• Postado por Tiago

*Edison Jardim

A carta que o vice-governador Leonel Pavan protocolou na assembleia Legislativa do Estado, concitando os deputados a votarem favoravelmente ao pedido de autorização para processá-lo, formulado pelo Tribunal de Justiça, é, certamente, o maior monumento ao cinismo erigido na política catarinense em todos os tempos! Quem a ler, inevitavelmente vai se lembrar de Goebbels, o ministro da propaganda da Alemanha nazista de Adolf Hitler, e de sua célebre frase: “Uma mentira 100 vezes dita, torna-se verdade”.

O vice-governador Leonel Pavan a inicia, afirmando que “ao homem público o que mais engrandece é a honra.” Linhas depois, escreveu: “Porém, mais do que tudo, preocupa-me a minha imagem pessoal, a minha moral…”

Certos conceitos, como “honra”, “moral” e “imagem pessoal”, tiveram os conteúdos destorcidos, senão completamente esvaziados, nestes tempos sem eira nem beira em que vivemos. Defende a honra, a moral e a imagem pessoal com os velhos significados, é claro, quem as tem; quem as soube e sabe cultivar, a cada dia de sua vida. É o que deveria vigorar e a justiça garantir!

Em outro trecho, ele assevera: “No entanto, em novembro de 2009, fui surpreendido com a divulgação de um inquérito que pôs em dúvida ações administrativas.” “Ações administrativas”?… Foram, isso sim, interferências absolutamente indecorosas na gestão da secretaria da Fazenda! Incontinênti, conseguiu pespegar duas asserções falsas numa única frase: “Nele (inquérito), aparecem conversas de terceiros e imagens que não retratam qualquer atitude ilícita…” Quem não leu ou ouviu as gravações de conversas telefônicas do próprio vice-governador Leonel Pavan?… E evidentemente que a propina no valor de R$ 100 mil reais não lhe foi entregue no desembarque do aeroporto Hercílio Luz, pois isso seria desarrazoado, vez que o vice-governador Leonel Pavan, acompanhado de Eugênio Silva – segundo a polícia Federal, é o dono oculto da Arrows Petróleo do Brasil Ltda. -, e do representante da empresa em Santa Catarina, Marcos Pegoraro, viajariam juntos, naquela noite, de Florianópolis até Balneário Camboriú.

E prosseguiu, tal qual um macaco numa loja de louças, a quebrar todos os cristais da razão e do bom senso: “Compareço…, para reafirmar que não pratiquei nenhum ato ilícito e não causei ao estado de Santa Catarina qualquer tipo de prejuízo.” Para o vice-governador Leonel Pavan, passar ao sonegador de impostos informações sigilosas relativas a investigações em andamento nos órgãos públicos, de que teve conhecimento em razão do seu elevado cargo, não se constitui em crime. Muito menos, receber propina em troca desse tráfico de influência nefando. E o estado de Santa Catarina, vice-governador Leonel Pavan, não sofreu prejuízos financeiros porque ainda existem funcionários honestos na secretaria da Fazenda, que não aceitaram as suas absurdas investidas. Não se esperava, mesmo, que nas contas dele fossem computados os prejuízos morais consistentes no aviltamento do cargo de vice-governador, no descrédito do funcionalismo público em geral e da secretaria da Fazenda em especial, no desalento dos agentes estatais honestos e dos contribuintes bons pagadores…

Finaliza-a, para não deixar nada a desejar ao “mensalão do DEM”, cujo principal protagonista foi o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda – que teve a reza da propina -, “invocando a proteção de Deus”, além de fazer a insinuação sempre recorrente, das “forças ocultas” do ex-presidente da República, Jânio Quadros – agora: “a verdade, momentaneamente oculta por circunstâncias e interesses não sei de que ordem…”

Pelo teor da carta, o vice-governador Leonel Pavan só pode pensar que todos nós somos uns perfeitos idiotas.

*advogado em Florianópolis, nas áreas civil e criminal

  •  
  • Postado por Tiago

Eu tinha planejado dedicar esta coluna à 15ª Festa do Marisco, programada para realizar-se na Penha, de 11 a 15 deste mês. Sem dúvida será a maior de todos os tempos. Mas não podia deixar de enaltecer o atendimento de pronto-socorro do município pela eficiência e a rapidez com que presta serviços à comunidade.

