• 19 dez 2009
  • Postado por Tiago

cesar valente

TRADUÇÃO SIMULTÂNEA: eu sempre tive curiosidade pra ver como é que o Lula, que não fala outra língua além do português se virava nos encontros internacionais. Nesta foto dá pra ver que fica um cara, provavelmente servidor do Itamaraty, dizendo baixinho pro chefe o que é que os outros tão falando. E nesta mesa, em que Lula (que é ?o cara?) está ao lado de seu velho amigo Barack Obama, o jogo era duro: à frente deles, falando em mandarim, estava o primeiro-ministro chinês.

A escola francesa necessita atenção

Permitam-me os leitores habituais que eu me dirija, em particular, a quem, imagino, possa interessar os rolos da escola francesa.

Caríssimos governador LHS e vice-governador Pavan:

Sei que vocês se esforçaram bastante para trazer a filial da Escola Nacional de Administração, da França. E que pretendem que ela ajude a melhorar a qualificação dos servidores públicos à disposição do estado de Santa Catarina.

Gostaria de recomendar, como o crítico leal que sempre fui, que vocês tratem de encarregar alguém, de estrita confiança, que dê uma boa olhada no que está acontecendo na ENA-Brasil. E com urgência.

Tomei conhecimento, ontem, das reclamações de alunos quanto a várias inconsistências e indícios de irregularidades no processo seletivo. Se for verdade o que me foi relatado, a coisa tá um tanto quanto bagunçada.

Mas não precisam levar meus comentários a sério: peçam para que alguém idôneo e que não seja conhecido dos dirigentes da escola, dê uma conversada com os alunos e candidatos. Tanto com os satisfeitos, que foram aprovados, quanto com os insatisfeitos. Procurem ler os recursos apresentados (e também aqueles que foram recusados ou que sucumbiram numa das mudanças inesperadas de prazo). Vejam se não existem situações inaceitáveis para uma escola que deveria ser modelo.

Por exemplo: quem ficou inconformado com a nota recebida na prova dissertativa, foi proibido de ter acesso a ela, para poder formular um recurso ou entender a razão da nota. Parece que há mesmo uma advertência, no material da escola, informando que a decisão é irrecorrível, o que, em termos de administração pública, parece um excesso.

São vários pontos nebulosos, diversas queixas e várias dúvidas. Tenho certeza que qualquer investigador de boa fé conseguirá identificar essas questões e, quem sabe, sugerir um redicionamento dos procedimentos, para que os objetivos pretendidos sejam atingidos. Do jeito que está, não sei não, mas acho que se trata de uma bomba-relógio que, mais cedo ou mais tarde, acabará estourando no colo de um de vocês dois. E causando danos à imagem da administração de ambos.

Boa sorte e feliz Natal.

Pavan CONTINUA FALANDO

O vice-governador Leonel Pavan deu numerosas entrevistas nos últimos dias (hoje estará no programa do Salum, no SBT-SC). Em todas, mantém a linha de defesa que apresentou já na primeira entrevista, para o Diarinho, logo depois do indiciamento: não recebeu dinheiro, não mandou fazer nada pela empresa e a denúncia tem componente político-eleitoral.

O saco de bondades natalinas oficiais

Ainda não tive tempo de fazer um levantamento decente das bondades feitas no apagar das luzes do período de trabalho da Assembléia Legislativa.

O pessoal do Tribunal de Contas, por exemplo, ganhou presentinhos suculentos (inclusive, se não me engano, ressuscitando ?conceitos? de agregação que estavam extintos desde a época do Kleinubing governador). O andar de cima dos barnabés da Alesc também parece que teve agradinhos financeiros. Sem falar nos subsídios do governador, vice e secretários, que são um mimo para aqueles que têm, como teto de seus vencimentos o valor pago ao governador ou aos secretários.

E vai por aí afora. Foi bastante coisa. Até no Tribunal de Justiça houve a liberação de uma graninha de precatórios que estava sendo aguardada há tempos (e que beneficia uns 900 servidores).

Fepese, Alesc e o plágio

É muito engraçado ler que ?a UFSC quer saber nome de professor suspeito de plagiar questões da prova?.

Ora, se a Fepese foi a encarregada de fazer, fornecer e administrar as provas do concurso da Alesc, a responsabilidade por qualquer coisa que tenha dado errado, é da Fepese. Portanto, a UFSC já sabe que uma das suas fundações de apoio aplicou, irresponsavelmente, uma prova onde havia questões plagiadas.

E a Alesc, tão ciosa a ponto de anular todas as provas, mesmo as que não tinham sido plagiadas (talvez para dar uma segunda chance a alguém que tenha ido mal), sabe que a responsabilidade é da Fepese. Mas, mesmo assim, continua abraçadinha com a Fundação, como se esta fosse vítima e não culpada.

A Fepese, num movimento rasteiro de tirar o seu da reta, pretende fazer-nos crer que toda a culpa é de quem elaborou a prova. Em primeiro lugar, essa pessoa foi escolhida (a dedo?) pela Fepese. Que deveria, me parece, ter submetido a prova a algum tipo de revisão antes de aplicá-la. Tem culpa o autor da prova (e das cópias)? Claro. Mas também tem boa parcela de culpa a Fepese.

Se a UFSC quer ou precisa tomar alguma providência, deve primeiro acionar a Fepese. Depois, no curso do processo, se tiver que expulsar ou punir professores da universidade (afinal, dirigentes da Fepese também são professores, pois não?), que o faça. Sem aceitar que dirigentes da Fundação façam o joguinho que têm feito: ?ah, é um professor do departamento tal, mas não podemos dizer o nome?.

Estão brincando com a credibilidade e o bom nome não só da UFSC, mas também do Departamento de Jornalismo, responsável por um dos cursos mais respeitados e conhecidos do País. Com que objetivo? Proteger um plagiador ou apenas desviar a atenção de sua própria incompetência?

