• Postado por Tiago

Time de Floripa levou susto, mas reagiu e ganhou dos manetas do Al-Arabi

Os gigantes manezinhos da Cimed parece que estão se adaptando aos poucos à nova regra do vôlei, a ?Golden Formula?, que obriga o primeiro ataque de cada time após o saque ser de trás da linha dos três metros. Após uma estreia horrorosa no Mundial de Clubes, quando perdeu pro timeco Paykan, do Irã, ontem a equipe catarinense se recuperou e venceu os donos da casa, o Al-Arabi, em Doha, no Qatar. A galera de Floripa chegou a ceder um set, mas deu a volta por cima e venceu por 3 a 1, com parciais de 18/25, 25/17, 25/17 e 25/22.

Tricampeã da Superliga, a Cimed mostrou que ainda terá que ralar muito pra se adaptar bem à medida adotada pela federação Internacional de Vôlei (FIVB) pro campeonato em Doha. ?Está difícil nos adaptarmos a essa nova regra e realidade, pois o nosso jogo é de velocidade. Ainda não achamos as melhores opções, como pôde ser visto no primeiro set. O time demorou a se acertar. Durante a partida, apenas conseguimos entrar no jogo e chegamos a uma vitória importantíssima?, disse o técnico Marcos Pacheco.

O Al-Arabi começou surpreendendo. Forçando o saque e contando com muitos erros da equipe barriga-verde, os donos da casa abriram 6 a 0 logo de cara. A Cimed tentou reagir, mas desperdiçou muitos contra-ataques e viu os árabes fecharem o primeiro set num ace: 25 a 18.

Precisando da vitória pra continuar viva na competição, a equipe manezinha voltou pra quadra com outra postura. Vibrando muito, a Cimed impôs seu ritmo de jogo, abriu boa vantagem e fechou a parcial em 25 a 17, deixando tudo igual.

Virou e fechou

Mais confiantes em quadra, os gigantes de Floripa finalmente se soltaram e, com bastante velocidade nos contra-ataques, viraram a partida com mais um 25 a 17, agora no terceiro set. O quarto e último set do jogo foi o mais disputado e chegou a ficar empatado em 20 a 20. O diferencial pra Cimed foi a tranquilidade e a paciência que estavam faltando. Com ótima atuação de Thiago Alves, a equipe fechou por 25 a 22 e espantou uma nova zebra.

A Cimed volta à quadra hoje, às 15h (de Brasília), pra encarar o Skra Belchatou, da Polônia. Teoricamente, o jogo é o mais difícil da chave e os brazucas precisam vencer pra se classificarem entre os dois melhores do grupo, que passam pras semifinais.

  •  

Deixe uma Resposta