• Postado por Tiago

Mesmo com a trégua da chuva, as regiões do Porto das Balsas e da Volta Grande, em Navegantes, não sissafaram das inundações ontem. A maré alta impediu que a água escoasse e muitas ruas ficaram alagadas. Bombeiros e secretaria de Obras trabalharam da madrugada até à tarde de ontem, retirando famílias da área. Com medo de outra enchente, muitas pessoas que não foram atingidas erguiam móveis dentro de casa e até se preparavam para pedir abrigo nas baias de parentes.

Seu Luiz Soares de Freitas, 50 anos, por volta das 15h de ontem tava levantando tudo o que podia de móveis. Ele mora no Porto das Balsas e perdeu quase tudo com a enchente de novembro. A água já tinha entrado cerca de cinco centímetros dentro da casa e o terreno tava todo alagado. Naquele horário, seu Luiz se preparava pra se mudar com a filha e o neto de quatro aninhos pra casa de um conhecido.

O presidente da associação de moradores do Porto das Balsas, João de Souza, 42, diz que o povão tá assustado. Segundo ele, o grande problema no bairro é a região atrás do posto de saúde e entre as ruas Fulvio Diniz e Honorato Nunes, que não tem tubulação. João ajudou a tirar de casa três famílias e já se preparava pra uma possível enchente. Ele construía um tablado suspenso de cerca de dois metros quadrados na área de casa pra esposa colocar alguns móveis.

Segundo o comandante dos bombeiros voluntários de Navega, Ricardo Luiz da Silva, foram cerca de 10 famílias retiradas do Porto das Balsas e 15 na Volta Grande. A água chegou a entrar meio metro nas casas e os vermelhinhos até usaram bote. A secretaria de Obras de Navega ajudava na retirada de objetos e móveis com um caminhão.

Segundo o diretor técnico da defesa civil de Navega, Adilson Hentchen, as águas do rio começaram a subir por volta das 20h30 de segunda porque a maré cheia impedia a vazão do rio. Nos bairros a água ficava represada nos bueiros.

Ferri-bote e balsa

A balsa que liga Porto das Balsas, em Navegantes, à Barra do Rio, em Itajaí, parou de funcionar às 7h de ontem. Ainda ontem a expectativa da empresa Santa Catarina era de que a balsa voltaria a funcionar hoje. Já o ferri-bote funcionou normalmente. O gerente operacional e sócio proprietário da empresa de Navegação Santa Catarina, Diogo Hasse Weidle, explica que as embarcações têm quatro motores e, apesar da forte correnteza de ontem, conseguiram trampar sem proplemas.

Ilhota

A defesa civil e a assistência social de Ilhota ativaram ontem dois abrigos pra cerca de 20 pessoas que tiveram que sair de casa por causa das chuvas e não tinham pra onde ir. Foram 82 pessoas que saíram de casa na city, mas a maioria por conta própria, com medo de um novo desastre. Os abrigos ficam na Pedra de Amolar, um no Colégio Valério Gomes e outro na igreja católica. Hoje a única escola que não terá aula em Ilhota é a Alberto Schimitt, que fica na localidade da Margem Esquerda.

  •  

Deixe uma Resposta