HO HO HO

O prefeito de Florianópolis e sua troupe conseguiram bagunçar completamente uma das festas mais tradicionalmente pacíficas. Que tipo de confusão pode ter no Natal e final de ano?

Decoração natalina e fogos de artifício é o essencial. Dependendo do ano e do caso, uma frescurinha a mais aqui ou ali. Não tem o que inventar, não tem como errar. Tem sido assim pelos séculos afora, no mundo todo.

Pois eles conseguiram: criaram um enredo complicadíssimo de árvore feiosa de dia e cheia de novidade eletrônica de noite, com palcos e infraestrutura que estavam no contrato, mas também estavam em outras licitações e outros contratos, numa confusão típica de mutretas e maracutaias.

Como resultado, vamos passar o Natal sob uma incômoda e desagradável nuvem de suspeitas, tendo que ouvir explicações tortas. Saco.

FELIZ NATAL E ATÉ MAIS

Caros leitores e leitoras, se a gente não se falar mais, feliz Natal! E um Ano Novo cheio de alegrias.

  •  
  • 18 dez 2009
  • Postado por Tiago

deolho18-lula-turma2 deolho18-lula-turma

Presidente Lula e comitiva, na sessão plenária da Conferência das Partes da Convenção da ONU, ontem, em Copenhague

Pediram pra sair

O governo LHS manteve a tradição de jamais exonerar (despedir) gente da equipe que tenha sido apanhada com a boca na botija ou seja suspeita em algum inquérito ou denunciada em algum processo.

Teve até um que saiu algemado da Secretaria da Fazenda (o Aldo Hey Neto, lembram?) e mesmo esse, foi ?exonerado a pedido?.

Ontem pediram pra sair o Pedro Mendes (que era diretor geral, uma espécie de sub-secretário da Fazenda) e o Anastácio Martins.

Os dois estão naquele mesmo rolo da operação Transparência que pegou o vice-governador Pavan. E o PMDB, que deve ter lá seus motivos, ainda fez o possível para que eles não saíssem.

OS ?HONESTOS? TREMEM

Quando apresentou o caso do Pavan para a imprensa, o delegado da Polícia Federal disse que a empresa corruptora só não foi beneficiada porque a mutreta teria sido brecada por ?funcionários honestos?.

Pois agora, a partir de janeiro, esses tais ?honestos? terão, como governador, um suspeito de ter recebido grana pra fazer o que eles impediram.

Que situação, né não?

Lua de mel à italiana?

Tava ontem no blog da coluna Visor, do DC:

?Feijão tropeiro, rapadura, paçoca e outras iguarias da culinária nordestina fazem parte do cardápio que será servido no casamento da senadora Ideli Salvatti com o sargento músico do Exército, Jeferson da Silva Figueiredo, marcado para às 17h de sábado, em um hotel no Norte da Ilha. Ela fez questão de convidar somente amigos próximos e familiares para não caracterizar como um evento político. No dia 20, o casal embarca para a Itália, onde permanece até o dia 5 de janeiro.?

Ora vejam só?

O tal patrocínio das cidades ao carnaval da Beija-Flor, como todos imaginavam, tem efeitos colaterais. O ?patrocínio? de Brasília, em 2010, virou disputa entre os mensaleiros do Arruda, a fundação do Joãosinho 30 e outros, todos afinal pacificados, por algum acordo interno sigiloso, segundo conta reportagem de O Estado de São Paulo.

Vocês sabem que, no último dia 8, a diretoria da Beija-Flor foi recebida pela dupla Dário & Mário com grande alegria. O projeto é que o carnaval de 2011 da escola seja ?patrocinado? por Florianópolis, assim como o de 2010 o é por Brasília. A alegria da dupla se explica: a coisa envolve ?captação de recursos? e isso, como sabemos, sempre dá pano pra manga.

O carnaval DA FUZARCA

Antes que fiquem muito entusiasmados com a maravilha que poderá ser o projeto Beija Flor 2011 dêem, por favor, uma relembrada na confusão que deu em agosto de 2005, quando começou a fazer água outro grande projeto carnavalesco: Florianópolis como enredo de 2006 da escola de samba Imperatriz Leopoldinense, do Rio de Janeiro.

Segundo o noticiário da época, a empresa constituída pra fazer a intermediação (arrecadar os milhõezinhos e fazer a distribuição, à escola de samba e demais interessados) tinha como endereço uma modestíssima oficina mecânica, em Barra Velha. Onde, claro, ninguém conhecia a empresa ou seus ?gestores?. E aí a coisa melou.

É bom saber que, depois da árvore milionária e nanica, que colocou Florianópolis na boca do povo do Brasil inteiro, a dupla Dário & Mário já prepara outro evento espetacular, que tem tudo pra dar outra confusão federal.

TRF breca esgoto da Casan no Rio Tavares

Deve ser publicada hoje a decisão do TRF atendendo ao pedido da procuradora Giorgia Sena Martins (na verdade um ?agravo de instrumento com pedido de efeito suspensivo?) e mandando parar, de novo, a obra com que a Casan pretende brindar parte da ilha de Santa Catarina com mais uma das suas.

A ICMBio tinha encontrado diversas irregularidades no Sistema de Esgotos Sanitários Campeche, que poderiam poluir ainda mais a Microbacia do Rio Tavares, com emerdamento (este neologismo criei em homenagem ao presidente Lula) até da Reserva Extrativista Marinha do Pirajubaé. E aí embargou a obra. A Casan esperneou, recorreu e agora a ICMBio conseguiu o efeito suspensivo do recurso.

Uma boa notícia. Vamos ver se dura até o Natal, pelo menos.