Tão logo recebi a notícia que o Seu Dico estava passando mal, não perdi tempo para ir à sua casa… Seu Dico, ou Osvaldo da Costa, velho mestre de barcos pesqueiros e imperador da festa do Divino, grande companheiro e amigo, tinha que ser logo socorrido. Pra garantir, foi ligado para o PA de Penha e também para o corpo de Bombeiros. Que maravilha! Em poucos minutos chegaram duas ambulâncias com os para-médicos e equipamentos necessários. Bastava uma, mas os dois chamados foram atendidos. Logo Seu Dico foi levado, recebeu os primeiros socorros no PA e, rapidamente, encaminhado para o hospital Marieta, em Itajaí, devido o seu estado. No momento em que estou redigindo este texto (20 horas do dia 04/02/10), ele ainda não reagiu… Continua na UTI.

É claro que tudo pode acontecer, mas não por falta de recursos. Parabéns às autoridades da saúde de Penha, à municipalidade, e ao corpo de Bombeiros, com o Samu.

Quero na oportunidade reiterar minha admiração e meu reconhecimento ao trabalho do comandante Jonny Coelho, especialmente pela iniciativa em implantar esse maravilhoso serviço na região. Abraçou esta árdua missão e conseguiu dar sustentação de uma forma quase milagrosa. Obrigado, comandante Jonny! Que Deus o ajude a superar todas as adversidades e com sua equipe continuar a fazer tanto bem. Parabéns pela conquista para realizar a obra na lagoa do Quinca Ludo! Você é um vitorioso. Acompanho o trabalho do corpo de Bombeiros Voluntários de Penha e Piçarras e já são milhares os atendimentos com sucesso na região da Amfri, sobretudo na enchente de novembro de 2008, em Ilhota.

Ao serviço de saúde de Penha, na pessoa do secretário Clóvis Bergamaschi, do diretor Jonas Furtado e equipe, os agradecimentos e os votos para que continue sempre a prestar esse honroso trabalho.

  •  
  • 05 fev 2010
  • Postado por Tiago

Próximo!

CORNETA---s---Márcio-Goiano-foto-Rubens-Flôres 

Tão achando inúmeros culpados pro fracasso do Figueira nesse início de temporada. O primeiro a levar a culpa foi Renê Weber. O próximo será Márcio Goiano, pode anotar. Mas outros estão com a senha. O rompimento do clube com a Figueirense Participações e a lesão de Fernandes aguardam a vez. Porém surgiu um salvador. O meia Bilú vai ter que dar conta do recado e levar essa garotada nas costas. Dá até pena!

Mas não vai longe

Podem arranjar os culpados que quiserem pro desempenho do Figueira, mas o time é fraco demais. Na capital chamam o Alvinegro de time dos ?anões?. Tem coisas que nem o melhor técnico do mundo dá jeito!

Olha ele aí!

 CORNETA---s---Corneta-Silvio-foto-Rubens-Flôres

Essa é pra torcida do velho Marinheiro matar saudade. Silvio, ex-goleiro e ídolo da torcida marcilista, agora é o preparador de goleiros do Atlético de Ibirama.

Coisa medonha!

É chover no molhado falar do acesso ao estádio da Ressacada. Mas só quem passa duas horas pra ir, mais duas pra voltar pra casa em dia de jogo do Avaí, sabe o quanto é bom bater na mesma tecla. Solução? Só no próximo ano. As obras da cabeceira do elevado do trevo da Seta foram iniciadas essa semana. É esperar pra ver…

Tá namorando!

CORNETA---s---Medina-04.02.10

O Medina é um gurizinho mesmo! Na falta do que falar na coletiva após a vitória suada e sofrida contra o Imbituba, soltou que tá bem porque arranjou uma gatinha e que tá muito feliz. Ai, ai…

Despontando

O atacante Leandrão, ex-Atlético de Ibirama e Marcílio Dias, está despontando no time profissional do Inter/RS. No colorado, o jovem artilheiro é chamado de Leandro Damião e sempre que recebe oportunidade do técnico uruguaio Jorge Fossati tem retribuído a confiança com gols. Fossati, que atualmente é treinador, foi um dos ídolo no Avaí quando defendeu a meta azurra na década de 80.

