• Postado por Tiago

INTERNA_13_abre-esquerda_rua-José-Bornhausen_foto-luz-clarita-(1) INTERNA_abre_lavoura-hortaliças_foto-felipe-vt

Lavouras de hortaliças estão entre as mais atingidas

As chuvas que vêm atingindo a região há pelo menos duas semanas detonaram parte da produção agrícola de Itajaí e Navegantes. Em terras peixeiras, a colonada do São Roque e da região do Rio Novo, onde fica a colônia japonesa, foi a mais atingida. Os agricultores tiveram perdas nas culturas de hortaliças e haverá quebra na safra de aipim, informa a Epagri. Em Navega, quem se deu mal foram os bananicultores e os plantadores de arroz.

O agrônomo Antônio Henrique dos Santos, um dos extensionistas da Epagri de Itajaí, diz que as 80 famílias de pequenos agricultores que cultivam hortaliças no Rio Novo e no São Roque perderam a maior parte da sua produção. ?Hortaliças como alface, brócolis e cebolinha foram as mais afetadas?, informa. Os agricultores terão que refazer o replantio de mudas.

As famílias que plantam hortaliças fazem algo em torno de 10 colheitas por ano e isso faz com que os prejuízos com a quebra da safra sejam menores, explica Antônio Henrique.

Pessoal da rama foi quem mais sifu

O problema maior, informa o agrônomo da Epagri, está com os produtores de aipim, que se concentram principalmente no São Roque. ?A safra praticamente se perdeu?, diz Antônio. Ele explica que os aipinzeiros que ficaram debaixo da água terão problemas na raiz, que é a parte da planta comercializada. Além disso, o replantio dificilmente acontecerá porque não há mais as ramas para fazê-lo. As ramas são usadas como uma espécie de semente.

Antônio José Lira, presidente do sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itajaí, também concorda que os maiores prejudicados são mesmo os plantadores de aipim. Ao contrário das hortaliças, que são plantadas através de mudas e levam aproximadamente três meses para serem colhidas, o aipim demora de sete a 11 meses para concluir seu ciclo e estar pronto para o consumo.

Lira diz que pelo menos 20 famílias que cultivam hortaliças perderam toda a produção. ?Mas a gente só vai poder saber quanto foi o prejuízo na semana que vem. Os levantamentos ainda estão sendo feitos?, informa.

Plantadores de banana e arroz sofreram em Navega

Em Navegantes, quem se deu mal foram os plantadores de banana e de arroz. Os bananicultores sofreram com a chuva de granizo da semana passada. Os rizicultores atrasarão a colheita da safra por conta de desbarrancamentos e fortes correntezas que destruíram as plantas em estágio inicial de desenvolvimento, informa João Paulo Serpa, diretor da secretaria de Agricultura.

A banana é um dos principais produtos agrícolas de Navegantes. A safra anual chega a 900 toneladas. ?Vamos ter aí uma quebra de 15%?, adianta Serpa, completando: ?a chuva de pedra pegou os bananicultores de Escalvados, Escalvadinhos e Garuva, na divisa com Luiz Alves?. A cobertura dos cachos com sacos plásticos foi o que evitou um prejuízo maior.

Os rizicultores também perderam com o mau tempo. Pelo menos 40 produtores terão que ressemear as lavouras. As fortes correntezas e os desbarrancamentos destruíram as plantinhas que haviam sido semeadas há poucas semanas. ?Isso vai atrasar a safra em um mês?, diz Serpa.

Com isso, explica ainda o diretor da secretaria de Agricultura, os riziculcultores podem perder a oportunidade de aproveitar a soca do arroz, que é uma segunda colheita da mesma planta. Com o atraso na colheita, a soca voltará a brotar próximo do inverno do ano que vem, que é o período para o plantio da nova safra.

Os números do preju

Praticamente todo o cultivo de hortaliças de Itajaí foi perdido com as chuvas. Aproximadamente 80 famílias vivem da plantação de verdes na cidade.

Estima-se que a perda na safra de aipim chegue a 100%.

A quebra na safra de banana de Navegantes será de 15%.

Pelo menos 40 plantadores de arroz de Navega terão que refazer o plantio desta safra.

  •  

Deixe uma Resposta