  •  
  • 17 dez 2009
  • Postado por Tiago

deolho17-convite

A ÁUSTRIA É AQUI

O governador LHS tá convidando todo mundo pra assistir a um ?concerto palaciano? de valsas vienenses, tocadas por uma orquestra que ele trouxe (com nosso dinheiro, como sempre), da Áustria. O festerê será domingo, no Costão do Santinho (claro, amigo é pressas coisas). Enquanto o Pavan dança, o LHS valsa…

Perguntar
não ofende

O político suspeito de embolsar R$ 100 mil foi investigado pela PF, indiciado, denunciado pelo Ministério Público, e corre o risco de enfrentar um longo processo, com grande desgaste e certamente algum prejuízo para seus planos eleitorais.

E os políticos suspeitos de embolsar R$ 2 milhões? Vão conseguir se safar na boa?

TJSC MANDA PARAR DE PAGAR
A árvore

O Ministério Público de Santa Catarina explicou bem explicadinho, no seu site, qual foi o resultado da sessão de ontem do Tribunal de Justiça. Trago os principais trechos:

?Por unanimidade, o Pleno do Tribunal de Justiça decidiu, na manhã desta quarta-feira (16.12.2009), ao apreciar recurso (agravo regimental) proposto numa ação popular, suspender o contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Florianópolis com a empresa Palco Sul, para instalação da árvore de Natal na Avenida Beira-mar Norte. O Pleno também decidiu, de forma unânime, pelo bloqueio dos pagamentos ainda pendentes à empresa contratada, que são a terceira e a quarta parcelas, somando R$ 1.580.000,00. (…)

Relator da matéria, durante a sessão do Tribunal Pleno o Desembargador Carlos Prudêncio modificou parcialmente sua decisão: proferiu voto mantendo seu entendimento pelo fim do sequestro dos pagamentos já efetuados pela Prefeitura, mas opinou pela suspensão do contrato e do pagamento das parcelas pendentes. O novo entendimento do relator atendeu aos pedidos formulados na ação cautelar proposta pelo Ministério Público e foi seguido por 27 dos Desembargadores presentes à sessão. Outros oito Desembargadores também votaram pela suspensão do contrato e dos pagamentos pendentes, mas opinaram ainda pela manutenção do sequestro do valor já pago à empresa pela Prefeitura, sendo vencidos nessa última questão?. (…)

Julgamento da árvore no TCE SÓ NO ano que vem

Um pedido de vistas (ah, os pedidos de vistas às vezes são tão providenciais?) de um dos procuradores do Tribunal de Contas (daquele órgão denominado Ministério Público Junto ao Tribunal de Contas, que não tem nada a ver com o Ministério Público propriamente dito), brecou o exame do caso na sessão de ontem à tarde. Com isso, Cavallazzi&Berger (irmãos do Mário&Dário) têm um refresco nas festas de final de ano.

Como lembram, o despacho da auditora Sabrina Nunes Iocken tinha determinado a suspensão dos pagamentos (tal e qual o Tribunal de Justiça acabou decidindo hoje) e convidava o ínclito Cavallazzi para explicar uma dezena de indícios de irregularidade no processo de locação da árvore de natal mais cara do mundo.

A NOVELA FEPESE/ALESC TÁ FEDENDO

Há inúmeras perguntas sem resposta nesse caso do plágio das questões de parte da prova do concurso da Fepese/Alesc. E, como tudo que fica sem esclarecer durante muito tempo, a coisa já começou a feder.

1. A Fepese é uma fundação de apoio às atividades da UFSC. Mas, sem apontar o nome de quem plagiou as questões, lança suspeitas genéricas e acusações retóricas à própria UFSC e ao Departamento de Jornalismo, em especial. Por quê?

2. Ao deixar ?vazar? que o plagiador pertence ao Departamento de Jornalismo, sem dizer seu nome, a Fepese lança a maledicência sobre todos os professores. Melhor seria ter dito logo de quem se trata, para que os demais não fiquem sob suspeição. Por que se protege o plagiador (ou plagiadora)?

3. Ao assumir a realização do concurso, a Fepese se coloca como responsável por tudo (principalmente pela cobrança dos honorários). Mas, neste caso, resolveu tirar o corpo fora da falha de segurança que apresentou. Faltou revisão, faltou competência da Fepese, mas nada disso será levado em conta. Por quê?

4. E por que a Assembléia Legislativa anulou todo o concurso, prejudicando 7000 candidatos, se houve problema apenas nas provas de cerca de 700 candidatos?

5. Por que a Alesc vai refazer o concurso com a mesma Fepese?

6. E a pergunta principal, que não quer nem vai calar: quem é o plagiador (ou plagiadora) do Departamento de Jornalismo? Esta é uma questão central, até porque vários professores e professoras que passaram por ali, eventualmente reprovaram alunos ou deram zero em trabalhos, por causa de plágio. Não tem cabimento ser rigoroso com o plágio dos alunos e condescendente com professor plagiador.

?Isso é o prenúncio de um escândalo. Mesmo que houvesse prejuízo econômico, era preferível suportá-lo do que conviver com o prejuízo moral de um ato absolutamente ilegal?

Desembargador Luiz Cézar Medeiros

?Parece evidente a existência de inúmeras irregularidades no processo de licitação, que impõem uma providência enérgica pelo Poder Judiciário?

Desembargador Jaime Ramos.

?Isso seria violar a inteligência média não do julgador, mas do povo?

Desembargador José Carlos Carstens Köhler, sobre a subcontratação das empresas para montar a árvore

[A autorização dos pagamentos] ?É o prenúncio de um grande problema no futuro?

Des. Moacyr de Moraes Lima Filho

  •  
  • 16 dez 2009
  • Postado por Tiago

BUNDALELê!

Estavam cobertos de razão aqueles que começaram a festejar assim que, mais ou menos por acaso (depois de três ou quatro desistências), o processo caiu nas mãos do desembargador Carlos Prudêncio, no Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Ele ontem, no final da tarde, derrubou as liminares que suspendiam o pagamento da árvore da fortuna.