  •  
  • Postado por Tiago

“Sem Fé é impossível agradar a Deus” Heb. 11:6

Quando ouço falar do carnaval, que é o “vale da carne”, que já está chegando, por aí, com tanto entusiasmo dos incrédulos da Fé, me faz lembrar as tristes notícias, depois destas desgraças, de tantas mortes; e o pior é que chamam de festa. Um médico de larga experiência relata o seguinte, a respeito dessa festa popular, que vem do paganismo: “por contingências de minha vida, durante os plantões nos hospitais, tenho oportunidade de presenciar de perto os feridos e acidentados, como resultado da tão famosa festa=carnaval. Assim vivo junto a essa gente que se esquece da responsabilidade, do pudor da vergonha; que perde a noção de exemplos aos filhos. Tenho vivido junto aos resultados desse reinado de momo, (escárneo): droga, Aids, bebidas, prostituição, destruição, lares desfeitos e mortes”. O Momento de Fé esforça-se para que todos deixem essa vida tão inválida, passando a servir a Jesus Cristo como Seu único e verdadeiro Salvador, livrando-se de todos esses males. Ao enfrentar o carnaval, todos vão sorrindo, mas ao voltar dessa festa do “vale da carne”, muitos voltam chorando e muitos nem voltam, pois morrem pela bebida e pela mão da bandidagem; isso não é festa, mas é um “reboliço”. Jesus disse ao povo: “Vinde a Mim, todos vós que estais cansados e oprimidos e Eu vos aliviarei”. Jesus disse, também, aos apóstolos: “Idem e pregai as minhas palavras, de ensinamentos, a toda criatura; aquele que crer e for batizado, será salvo, mas o que não crer e não for batizado, será condenado”. Quando Jesus diz: será condenado, é certo que aquele que não aceitar Sua Doutrina, irá para o “inferno” e aquele que crer e cumprir Sua Doutrina, irá morar no “CÉU”. Esta é a grande razão para o Momento de Fé continuar pregando o Evangelho de Jesus Cristo, o nosso Salvador. Não vá para o carnaval, mas procure uma Igreja Cristã Evangélica e santifique ali sua vida espiritual. O pobre e o rico têm o mesmo direito de entrar no Céu, bastando que procurem agradar a Deus. O Apóstolo São Paulo disse que “Sem Fé é impossível agradar a Deus”, então vamos entrar no caminho da Fé. Aos pais eu aconselho ensinar, aos seus filhos, o caminho da Fé, não deixando entrar no caminho das drogas. Aos filhos eu aconselho que falem para seus pais deixarem o vício do cigarro e da bebida. Tenha você, hoje, um Momento de Fé e seja feliz. Bom dia.

  •  
  • Postado por Tiago

Reforma agrária é uma dessas questões que se reservam aos super-heróis das políticas públicas. Ainda que dentro do desejável, possível e necessário para uma sociedade mais justa, as propostas de divisão de terras no Brasil incidem em interesses conflitantes: de um lado, os insatisfeitos com o pouco de que dispõem; de outro, os cães que rosnam com o osso na boca.

A concentração de propriedade é abusiva neste país, portanto é necessário implantar um novo modelo de apropriação agrícola e resgatar os erros do passado.

É verdade que não basta ter acesso à terra. Uma dificuldade que surge posteriormente à aquisição de propriedade rural é a de falta de treinamento dos novos proprietários e infraestrutura para aproveitamento agrícola, como capital, irrigação, semente e vias de transporte. Toma-se em conta que a maior parte do terreno no país não é usada em cultivo ou outra atividade de fins econômicos.

Desde esta linha argumentativa, muitos sustentam que o problema seria então o de excesso de terras ociosas e a falta de investimento em produtividade com técnicas modernas na agricultura, planejamento do plantio e da colheita.

A população tupinica, segundo vozes reprovadoras da reforma agrária e longe de corresponder à minha, é majoritariamente urbana e, por isso, não faz sentido repartir terras rurais, que estão muito bem nas mãos de poucos.

Oras, como o Brasil poderá investir em tecnologia na produtividade agrícola se ainda não superou a etapa de repartição das terras? O país está atrasado em reforma agrária. Do ponto de vista de grandes proprietários rurais, é natural que se demonizem movimentos sociais e protestos que objetivam a distribuição de terras, porém falta uma consciência coletiva.

O uso da palavra “invasão” em vez de “ocupação” contribui para a tendência dessas pesquisas inúteis que reiteram a visão de latifundiários. A “imagem do MST”, que foi solicitada pela confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) indica que a maioria dos tupinicas reprova a ocupação de propriedades. Quem é que daria uma resposta favorável a que um estranho entrasse em sua casa sem pedir licença?

Desvia-se, todavia, o foco da luta pela justiça social ao desrespeito de direitos de propriedade privada.

