais 1850 metros cúbicos por segundo são disponibilizados dois mil metros por segundo.

Mesmo com a boa vontade da Casan, muita gente demorou pra ver a água sair da torneira. O superintendente da companhia na Grande Floripa, Carlos Alberto Coutinho, joga a culpa na falta de respeito ao plano diretor da cidade. A cada dia, prédios e mais prédios são erguidos sem que haja redimensionamento da rede. “O crescimento da cidade tem que ser seguido de investimento, tanto na captação, quanto no tratamento ou na distribuição. A Casan tem feito investimentos na estação de tratamento e em outras áreas, mas o crescimento é grande e esses investimentos não seguem o mesmo procedimento”, conta. Caminhões-pipa já foram contratados pra abastecer os pontos mais críticos.

  •  

Deixe uma Resposta