A festa no apê irá até a madrugada. O suspeitíssimo contrato da árvore milionária foi mantido, o sobrepreço indecente foi mantido, as suspeitas de mão no baleiro foram mantidas. Os pobres habitantes da beira-mar norte terão suas noites sacudidas pelo som brega e estridente. Vai ter bundalelê, com certeza.

O povo de Florianópolis dançou. Marchou com alguns milhões, que agora, graças à providencial intervenção do desembargador, chegarão às mãos de onde nunca deveriam ter saído: a dupla Dário & Mário, que a esta altura está com o sorriso de orelha a orelha, taças de champanhe na mão e nas caixas de som, a todo volume, Bruno & Marrone ou um daqueles sertanejos universitários de preferência do prefeito.

Cavallazi, com certeza, voltará a mentir, respaldado pelo Tribunal de Justiça. E, tal e qual todo personagem indigesto, em algum momento dirá, cheio de razão: “vocês vão ter que me engolir”. Claro, afinal, pelo jeito a cidade é mesmo deles.

Só espero que o MPSC, que marcou um gol de placa com a investigação sobre o vice, não amarele justo agora. E que o TCE, que finalmente mostrou a que veio, não se deixe intimidar pela pressão que seus conselheiros políticos certamente receberão e exercerão.

O desembargador Carlos Prudêncio patrocinou um duro golpe no Natal daqueles que amam Florianópolis e a verdade. Só espero que tenha feito isso amparado em firmes convicções, porque esta história irá parar, com certeza, no Conselho Nacional de Justiça. O bom e ordeiro povo de Florianópolis não merece que tudo fique como está.

Em poucas palavras…

Agora a modinha é o tuíter (ferramenta de internet que permite publicar textos de no máximo 140 caracteres), então republico aqui o que escrevi lá (twitter.com/cvalente) a respeito da denúncia, formulada pelo Ministério Público de Santa Catarina. Pelo simples fato de que não há muito o que dizer:

# O MPSC confirmou a denúncia, ao TJ, dos sete indiciados da operação Transparência

# O procurador confirmou que o vice-governador está enroscado até o gogó. E foi investigado com autorização do TJ.

# Depois de meses de escuta autorizada, o MPSC e a PF concluíram que Pavan deve ser denunciado por corrupção passiva…

# Em certas rodas, pega mal ser “passivo”, mas estar denunciado por corrupção passa batido…

A última dos vereadores DA CAPITAL

A Câmara de Vereadores de Florianópolis não pode ser considerada, a rigor, uma caixinha de surpresas. O prefeito tem ali sólida maioria e uma estreita aliança com o presidente da Casa, o que torna virtualmenet impossível aprovar ou rejeitar qualquer proposta que contrarie os desígnios superiores.

Segunda à noite, a Câmara votou um projeto que, por si só, é de deixar os cabelos das pessoas de bem em pé. “Regulariza” o que antes estava irregular (ou clandestino!), jogando por terra as normas anteriores e considerando imbecis e idiotas tanto os otários que seguiram as normas, quanto os servidores municipais que tentaram fazer as normas serem seguidas (e certamente foram dissuadidos, a cada passo, pelos vereadores, aos longos das legislaturas):

“Por unanimidade (16 votos), a Câmara de Vereadores aprovou na sessão da noite de hoje (14/12) o projeto de lei 950/2008, do Executivo, prevendo que as construções irregulares, clandestinas e não adequadas para atividade originalmente legalizada existentes no município até 31 de dezembro de 2006, poderão ser aprovadas para fins de concessão do “habite-se”. O projeto aprovado considera irregular a construção, reforma ou ampliação de edificações executadas em desacordo com o projeto aprovado pela Prefeitura. Por clandestina considera a construção, reforma ou ampliação de edificações executadas sem a aprovação dos setores competentes municipais. Segundo informações da Prefeitura, 61% dos imóveis em Florianópolis não estão regularizados e funcionam com alvarás “ex-oficio”, de caráter precário.”

Pra mim (que posso estar completamente errado, uma vez que sou praticamente um ancião ranzinza e de paciência escassa), é um escândalo. Afirmam, os senhores vereadores e o senhor prefeito, que, quando a maioria comete um crime, uma contravenção, desobedece alguma norma ou lei, esse fato deve ser considerado relevante para que seja concedida anistia ampla e irrestrita.

A seguir esse raciocínio, se 61% da população estiver sendo processada por roubo, caberia votar alguma coisa que revogasse o mandamento “Não roubarás” e toda a legislação que impeça a apropriação dos bens alheios.

Não estou exagerando. Foi exatamente isso que foi aprovado: quem instalou uma empresa em área residencial, em vez de ser expulso e tirado dali, como previa a lei e como esperavam os vizinhos, terá oportunidade de legalizar a invasão. Chance de ouro de lavar a contravenção, limpar as impressões digitais do crime e que se danem os 40% que estão adequadamente instalados. Quem mandou serem burros e confiar na lenda de que lei é pra ser cumprida. Dane-se a lei.

Sempre poderemos confiar que apareça uma dupla caipira, tipo Dário & Gean, disposta a fazer vistas grossas aos irregulares e clandestinos. Se a lei incomoda, atropela-se a lei.

UMA CAMPANHA DO TIO CESAR PRA NÃO DEIXAR QUE A Árvore DE NATAL QUE SÓ DÁ GALHO AZEDE O NATAL FLORIANOPOLITANO

  •  
  • 15 dez 2009
  • Postado por Tiago

Os moribundos se arrastam e a caravana passa?

deolho15-moribundos

Se a gente pensar bem, não tem por que se preocupar com os fatos recentes envolvendo o vice-governador e o Natal de Florianópolis. Não se trata, a rigor, de novidade.