A defesa da reforma agrária esbarra na torcida agressiva do outro time. O caminho da repartição de terras no Brasil é fundamental para promover a redução de desigualdades. Concordo com que não basta dar terras se não houver uma continuidade da inserção no sistema produtivo das famílias beneficiadas com a reforma. Enquanto não se supera uma etapa, no entanto, não é possível impulsionar a outra.

O instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) elabora avaliações e políticas de acesso à terra, fiscalização de imóveis rurais para averiguar se cumprem a função social, combate à grilagem (que significa a posse indevida de terras mediante expulsão de seus proprietários e apresentação de documentos falsos), e repasse de recursos a entidades de apoio à reforma agrária. A instituição fiscaliza de seis a sete milhões de hectares por ano.

O Incra dispõe de R$4,6 bilhões de orçamento para 2010. O recurso destinado à reforma agrária é cada vez maior.

Este tema exige uma postura radical dos governantes e ativistas sob o risco de sucumbir às mentiras e travas lançadas pelos opositores. Uma delas é a de desmerecer movimentos sociais que lutam pelos oprimidos ou a de advogar que, em vez de repartir, a tecnologia na agricultura de latifúndios por si só geraria retorno benéfico à sociedade.

As discussões e divulgações sobre a reforma agrária têm sido monopolizadas pelos que se opõem a ela. Falta a representatividade de opiniões divergentes.

*Mestre em estudos latino-americanos.

  •  
  • Postado por Tiago

Eficiência Máxima

Eu tinha planejado dedicar esta coluna à 15ª Festa do Marisco, programada para realizar-se na Penha, de 11 a 15 deste mês. Sem dúvida será a maior de todos os tempos. Mas não podia deixar de enaltecer o atendimento de pronto-socorro do município pela eficiência e a rapidez com que presta serviços à comunidade.

Tão logo recebi a notícia que o Seu Dico estava passando mal, não perdi tempo para ir à sua casa… Seu Dico, ou Osvaldo da Costa, velho mestre de barcos pesqueiros e imperador da festa do Divino, grande companheiro e amigo, tinha que ser logo socorrido. Pra garantir, foi ligado para o PA de Penha e também para o corpo de Bombeiros. Que maravilha! Em poucos minutos chegaram duas ambulâncias com os para-médicos e equipamentos necessários. Bastava uma, mas os dois chamados foram atendidos. Logo Seu Dico foi levado, recebeu os primeiros socorros no PA e, rapidamente, encaminhado para o hospital Marieta, em Itajaí, devido o seu estado. No momento em que estou redigindo este texto (20 horas do dia 04/02/10), ele ainda não reagiu… Continua na UTI.

É claro que tudo pode acontecer, mas não por falta de recursos. Parabéns às autoridades da saúde de Penha, à municipalidade, e ao corpo de Bombeiros, com o Samu.

Quero na oportunidade reiterar minha admiração e meu reconhecimento ao trabalho do comandante Jonny Coelho, especialmente pela iniciativa em implantar esse maravilhoso serviço na região. Abraçou esta árdua missão e conseguiu dar sustentação de uma forma quase milagrosa. Obrigado, comandante Jonny! Que Deus o ajude a superar todas as adversidades e com sua equipe continuar a fazer tanto bem. Parabéns pela conquista para realizar a obra na lagoa do Quinca Ludo! Você é um vitorioso. Acompanho o trabalho do corpo de Bombeiros Voluntários de Penha e Piçarras e já são milhares os atendimentos com sucesso na região da Amfri, sobretudo na enchente de novembro de 2008, em Ilhota.

Ao serviço de saúde de Penha, na pessoa do secretário Clóvis Bergamaschi, do diretor Jonas Furtado e equipe, os agradecimentos e os votos para que continue sempre a prestar esse honroso trabalho.

  •  
  • Postado por Tiago

zelioprado@yahoo.com.br

Orçamento

Conversei com o presidente do Marcílio Dias, Abelardo Lunardelli, e ele me disse que o orçamento solicitado pelo diretor de futebol, Euzébio Pereira Neto, o Caloca, para tocar o departamento de futebol, foi de R$ 120 mil por mês. Essa verba seria destinada para a montagem do time que vai disputar a divisão especial e o Brasileiro da série D. Acho pouco, até porque vai disputar duas competições ao mesmo tempo. Mas uma coisa é certa: não adianta fazer orçamento e depois faltar dinheiro, tem que orçar e garantir os recursos.

Deu um banho…

o diretor de futebol do departamento mirim do Marinheiro, João Vitor Bonnanoni, de apenas nove anos. Entrevistado no programa Univali Esportes, da TV Univali, ele demonstrou conhecimento e vontade. João Vitor, se tiver apoio, pode ser importante nesta nova fase do clube junto aos jovens torcedores.

