• Postado por Tiago

ABRE-parada-gay-2009-itajai---foto-Felipe-VT-59

Sobrou espaço na avenida Beira-rio

Cerca de 300 pessoas enfrentaram o tempo ruim para participar da 3ª edição da Parada da Diversidade de Itajaí. O evento começou às 14h e deveria acabar às 22h, mas depois do toró que rolou às 17h, a meia dúzia de gatos pingados que pintou na avenida Beira-rio disparou cpra casa. O organizador do evento, Zezinho Gonçalves, colocou a culpa da festoca meia-boca na chuva. O fracasso do evento também foi ajudado pelo fato de a festa ter sido cancelada duas vezes anteriormente. Primeiramente, a parada peixeira tava marcada para 30 de julho, mas por conta da gripe porca foi adiada. Depois aconteceria no dia 30 de agosto, mas o Navegay, em terras dengos-dengos, fez o organizador cancelar dinovo.

Quando o evento realmente saiu do papel, São Pedro acabou com a festa. Além da chuva, o fato do show da Rita Cadilac ter sido cancelado em cima da hora, ajudou a jogar um balde d´água fria no evento. ?Também falta apoio do pessoal do próprio grupo GLSTB da cidade?, lascou. A divulgação mixuruca da Parada, segundo Zezinho, não atrapalhou o evento. ?Imagina, a divulgação foi legal?, acredita.

Embora a festa tenha fracassado, Zezinho comentou que este ano o evento teve maior apoio da prefa peixeira do que ano passado. ?Não investiram dinheiro, mas nos ajudaram na captação de recursos com os patrocinadores?, comentou.

Heróis da resistência

Faça chuva ou faça sol, tem sempre aqueles empenhados que aparecem pra dar uma força pra galera. Este é o caso das bibas Valquíria Hensel, 38 anos, e Antonela, 41. Todos os anos elas participam da parada peixeira e ontem não foi diferente. Mesmo com o tempo ruim, elas se vestiram pra arrasar e foram pra Beira Rio. ?Este ano ficamos decepcionadas com a falta de pessoas. Acredito que a pouca procura rolou por conta da chuva e da Parada Gay de Curitiba?, soltou Valquíria. A festa do arco-íris na capital paranaense também rolou ontem. As duas amigas, que viajaram pra Florianópolis e Navegantes, prometem não desanimar e garantem que estarão firmem e fortes na parada de Balneário Camboriú, no dia 11 de outubro.

Tranquilo

Para a polícia militar, que mandou 20 policiais para dar segurança ao evento, o clima era de tranquilidade. ?Ano passado falaram que a festa reuniu cinco mil pessoas?, comentou o tenente Rafael Vicente, responsável pelo grupo. As pessoas que participaram da Parada este ano tavam de boa e até às 16h não tinha rolado nenhuma briga. ?A previsão era festa até às 22h, mas por causa da chuva acredito que vá acabar antes?, disse o tenente. E o homem tinha razão, depois do toró que caiu às 17h, as poucas pessoas que tavam na avenida foram simbora ou se refugiaram da chuva embaixo de toldos e da barraca montada pela secretaria de Saúde pra distribuir camisinhas, que ficaram encalhadas.

Mais forte

O fiasco da 3ª edição da festa GLSBT não desanimou Zezinho. O organizador já garantiu que ano que vem a festoca arco-íris vai rolar mais forte ainda. ?Vou colocar três trios elétricos na avenida?, dispara. A motivação vem do fato de que, depois de três edições da parada, o organizador pode pedir apoio ao Ministério da Cultura. ?Todas as festas da diversidade que têm mais de três edições, o ministério pode ajudar com R$ 30 mil. Ano que vem vamos correr atrás disso?, adiantou.

  •  

Deixe uma Resposta