Ou vocês já esqueceram que tivemos o próprio governador às voltas com ações judiciais que lhe pediam a cabeça, tramitando no TSE durante muito tempo? LHS ainda continua tendo que dar atenção ao STJ, porque lá rasteja uma ação de improbidade do tempo do Ariri Pistola.

O próprio vice relembra, candidamente, que teve vários moribundos assombrando parte da sua vida pública, para dizer que este, levantado pela investigação da PF, é apenas mais um.

E por que incluí o Natal de Florianópolis neste raciocínio tortuoso? Ora, porque este tipo de festa nasceu (sou capaz de apostar), da cabeça criativa do LHS. Dário & Mário não teriam capacidade de pensar, sozinhos, em Andrea Bocelli. Dário & Mário não teriam a idéia de ir atrás uma árvore tecnológica, um gigantesco gadget eletrônico. E quase todas as idéias brilhantes (e em geral tendentes à megalomania) do LHS, acabam também despertando a curiosidade dos controladores dos gastos públicos.

A partir das idéias mirabolantes do chefe, os operadores começam a trabalhar no limite da lei, para tentar traze-las à realidade. Equilibram-se na corda bamba. Às vezes embaralham a tênue fronteira entre o público e o privado, às vezes assumem os riscos de ter que explicar nos tribunais o que estavam fazendo naquela floresta os inocentes chapeuzinhos vermelhos governamentais.

Mas nada disso atrapalha os planos, nada atrasa a caminhada e nenhum desses eventos judiciais ou policiais tem, realmente, importância. Assim como LHS continuou a realizar seus projetos mesmo com moribundos movendo-se a espantosa velocidade nos escaninhos dos tribunais superiores, confiante na capacidade protelatória dos advogados pagos com a venda de um carrinho da D. Ivete, Pavan assumirá e, se a denúncia for aceita, governará sub-judice. Os advogados, já se anunciou, serão os mesmos que tiveram sucesso no caso LHS. Os estoques de recursos legais enchem armazéns imensos, como aqueles em que o então candidato a vice-governador estocava material de campanha.

E, se for o caso, Pavan, ou Dário, ou Cavallazzi, também poderão vender um carro, pra sustentar seus defensores. LHS já mostrou que esse é o caminho.

Nada de muito sério deve acontecer ano que vem. E o eleitor, como sempre, votará sem levar em conta a quantidade de moribundos de cada um. Como se fossem mundos paralelos, mas isolados: num, o eleitor acredita no que lhes dizem os candidatos no horário eleitoral e aceita e pede os favores dos cabos eleitorais da vizinhança. No outro, meia dúzia de indignados fica berrando no deserto, apontando as prateleiras dos tribunais, onde moribundos se arrastam, qual processos intermináveis, e os puros de coração que sofrem essa perseguição injusta, comemoram cada adiamento, brindam a passagem de cada ano que passam fora da cadeia, certos que o eleitor, no outro mundo, não vê nada, não ouve nada e fala muito pouco.

Literalmente, enquanto os moribundos se arrastam (nos tribunais), a caravana passa?

candidaturas

Com a convenção deste final de semana, parece que ficaram sepultadas (pelo menos por enquanto) as suposições de um golpe dentro do PMDB, que deixaria o Dr. Moreira a pé e colocaria no seu lugar, como candidato a governador, o prefeito de Florianópolis, Dário Berger. As manifestações foram todas de apoio ao Dr. Moreira. E ninguém falou na tal tríplice aliança.

O PP também anunciou oficialmente, em nota distribuída ontem, que ?a Deputada Federal Angela Amin é a pré-candidata do Partido ao Governo do Estado nas Eleições 2010?. Sem prévias.

Árvore DE NATAL MILIONÁRIA também dá galho no TCE

Palavras da auditora Sabrina Nunes Iocken, do Tribunal de Contas do Estado, sobre o pedido do vereador João Amin (PP), para que opinasse sobre a dispensa de licitação da árvore dos milhões:

?Diante do exposto e considerando todas as irregularidades que permeiam a Inexigibilidade de Licitação nº 519/2009, promovida pela Prefeitura Municipal de Florianópolis, e ainda o Contrato nº 1056/2009, firmado com a empresa Palco Sul Eventos, além do Poder Geral de Cautela inerente à atuação desta Corte de Contas, decido:

1. Determinar à Prefeitura Municipal de Florianópolis, com a finalidade de prevenir futuras lesões ao erário, que não sejam pagas as parcelas pendentes do Contrato nº 1056/2009 até que esse Tribunal de Constas se posicione sobre a sua legalidade.?

Bom, essa providência do TCE soma-se às decisões liminares do juiz da Vara da Fazenda, em duas ações, ambas pela suspensão de pagamentos da árvore da fortuna.

Estas foram, em resumo, as irregularidades detectadas pelo TCE no contrato para montagem da árvore milionária, que o secretário Cavallazzi será convidado a explicar:

* ?Realização da Inexigibilidade de Licitação nº 519/2009 sem amparo legal (…);

* Razão da escolha do fornecedor ou executante insuficientemente demonstrada (…)

* Ausência de justificativa do preço da contratação (…)

* Ausência de elementos que demonstrem a qualificação técnica da empresa contratada para a execução do objeto (…);

* Ausência de projeto básico e orçamento detalhado em planilhas que expressem a composição de todos os seus custos unitários (…)

* Ausência do regime de execução do objeto (…).

* Divergência entre a altura da árvore de natal que foi prevista no contrato (60 metros) e a efetivamente executada (máximo de 46 metros), demonstrando que houve falha na execução do contrato (…)?