Tava demorando

O Brusque jogando em Chapecó e a pergunta era uma só, onde está o Viola? Cheguei perto do presidente do clube, Danilo Resini, e fiz a pergunta. A resposta veio na hora: “O Viola levou um pisão no pé no jogo diante do Joinvile, e não tem condições”. Tudo bem, não fosse o real motivo da ausência do atleta. Estava em São Paulo, jogando pelo máster do Corinthians. Pra que mentir, presidente?

Finalmente

Depois de muitas críticas, finalmente resolveram dar uma melhorada no estádio Hercílio Luz, que estava pra lá de abandonado. Pelo menos esta diretoria aceita as críticas. Além disso, aos poucos vai tentando colocar a casa em ordem.

Tudo resolvido

O superintendente da fundação Municipal de Esporte e Lazer de Itajaí, Álvaro Provesi, me informou que os problemas que estavam impedindo a realização do campeonato de Futebol de Areia Feminino foram sanados. Agora, a competição vai começar com seis equipes e os jogos serão disputados sempre antes dos veteranos. A premiação em dinheiro que havia sido solicitada, também foi liberada. Então tá!

Mudou

Nem bem começou a funcionar, e o restaurante do Marinheiro já tem nova direção. Quem assumiu foi o Beto Santos, que promete comida de primeira qualidade, por um preço acessível.

Quem pergunta…

às vezes ouve o que não quer. Perguntaram para o Alcemir Crispim da Silva se havia possibilidade de uma aliança com o Paulinho do Trevo para dirigir a liga Itajaiense de Desportos (LID). A resposta veio curta e grossa: “Não pode ter acordo, pois quando tiver eleição eu vou ser candidato”.

Com carta branca…

…do presidente da LID, Miguel Lopes, o Paulinho está empenhado em realizar um grande campeonato. O congresso técnico da competição que começa em abril, vai contar com a participação de representantes de 12 equipes e será realizado segunda-feira na sede da liga. Estou gostando da dedicação e do empenho do Paulinho. Acho que a coisa vai dar certo.

Confusão

Segundo o Miguel Lopes, o rolo na arbitragem da federação Catarinense de Futebol é muito maior do que se imagina, e que na hora certa ele vai falar tudo. Uma coisa é certa, com razão ou sem razão, comprou uma briga feia e vai ter que provar tudo.

É hoje…

o grande clássico do futebol catarinense, Figueirense e Avaí. O Avaí tentando confirmar o favoritismo para conquistar o título, enquanto que o Figueirense está em busca de recuperação. Jogo pra casa cheia, sem favorito e com o peixeiro Célio Amorim no apito. Estarei lá.

  •  
  • 04 fev 2010
  • Postado por Tiago

CONTAS

Não sei como terminou a reunião do mandabrasa do Balneário, realizada na noite desta quarta-feira. Mas posso adiantar que eles não estão fechando as contas quando contabilizam os votos que o candidato do prefeito-ave deve receber.

RUDIS

Conversei por mais de duas horas com o ex-vereador e ex vice-prefeito Rudis Cabral. E ele confirmou que, querendo, será o candidato de Edson Dias a deputado estadual.

FAMILIAR

Disse-me o companheiro Rudis (até o ano passado era do PT) que não tinha a pretensão de ser o candidato. Mas que o prefeito (ele foi vice do Periquito em 2004) chamou o seu pai (o seu Pedro), e fez os cálculos que o levariam à assembleia.

ESTRONDOSA

Nos cálculos que a ave mandante do reino da Dinamarca teria passado, Rudis sairia do Balneário com pelo menos 20 mil votos. Isso seria o seu passaporte rumo à capital dos manezinhos.

VOTAÇÃO

Vale lembrar que em 2002 Rudis já foi candidato à assembleia pelo então PPB (hoje PP). Levou, no estado, 14.755 votos e ficou em 77º lugar (são 40 na assembleia). No Balneário recebeu 7.494 votos, foi o segundo mais votado, perdendo para Dado Cherem, que somou 10.470 sufrágios e foi eleito (na média) deputado estadual.

DESCONHECE

Se Periquito deu uma possibilidade de Rudis levar, de cara, 20 mil votos no Balneário, deve estar sofrendo do mesmo mal que outros reizinhos da Dinamarca já sofreram.

