• Postado por Tiago

INTERNA_10_abre_José-Luiz-reclama-celesc_foto-luz-clarita-(2)Zé Luiz vai entrar na dona justa contra a Celesc

Faz cinco meses que a família Rocha está recebendo contas da Celesc pelo menos 450% mais caro do que pagavam em meados do ano. Os Rocha, que costumavam gastar R$ 70 com a conta de luz, em novembro chegaram a receber um talão de R$ 705,11. ?Isso é um roubo, um abuso?, bufa José Luiz Rocha, 42 anos.

Tudo começou em agosto, quando a conta chegou a R$ 393. Nos meses seguintes o custo da energia pulou para R$ 602,28, R$ 600,18, e R$ 705. Zé Luiz tá cabreiro porque moram na casa ele, a mulher e três filhos adolescentes. Além disso, a família tem o bom hábito de economizar energia elétrica. Kátia, mulher de Zé Luiz, diz que só tem uma TV, uma geladeira, passa ferro só uma vez por semana e ainda todas as lâmpadas da casa são frias. Ela compara a conta de luz da família dos últimos meses com a do prédio do pai dela, onde em 10 apartamentos o gasto é de, em torno, R$ 600 por mês.

Zé Luiz e Kátia chamaram a equipe técnica da Celesc por duas vezes e ouviram que o problema estava na fuga de energia dentro da casa e não no relógio. Contrataram então dois eletricistas particulares que disseram que não havia nenhum problema na casa. Em outubro voltaram a chamar a Celesc e um técnico da força e luz alegou que o chuveiro estava ligado no aterramento e por isso tava rolando a tal da fuga de energia.

A fiação foi arrumada e a família acreditou que o problema já tinha sido resolvido. Em novembro a conta veio novamente salgada e a deste mês chegou a R$ 444,61.

Para eles, é impossível pagar tão caro pela eletricidade porque o relógio da casa mal se mexe, ou seja, tá medindo o pouco consumo de energia que a família sempre teve.

A cabreirice dos Rocha é que no escritório da Celesc foram atendidos até agora somente por um funcionário, de nome Hélio. O máximo que o cara fez foi propor parcelar a conta em 10 vezes com uma entrada de R$ 700. Isso, sem falar que os juros eram mais altos do que os do banco. Mesmo assim, por serem de bem, os Rocha pagaram a conta, que foi de R$ 2364.

Zé Luiz e Kátia dizem que vão entrar na dona justa.

Só no papéli

O DIARINHO entrou em contato com a Celesc de Itajaí e recebeu como resposta do supervisor de faturamento, identificado como Erivelto, que por telefone nenhuma informação pode ser repassada. Erivelto disse que só por um ofício a imprensa teria o parecer oficial da empresa. ?Essa é a ordem repassada aos funcionários?, explicou.

Na assessoria de imprensa da empresa, que fica em Floripa, a informação dada foi a de que somente a gerência do escritório de Itajaí poderia se manifestar sobre o assunto. Omar Bernardino Rebelo, o Baga, chefão da força e luz de Itajaí, não estava ontem à tarde no escritório e não atendeu ao telefone.

  •  

Deixe uma Resposta