  •  
  • 12 dez 2009
  • Postado por Tiago

CESAR-deolho12-12-2009

  •  
  • 10 dez 2009
  • Postado por Tiago

“Eu e o Aécio temos timings diferentes”

Governador José Serra (SP), sobre o outro pré-candidato tucano, Aécio Neves

Emissário de Serra pede

a cabeça de Arruda

O ex-deputado tucano João Faustino (RN) esteve em Brasília passando um recado do presidenciável José Serra: “É preciso expulsar Arruda para preservar o discurso anticorrupção”. O futuro de José Roberto Arruda no DEM será definido nesta sexta-feira, após aparecer em vídeos recebendo dinheiro de origem suspeita. Faustino teve um filho preso pela PF, há um ano, por desvio de recursos do PAC.

Pressão

João Faustino teve conversas reservadas com seu conterrâneo Agripino Maia (RN), líder do DEM no Senado.

Suplente

O emissário João Faustino também é suplente do senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), mas está licenciado.

Em 2009

A média mensal de gastos do governo Lula com cartões corporativos é de quase R$ 5 milhões por mês, mais de R$ 170 mil por dia.

No tempo das diligências

Ladrões à antiga alugaram uma casa, cavaram túnel e levaram R$10 milhões de empresa em SP. Que trabalheira. Modernos fazem licitação.

Aspone Garcia garante grana ‘extra’ no bolso

Marco Aurélio Top-Top Garcia nada tem a ensinar aos diplomatas brasileiros, mas fez o Ministério das Relações Exteriores, através da Fundação Alexandre Gusmão, pagar a ele um cachê de R$ 3 mil para dar uma palestra no dia 13 de outubro. O aspone assinou o contrato com “inexigibilidade de licitação”, que a lei prevê para quando não há outra pessoa ou empresa apta a prestar o serviço. Não era o caso.

Daqui não saio

O PSB “rompeu” com Arruda, mas o deputado distrital Rogério Ulisses é contabilizado como membro da sua base de apoio na Câmara.

Feirão judiciário

O Tribunal de Justiça do Maranhão divulgou sua frota de veículos oficiais: 98. O mais velhinho é um Kia Besta, de 2000.

É hoje só

Em homenagem ao Dia Mundial de Combate à Corrupção, a propina ontem baixou 2,5%.

Por que parou?

O deputado Celso Russomano (PP-SP) recolhia assinaturas para uma promissora CPI dos Cartões de Crédito, e há um mês ele evita explicar o que o fez desistir. Devem ter sido os argumentos. Muitos argumentos.

Ou vai ou racha

O DEM bateu o martelo, apesar da resistência de um deputado federal ligado ao governador do DF: vai propor a expulsão de Arruda por aclamação. Nada de voto secreto, que o estatuto também permite.

Mais pobreza, mais corrupção

Relatório da Advocacia-Geral da União, no Dia Internacional de Combate à Corrupção, mostra que a roubalheira e a improbidade administrativa grassam nas regiões mais pobres. Lalaus afanaram R$1,6 bi em 2009. O Maranhão é recordista em execuções do TCU.

Assessora ‘caxias’

A Associação Caxiense de Imprensa acusa Ana Paula, assessora de Sérgio Cabral, de expulsar um fotógrafo em evento do governador do Rio, dia 2. A assessora parece necessitar de chá de camomila na veia.

Julgamento é hoje

O Tribunal Superior Eleitoral deve julgar nesta quinta-feira o tucano José Anchieta Jr governador de Roraima, que pode até ser cassado. Os denunciantes desistiram da ação. O Ministério Público, não.

Próxima novela

Outra bomba na oposição: a Operação Transparência, da PF, envolve o vice-governador tucano de Santa Catarina, Leonel Pavan, em suposta rede de sonegação fiscal com combustíveis. Há fitas gravadas.

Lula do mundo

Após passar o fim de semana em São Bernardo do Campo e participar da reunião do Mercosul em Montevidéu, no Uruguai, na terça, o presidente Lula vai hoje ao Peru. E dia 18 a Copenhague (Dinamarca).

O pequeno príncipe

Até os franceses, que adoram “o cara”, ironizaram: o jornal Libération chamou de “Lulalá no Ano Novo” a estréia de “Lula, o filho do Brasil”, que invadirá as telas em janeiro, “às vésperas da eleição presidencial”.

E o dia da cadeia?

Inventaram só um dia internacional para combater a corrupção porque um ano inteiro de combate são outros 30%.

PODER SEM PUDOR
Tentativas inúteis

Contam na Paraíba a contrariedade do jornalista Manoel Fernandes Silva, por ser o único esquerdista que não foi molestado pelo golpe de 64. Ele se esforçou: escreveu artigos atacando a ditadura, denunciou-se à polícia etc. Uma noite, impaciente, foi ao 1º Grupamento de Engenharia do Exército e gritou: “Viva Fidel Castro!” O sentinela respondeu baixinho, piscando o olho:

– Viva!…

  •  
  • 10 dez 2009
  • Postado por Tiago

deolho10-LHS-Pavan

Preocupações em dose dupla…

O Superior Tribunal de Justiça (STJ), informa a Folha, vai julgar ação contra governador de Santa Catarina por improbidade. É uma dos tempos em que ele ainda era prefeito de Joinville. A mesma que, uma semana atrás, anunciaram no Palácio que não ia dar em nada.

A decisão é da Corte Especial do tribunal superior ao analisar recurso do governador, que pedia que ação fosse extinta.

LHS, portanto, é mesmo um cara experiente. Tem moribundo se arrastando desde o tempo do opa. E a história do foro privilegiado atrapalha muito o lento arrastar do morto-vivo: quando o suspeito é prefeito, tem que se alojar nos escaninhos privilegiados. Daí, o cara deixa de ser prefeito, o proto-cadáver desce de lá e muda de necrotério. Aí o objeto do processo torna-se governador. Lá vai o molambento moribundo, cada vez mais pesado e com mais páginas amarelecidas se esfarelando, de novo para a prateleira de cima. Agora chegou ao STJ. Cansado, com fome e com sede.