CÁLCULO

Senão, vejamos: em 2006 (últimas eleições) Edson Dias estava com praticamente toda a sua força eleitoral e no agrado dos eleitores. Era oposição, vinha de uma derrota na disputa pela prefeitura (2004) e levou 17.314 votos. Foi o mais votado do Balneário e ficou como suplente do PMDB.

PODER

Dado Cherem, com apoio de toda a máquina tucana (prefeitura e vereadores) recebeu 12.692 votos. Reelegeu-se deputado estadual com os votos que recebeu em todo o estado. E a base governista não estava tão dividida como agora.

DESCONHECE

Caso o dileto prefeito-ave não ficasse tanto tempo esquentando a cadeira e não tivesse tantos incompetentes lhe assessorando, saberia que a realidade é diferente. Bastaria dar um giro pela periferia balnear.

PARAQUEDISTAS

Embora o Balneário tenha atualmente mais de 80 mil eleitores, é bom lembrar que candidatos de outras regiões levam alguns votinhos daqui. Na última eleição foram mais de 260 paraquedistas que foram lembrados nas urnas.

APOSTO

Para quem interessar possa, aposto uma caixa de Brahma (e não vale outra marca) mais uns espetinhos de gato que o candidato a deputado estadual mais votado do Balneário não passa de 18 mil votos, independentemente de partido.

QUANTIDADE

Só no PMDB, até o início da reunião da quarta-feira, mais de seis, além do Rudis, queriam ser candidatos. E aí temos que contabilizar outros nomes da base governista: Claudir Maciel (PPS), talvez o com maior chance, e Jaime Mantélli, etc e tal.

ARDILOSO

O prefeito Edson Dias, ao tramar uma candidatura do Rudis Cabral, não tem muita coisa a perder. Em que pese ele ter sido o seu candidato a vice em 2004 e ter sido retirado de cena em 2008, com a entrada do Aristo Pereira e do Leko Benvenutti no PT.

NÃO PERDE

Apostando em Rudis o prefeito-ave só tem a ganhar. O ex-vereador e ex-vice-prefeito é estabilizado economicamente. Além disso teria a desculpa de que ele já foi do PP, do PT e somente no ano passado, no apagar das luzes, assinou com o PMDB. Não tem identificação com o partido.

SOSSEGADO

Agora imagine você se o candidato do Periquito fosse outro (Nilson Probst, Marquinhos Kurtz, etc e tal)? Como ficaria a não tão boa imagem da ave da Dinamarca?

PASSISTAS

E de quebra recebo o recado de um enviado do Marcos Weisheimer (quer ser candidato a deputado federal pelo PMDB) de que foi ele quem transacionou a vinda das lindas passistas e os feiosos da bateria da Beija-Flor do Rio pro Balneário. Custou só R$ 20 mil. Aí eu, que sou mais novo, faria o mesmo. Esmola com dinheiro alheio é muito fácil.

DUVIDOSO

A forma como foi feita a contratação das peitudas e pernudas também é questionável. Dispensaram a licitação na sexta, publicaram o edital no sábado e no mesmo dia aconteceu a apresentação. Tinha uma morenaça da Copa Lorde, da capital dos menezinhos, que estava na área e ficou chateada, muito chateada.

VOTOS

E tem aquela linda moçoila de Luzerna, no ladinho de Joaçaba (onde se faz talvez o melhor desfile de carnaval do estado), que saiu dizendo que quando o Marcos quisesse voto fosse procurar nos morros do Rio de Janeiro… E aí tem que voltar vivo pra eleição, hehehe.

TRADIÇÃO

Não sou muito simpático ao homem, mas se for mantida a tradição, o prefeito de Itapema, Sabino Bussanello, será o novo presidente da associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí. A Amfri tem eleições no próximo dia 12. Sabino é o atual vice-presidente.

ASSESSORIA

O jornalista Frutuoso de Oliveira assume a assessoria de imprensa do prefeito Edson Renato. Ele foi assessor de Valdir Cobalchini, o mesmo que anda fazendo o meio de campo do vice-governador Leonel Pavan com o PMDB.

LOUCURA

Você se lembra daquela campanha publicitária de prevenção da Aids? Era mais ou menos assim: “Maria que amava João, que amava Ricardo, que Amava Jordão, que amava Joana, que amava Rita, que amava…. E todos….”. A novela se repete e só quem perde somos nós eleitores e pagadores de impostos.

FÉRIAS

Enquanto isso, na serra gaúcha, o vice-governador Leonel Pavan descansa e prepara o discurso de posse no governo do estado. O prefeito Edson Dias vai estar na solenidade. Será o periquito abraçando o tucano (ou é o contrário?).

