• Postado por Tiago

INTERNA-10-ABRE----g---gilmar-mendes-(5)

Gilmar Mendes inagurou posto de conciliação na Univali

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, pintou ontem na Santa & Bela pra canetear a implantação de programas que deixam a dona justa mais acessível ao povão. A visitinha foi em Florianópolis e Balneário Camboriú, e também incluiu uma forcinha a projetos sociais que promovem a paz e estimulam a contratação de presos no mercado de trabalho.

O passeio do ministro começou pela capital. Ele assinou um termo de colaboração entre o conselho nacional da dona justa, o tribunal de justiça da Santa & Bela, o tribunalzão da 4ª região e o tribunal eleitoral catarina, pra aderir ao programa Casa da Justiça e Cidadania, aprovado no final do ano passado. O programa prevê a implantação de centros onde advogados voluntários vão dar uma mãozinha ao povão pra solucionar conflitos antes que cheguem às mãos do juiz.

Foi inaugurado um posto de atendimento e conciliação (PAC) em Floripa e outro na Maravilha do Atlântico, junto à Univali. Gilmar Mendes, cercado de bambambans do Direito, fez questão de destacar a importância de trazer a justa pra mais perto do povão. ?É uma prática fundamental pra que possamos realizar mais direito com a mínima participação judicial?, lascou.

Ele comentou que a intenção é diminuir a sobrecarga de processos que ficam anos e anos tramitando na dona justa. ?Chegamos a 70 milhões de processos no ano passado?, contou. O ministro só se embananou nas contas. ?Isso é três processos pra cada brasileiro?, soltou.

Preocupação com as cadeias

O plá com o ministro na Univali contou com a participação de 16 presos do cadeião peixeiro. Eles são a primeira turma de enjaulados a fazer parte de um curso de formação pra pescadores profissionais. Mesmo cercados de agentes prisionais fortemente armados, os presos acompanharam com atenção a fala do dotô.

Gilmar Mendes comentou a situação do sistema carcerário brasileiro, e disse que é hora dos juízes se ligarem nessa realidade. ?Somos nós que definimos quem vai pra cadeia?, lembrou. Ele comentou sobre a importância de um banco de dados eficiente pra que nenhum preso passe mais tempo do que deveria na prisão. ?Queremos que ninguém fique um só dia a mais do que deveria num presídio?, afirmou.

Depois do blablablá, o ministro seguiu pro Sibara Flat, na avenida Brasil, onde rolou um seminário sobre mediação de conflitos entre aborrescentes, família, escola e a lei. O evento, organizado pela associação dos magistrados catarina, teve participação do conselho tutelar, psicanalistas, juízes e promotores.

Dotô Gilmar fez questão de aparecer pra participar da solenidade de adesão das 11 cidades que formam a associação de municípios da foz do rio Itajaí-Açú (Amfri) no projeto Agentes da Paz, criado pela juíza Sônia Moroso, da vara da infância do Balneário. O objetivo é educar a criançada pra praticar a paz.

  •  

Deixe uma Resposta