Não estamos muito preocupados com o desfecho desse caso, até porque, pra todos os efeitos, o suspense criado com o novíssimo enrosco do Pavan, nem deixa a gente prestar atenção em outra coisa. Mas não deixa de ser interessante, ver o governador e o vice às voltas com moribundices galopantes?

O verão dA IMOBILIDADE?

Olha só o trechinho inicial de um texto distribuído ontem pela Câmara de Vereadores de Florianópolis:

?Governo estadual admite que mobilidade será o grande desafio neste verão em SC

A maior das preocupações das autoridades estaduais quanto ao desempenho da temporada de verão 2009/10 em Santa Catarina não é o tempo, embora seja fundamental também, mas sim a mobilidade dos 4 milhões de turistas esperados, que deverão encontrar dificuldades no transito de rodovias, avenidas e ruas das principais cidades, admitiu hoje (09/12) o secretário estadual de Turismo, Cultura e Esporte, Gilmar Knaesel, ao participar da ultima reunião do ano do Fórum de Parlamentares de Câmaras Municipais da Grande Florianópolis, na sede do Legislativo da Capital.?

O governo LHS, do qual o secretário Knaesel faz parte, está no poder desde 2003. Boa parte desse tempo, teve, na prefeitura da capital, um aliado do tipo ?unha e carne?. Mas o discurso, me parece, é de político marciano, recém chegado ao planeta terra.

E está lá a certa altura, uma quase queixa: ?Gilmar Knaesel não escondeu a preocupação quanto a infraestrutura urbana de muitas cidades turísticas, principalmente Florianópolis, com o iminente de registro de enormes congestionamentos de transito?.

E como se o problema não tivesse nada a ver com o governo do qual ele (embora tenha esquecido) faz parte, meio que lavando as mãos, disse: ?O que o governo do Estado tinha para fazer no sentido de atrair o turista para cá, fez o quanto pôde?.

Também se esquece o secretário que, se a renúncia fiscal que abasteceu seus fundilhos milionários tivesse sido mais cautelosa, o tesouro estadual talvez tivesse um pouco mais de recursos para investimentos em, quem sabe, algum projeto de? mobilidade.

os palhaços sOmos nÓs!

Começa hoje às 9h, na Câmara dos Deputados, em Brasília, o 1º Seminário dos Palhaços Brasileiros. Sério. Podem perguntar pro deputado João Matos (PMDB), que, com outros três parlamentares assumiu a iniciativa do troço. Os palhaços pretendem obter a regulamentação da atividade e a criação de um projeto de lei que permita a aposentadoria dos palhaços.

Nada supreendente, uma vez que já está mais que comprovado que somos o país da piada pronta (suplantando, em larga medida, Portugal e Paraguai). E, piadas à parte, extremamente oportuna a medida, encaminhada pelo ínclito deputado da vala do Itajaí. Vai beneficiar alguns milhões de pessoas. Afinal, tecnicamente, todos os contribuintes/eleitores já podem ser considerados palhaços profissionais. Nada mais justo que recebam algum benefício pela atividade.

MP também TÁ na árvore!

O Ministério Público de Santa Catarina entrou ontem com uma ?ação cautelar inominada preparatória à ação civil pública, requerendo ao Judiciário que determine a suspensão do contrato n° 1056/09, firmado entre a Prefeitura Municipal de Florianópolis e a empresa Palco Sul Eventos Ltda.?.

Justamente, aquele cujo objeto é a ?criação, execução, montagem e desmontagem de Árvore de Natal com aproximadamente 60 metros de altura e estrutura em alumínio, fabricada para suportar em total segurança adversidades climáticas?, no valor de R$ 3.700.000,00.

A ação também requer a imediata suspensão dos pagamentos pendentes à empresa contratada.

A coisa tem várias irregularidades, com suspeitas de todo tipo. Pra começar, não fizeram licitação porque disseram que só a Pal(no)co Sul podia fazer o troço. E aí o serviço foi terceirizado para outras empresas. Depois, a prefeitura (com o governo LHS por trás) pagou R$ 3,7 milhões e a Pal(no)co Sul pagou pra quem fez o serviço, menos da metade.

Parece piada.

E ainda chamam a coisa toda de ?O maior Natal do Brasil?. Dá uma olhada no site ?www.omaiornataldobrasil.com.br? pra ver.

deolho10-patrocinio-natal

Patrocinio natal

DINHEIRO PÚBLICO MESMO

Por falar nisso, que coisa mais estranha que é esse tal site da árvore.

Além de ter páginas ?em construção?, que é uma das coisas mais anti-modernidade que existe, tem páginas com tijolões de texto que até desanimam.

E, pra completar, informa, com todas as letras, que um dos patrocinadores é o Funturismo. E isso, caros amigos, desmente totalmente o secretário sem noção que pretendeu fazer-nos crer que não havia dinheiro público naquela esquisita sucessão de eventos que resolveram rotular (mentirosamente) de ?o maior natal do Brasil?.

Ah, e a questã da altura da árvore. O secretário sem noção teve o desplante de dizer que quando a prefeitura se refere a uma árvore de 60m, estava se referindo a alguns metros acima do solo e outros tantos abaixo do solo. Só que, no mundo todo, ?altura? é medida a partir do solo.

?Equivalente a um prédio de 20 andares? está escrito lá, no site, na propaganda oficial! E pra isso faltam uns 17m.

Fico muito injuriado de ser tratado como imbecil por aqueles a quem meus impostos pagam o salário. Cáspite!

  •  
  • 09 dez 2009
  • Postado por Tiago

TRANSPARÊNCIA

PAVAN tá ou não tá?

O vice-governador Pavan deve ter passado uma noite tensa, esperando pra ver, hoje, se a PF o incluiu nos rolos dos empresários paranaenses ou deixou de fora.