DESCONHECE

Conversei com o vereador João Miguel (PSDB), que negou qualquer situação de nepotismo em seu gabinete. Tatá, que completou 51 verões na segunda-feira, não apareceu na sessão de terça da câmara porque estava com uma daquelas famosas viroses. É a idade, parceiro!

FELIZ

Está o Fernando Carnevalli, assessor de imprensa da câmara do Balneário. E nem poderia ser diferente. O presidente Moacir Schmidt (PSDB) foi o único da história do legislativo que inaugurou uma sala de imprensa, com direito a computadores, TV, cafezinho, água e o escambau. Só faltou o frigobar com o gelinho de água de coco. O uísque (aquele fabricado em Indaial) eu levo de presente.

CONFUSÃO

O Fernando Brito, do conselho municipal de Saúde, desmentiu o presidente Ivo Buzzarello naquela história de não autorizar nada enquanto o hospital municipal não for aberto. Estou esperando a ata para confirmar o babado.

  •  
  • Postado por Tiago

Bolsa-Família: milho fácil e gratuito

Para ter o direito ao benefício denominado “Bolsa-Familia”, o favorecido não pode ter renda acima de R$ 140 per capita e, uma vez inscrito, deverá renovar, obrigatoriamente a cada dois anos, o seu cadastro. A falta de tal renovação implica na perda do benefício.

As disposições legais acima foram estabelecidas no texto de instituição e posterior regulamentação do programa assistencialista, criado por medida provisória em outubro de 2003 para suplantar o fracasso do Fome Zero.

Entretanto, no dia 23 de dezembro de 2009, o governo mudou duas regras do Bolsa-Familia. As modificações introduzidas determinam que as famílias que passaram a ter renda superior a R$ 140 per capita continuarão recebendo o Bolsa-Família até o dia 31 de outubro de 2010. A mesma data também será o limite para a percepção do benefício daquelas famílias que não se recadastraram após o decurso de dois anos do cadastramento anterior.

Autêntico presente de Natal assistencialista, até poderia representar uma bondade governamental se não revelasse uma intenção oficial menos nobre, o dia 31 de outubro é a data em que se realizará, se for o caso, o segundo turno das eleições presidenciais.

Um acompanhamento das “agruras” que vive o ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), na administração do programa do Bolsa-Familia, revela que no ano passado cerca de 8,4 milhões de famílias, de um total de 12,4 milhões inscritas no programa, deveriam atualizar seus cadastros. Para tal finalidade, as prefeituras foram convocadas pelo ministério para colaborar e conseguiram recadastrar apenas 2,2 milhões de famílias.

Das 6,2 milhões de famílias não recadastradas, algumas não foram encontradas, outras foram excluídas por não mais se enquadrarem no perfil, e outras tiveram o beneficio cancelado por não terem cumprido as exigências relativas à educação e saúde, imposta para o recebimento das prestações. Destas sobraram, ainda, 974 mil famílias que não atualizaram o cadastro e por isso tiveram o beneficio bloqueado na folha de pagamento de novembro, incursos na cláusula: “encerramento do prazo para revisão cadastral”, conforme nota do ministério, datada de 10 de dezembro de 2009.

O ato modificador das imposições até então vigente partiu da secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc), do MDS, que através de instrução operacional estabeleceu informações sobre procedimentos para atualização e revalidação cadastral das famílias inscritas no CadÚnico.

Dita instrução operacional, ao estabelecer “novos conceitos” para a revisão cadastral incluiu, entre outros, o novo prazo de “validade do beneficio”, “para que o povo inadimplente se acostume com a perda da renda”, na palavra oficial. Certamente a coincidência com a data eleitoral é puro fruto do acaso.

Segundo a revista Veja, “o Bolsa Família já provou ser um poderoso cabo eleitoral”… “Trata-se de uma versão atualizada do voto de cabresto. Mas com uma diferença, segundo o cientista político Bolívar Lamounier: ‘Os antigos coronéis do interior do Brasil pelo menos aliciavam votos com o próprio dinheiro. O governo atual faz isso com dinheiro público”.

Inegavelmente, o Bolsa-Familia tem influenciado grandemente na redução da pobreza e, ainda mais, por exigir a contrapartida das famílias beneficiadas que deverão manter seus filhos na escola e cumprir normas de saúde e higiene.

