• Postado por Tiago

A agora Cimed/Malwee, de Florianópolis, inicia hoje a luta pra conquistar seu quarto título da Superliga masculina de vôlei. Às 18h30, no ginásio Capoeirão, na capital, os gigantes manezinhos enfrentam o Sada Cruzeiro Vôlei/MG, terceiro da última temporada. Os ingressos custam seis mangos ou três pilinhas pra estudantes. Idosos e crianças menores de 12 anos entram na faixa.

Com apenas cinco anos de existência, a Cimed tem números impressionantes na Superliga, sempre chegando à final – foram três títulos e um vice-campeonato. E pra esta edição da principal competição do país o objetivo é manter esta realidade de vitórias. “Temos história, sempre estivemos nas finais e vamos novamente correr atrás”, fala o técnico Marcos Pacheco.

A equipe de Floripa sabe que pra chegar a mais uma decisão não pode bobear, principalmente em casa. “Estreamos diante de um dos times mais fortes da Superliga. Estamos sem um bom ritmo de jogo, mas temos o entrosamento pesando a nosso favor”, fala o líbero Mário Júnior, que também é atleta da seleção brasileira.

Pra muitos entendidos, essa promete ser a Superliga mais forte e equilibrada de todos os tempos, por causa do grande número de ótimos jogadores que voltaram pro Brasil, casos de Giba, Rodrigão, Gustavo, Murilo e outros. É até difícil saber quem são os favoritos ao título. “Esse ano não tem como dizer quem é favorito. Toda partida deve ser encarada como uma final, já que muitas equipes têm condições de chegar aos playoffs. Vamos tentar vencer esse primeiro jogo em casa. Esse fator será importantíssimo neste ano. Sempre fizemos valer a presença de nossa torcida. Espero que nesta temporada não seja diferente”, completa o líbero.

Já Marcos Pacheco, que ontem à tarde comandou o último treino pra valer antes da estreia, fez questão de valorizar os atletas que já estão no Brasil há mais tempo. “Todas as Superligas que ganhamos foram muito duras. Estão falando muito de quem voltou e esquecendo dos que estão aqui, que também têm grande qualidade”, lasca Pacheco.

A Cimed manteve o quinteto formado pelo levantador Bruno, o ponteiro Thiago Alves, os meios-de-rede Lucas e Éder, e o líbero Mário Júnior, que neste ano participaram de todas as convocações da seleção brasileira. O oposto Bob foi a principal contratação, pra substituir Theo que foi pro voleibol japonês.

Campeões catarinenses

Antes de começar a Superliga, a Cimed teve um tempinho pra conquistar o tricampeonato estadual. Na noite de terça-feira, a equipe de Floripa fez 3 sets a 0 na Blumenau/Furb/Barão e levantou a taça barriga-verde. O jogo rolou no Capoeirão e as parciais foram de 25/15, 25/17 e 25/15.

  •  

Deixe uma Resposta