Claro que, dentro da tal tríplice aliança, ninguém admite, mas alguns acompanham a novela com apreensão e outros, com alegria incontida, loucos para tirar um dos concorrentes do páreo.

Uma puxada de tapete agora, às vésperas de assumir o governo, vai sacudir o cenário da sucessão estadual, com reflexos ainda impossíveis de serem calculados.

Por enquanto, cautela e caldo de galinha é o que recomenda o bom senso para aqueles que podem ser atingidos, positiva ou negativamente, pelo capítulo de hoje.

os guarda-costas…

Os meios de comunicação são mesmo muito interessantes. Tem umas coisas que a gente não consegue entender, e outras que a gente não consegue explicar.

Por exemplo: o prefeito da capital é o Dário Berger (ex-PFL, ex-PSDB, por enquanto no PMDB). Foi ele que, junto com seu amigo de infância, LHS, decidiu o que se faria no Natal de Florianópolis.

É provável que o secretário de turismo tenha dado um ou outro palpite, mas certamente os maiores responsáveis por tudo de bom e de ruim que se encontre na extensa programação que vai infernizar por semanas o sono dos moradores da avenida beira-mar norte, são o Dário e o LHS.

Pois se a gente ler com atenção o noticiário, vai achar que o secretário Cavallazzi, do turismo municipal, é o único responsável. Eu mesmo já me peguei tratando-o como se a decisão de não licitar a árvore milionária e de trazer o tenor miliardário, tivessem sido dele.

Claro que ele pode ser considerado cúmplice, se algo de errado tiver ocorrido. Conivente, talvez. Mas não deve ser malhado como um judas fujão, enquanto os verdadeiros “culpados” ou “suspeitos” escapam ilesos e ficam só assistindo de longe.

O Dário tem prática disso: outro dia, em algum rolo relacionado com transporte (e a tal “mobilidade”), o vice-prefeito e secretário dos transportes levou várias cacetadas, que deveriam ser desferidas no cocoruto retórico do seu chefe.

É muito nobre, da parte dos subalternos, colocarem-se diante da bala assassina, da reprimenda feroz ou da palavra ferina. Mas completamente ineficaz do ponto de vista do aperfeiçoamento democrático: seus idolatrados chefes acabam não sentindo, na pele, a vontade do eleitor/contribuinte desgostoso ou desiludido.

Saem magoados o Cavallazzi, o João Batista, o Kanesel e tantos outros, enquanto são preservados e mantidos no pedestal das honras terrenas, os responsáveis pelos feitos e desfeitas que tanto nos irritaram, indignaram e embruteceram. Pra não dizer outras coisas.

Ontem publiquei uma foto do governador LHS sendo condecorado e esqueci de colocar o devido crédito: o fotógrafo foi o James Tavares, da SECOM.

governo itinerante

Também ontem lancei (de brincadeira, claro) um desafio: “responda rápido: onde o presidente Lula está neste momento?”

Pois não é que o The Flash, deu uma chegadinha no Brasil abraçou o Ronaldo e ontem já estava em Montevideo, no Uruguai? Agarradinho com o Chávez.

  •  
  • 08 dez 2009
  • Postado por Tiago

HAJA MEDALHA…

Eu sei que eles fazem com a melhor das intenções, sei que, na maioria dos casos, querem realmente demonstrar gratidão e imagino que até exista quem mereça medalhas, comendas, diplomas, títulos honoríficos.

Mas não consigo deixar de ficar assustado, incomodado mesmo, quando vejo coisas como a mostrada nesta foto da direita: um oficial nomeado pelo governador (que, por falar nisso, é o comandante supremo das polícias estaduais), pregando, no peito de seu chefe, uma medalha. Mais uma.

No caso da foto ao lado, trata-se da Medalha Comemorativa dos 25 anos do Colégio Militar Feliciano Nunes Pires. Solenidade realizada no último dia 4. Pode ser excesso de zelo da minha atribulada pessoa, mas sempre me parece constrangedor um subordinado condecorar um superior. Até explicar que foi homenagem espontânea, sincera e merecida e que nada tem a ver com o fato do governador fazer as nomeações e autorizar os gastos, vão gastar muita saliva.

E HAJA TROFÉU

O governo do estado anunciou os ganhadores do troféu Beto Carrero de Excelência em Turismo deste ano. Lembram que no ano passado, no troféu de estréia, um dos ganhadores foi o governador LHS e outro, o Parque do cara que deu nome ao troféu.

Pois este ano LHS ficou de fora (injustiça!). Mas deram o troféu Beto Carrero, claro, ao Beto Carrero (in memoriam). E a cidade escolhida no ano passado (Florianópolis), também foi escolhida este ano. Hum… parece que se trata de uma ação entre amigos, né?

GOVERNO ITINERANTE

Responda rápido: onde o presidente Lula está neste momento? Agora, exatamente nesta hora em que o prezado leitor e a querida leitora lêem estas mal-traçadas?

Difícil, né? Tanto pode estar em Copenhagen, quanto a bordo do seu palácio voador, retornando, ou em algum outro país europeu. Ou da América do Sul. O fato é que Lula demonstrou ser o presidente da mobilidade. Sem uma consulta à internet, a gente não pode afirmar, com segurança, onde ele está.

E, na dúvida, diga que está no exterior. Tem uma chance maior de acertar do que aquele que disser que ele está no Brasil.

Bom, mas na sua última peregruinação pela Europa, Lula levou Dilma pra passear de trem bala. Um trem moderno que corre pacas. Foi na sexta-feira passada. Quando vi essas fotos aí no site da Presidência, não resisti e fiz mais uma das minhas brincadeirinhas clássicas. Espero que os lulistas de carteirinha, sempre tão sensíveis, não se ofendam…

Lula & partner a mil no trem-bala alemão

  •  
Próxima Página »