Entretanto, esse aspecto positivo tem sido comprometido pela ausência de limites claros para a “saída” do plano e o consequente término do pagamento dos benefícios e seu caráter assistencialista o torna exposto às críticas, exposição esta que, após a sua prorrogação evidentemente eleitoreira o torna muito mais vulnerável.

Uma vez mais revela-se a afirmação de que para a “cumpanheirada” do Planalto as coisas mais absurdas, imorais, aéticas, se colocadas por escrito, transformam-se em dádivas do poder, criadas para o bem de todos e felicidade geral da nação.

* bacharel em Direito, mestre em Ciência Jurídica, na área de concentração em fundamentos do direito positivo, pela Univali.

  •  
  • Postado por Tiago

Interessados em exibir na Europa uma coleção de animais exóticos, no início do século 19, dois franceses, os irmãos Edouard e Jules Verreaux, viajaram à África do Sul. A fotografia ainda não havia sido inventada, e a única maneira de saciar a curiosidade do público era, além do desenho e da pintura, a taxidermia, empalhar animais mortos, ou levá-los vivos aos zoológicos.

No museu da família Verreaux os visitantes apreciavam girafas, elefantes, macacos e rinocerontes. Para ela, não poderia faltar um negro. Os irmãos aplicaram a taxidermia ao cadáver de um e o expuseram, de pé, numa vitrine de Paris; tinha uma lança numa das mãos e um escudo na outra.

Ao falir o museu, os Verreaux venderam a coleção. Francesc Darder, veterinário catalão, primeiro diretor do zoológico de Barcelona, arrematou parte do acervo, incluído o africano. Em 1916, abriu seu próprio museu em Banyoles, na Espanha.

Em 1991, o médico haitiano Alphonse Arcelin visitou o museu Darder. Pela primeira vez, aquele morto mereceu compaixão. Indignado, Arcelin pôs a boca no mundo, às vésperas da abertura dos jogos Olímpicos de Barcelona.

Terminadas as Olimpíadas, a população de Banyoles voltou ao tema. Muitos insistiam que a cidade não deveria abrir mão de uma tradicional peça de seu patrimônio cultural. Arcelin mobilizou governos de países africanos, a organização para a Unidade Africana, e até Kofi Annam, então secretário-geral da ONU. O negro foi descatalogado como peça de museu e reconhecido em sua condição humana.

O terremoto que arruinou o Haiti nos induz à pergunta: o Haiti existe? Hoje, sim. Mas, e antes de ser arruinado pelo terremoto? E agora, será que a catástrofe – a mais terrível que presencio ao longo da vida – é mera culpa dos desarranjos da natureza?

Colonizado por espanhóis e franceses, o Haiti conquistou sua independência em 1804, o que lhe custou um duro castigo: os escravagistas europeus e estadunidenses o mantiveram sob bloqueio comercial durante 60 anos.

De 1915 a 1934 os EUA ocuparam o Haiti. Em 1957, o médico François Duvalier, conhecido como Papa Doc, elegeu-se presidente e instalou uma cruel ditadura apoiada pelos tonton macoutes e pelos EUA. A partir de 1964, tornou-se presidente vitalício… Ao morrer em 1971, foi sucedido por seu filho Jean-Claude Duvalier, o Baby Doc, que governou até 1986, quando se refugiou na França.

As primeiras eleições democráticas ocorreram em 1990; elegeu-se o padre Jean-Bertrand Aristide, cujo governo foi decepcionante. Deposto em 1991 pelos militares, refugiou-se nos EUA. Retornou ao poder em 1994 e, em 2004, acusado de corrupção e conivência com Washington, exilou-se na África do Sul. Embora presidido hoje por René Préval, o Haiti é mantido sob intervenção da ONU e agora ocupado, de fato, por tropas usamericanas.

Para o ocidente “civilizado e cristão”, o Haiti sempre foi um negro inerte na vitrine, empalhado em sua própria miséria. Por isso, a mídia do branco exibe, pela primeira vez, os corpos destroçados pelo terremoto. Ninguém viu, por TV ou fotos, algo semelhante na Nova Orleans destruída pelo furacão ou no Iraque atingido pelas bombas. Nem mesmo após a passagem do tsunami na Indonésia.

Outros países sofrem abalos sísmicos e nem por isso destroços e vítimas são tantos. Ao Haiti enviamos “missões de paz”, tropas de intervenção, ajudas humanitárias; jamais projetos de desenvolvimento sustentável. Findas as ações emergenciais, quem haverá de reconhecer o Haiti como nação soberana, independente, com direito à sua autodeterminação?

  •  
« Página AnteriorPróxima Página »