• Postado por Tiago

SEGUNDA-SEIS-p--operação-pente-fino-(2)

Só na última operação foram apreendidos 26 celulares

O administrador interino do presídio de Itajaí, José Luis Santos de Araújo, o popular Carioca, afirmou ontem que, enquanto o cadeião não for bem equipado, não tem como impedir a entrada de celulares pros presidiários. Na semana passada, uma operação pente-fino guentou 26 aparelhos com os presos e uma investigação da Central de Operações Policiais (COP) descobriu que João Rondineli Porto Starosk, o Roni da Polaca, comandava uma quadrilha de tráfico de drogas de trás das grades.

O chefão do presídio explica que enquanto os equipamentos de fiscalização não forem modernizados e a equipe de segurança não for reforçada, a entrada de celulares dentro do cadeião pode continuar acontecendo. ?Não temos como impedir a entrada. Eles encontram várias formas de pôr os aparelhos pra dentro, e atualmente estamos trabalhando com cerca de três policiais para monitorar quase 700 presos?, lasca.

Os telefones chegam aos detentos principalmente pelas visitas e atirados por malacos do lado de fora do presídio, por cima dos muros. O administrador conta que o que mais acontece é a mulherada esconder os aparelhos na perseguida e passar diboa pelo detector de metais, que não consegue identificar objetos mocosados desta forma.

Uma solução seria renovar o equipamento, como um detector adotado nas penitenciárias federais, que apita até quando os objetos de metal estão muito bem escondidos nas gurias. Porém, a tecnologia ainda não chegou nos cadeiões estaduais.

Os bloqueadores de celulares, outra saída pra impedir a farra de ligações de dentro da prisão, já foram solicitados no último mês à secretaria de segurança pública da Santa & Bela. Mas até agora os abobrões não deram resposta ao administrador do presídio.

Sindicância

Carioca não soube informar se será aberta uma sindicância para apurar como o celular usado por Roni chegou ao cadeião peixeiro. Se realmente foi repassado por uma visita ou se teve auxílio de algum agente prisional. Carioca informou que o único que pode falar sobre isso é o administrador da jaula, Maurílio Antonio da Silva, que tá de férias.

Falando em Roni da Polaca, um leitor ligou ontem para informar que, diferente do que foi divulgado no DIARINHO no sábado, o traste foi preso pela última vez em 2008 e não 2007. O cara tava em prisão domiciliar e aproveitava a folga da jaula pra assaltar. Ele foi preso na BR-101, no Salseiros, logo após praticar um crime nas Piçarras. O outro assaltante que participou da ação acabou morto pela polícia.

  •  

Deixe uma Resposta