• Postado por Tiago

Doze horas depois da ventania braba que passou pela região, os bombeiros tiveram muito trabalho pra cortar as árvores que despencaram no meio da rua e em cima de casas. Em Camboriú e Itapema, foram cinco casas atingidas pelas rajadas. Teve até gente na rua que tomou placa voadora na cabeça.

A situação mais feia foi registrada em Itapema. Por lá, árvores foram arrancadas e despencaram em cima de baias nos bairros Casa Branca, Meia Praia e Morretes. Em todos os casos, as casas tavam fechadas e não houve feridos.

O mais curioso é que teve pessoas feridas por placas e telhas voadoras. Uma chapa se desprendeu de uma construção do bairro Meia Praia e acertou a cabeça de um menor. O rapaz ficou com um baita talho na cachola e teve que ser levado pro hospital. No bairro Morretes, um homem caminhava pela rua e foi acertado por uma telha. Ele teve só lanhados.

Em Camboriú, a situação foi bem parecida. Duas árvores despencaram no telhado de duas casas da rua Manoel José Inácio Linhares, na região da Bacia. Como alguns galhos se enroscaram nos postes, a rede elétrica teve que ser desligada pra evitar uma desgraceira. Por sorte, quem mora por lá não se feriu.

Balneário e Tijucas

Em Tijucas, a tempestade foi mais amena. A única preocupação dos bombeiros foi com uma árvore que caiu na fiação elétrica na rua 13 de maio, no bairro Areias. A árvore se enrolou de tal forma que quase botou o poste abaixo e deixou a comunidade sem luz.

No Balneário, o corte foi feito na árvore que fica em frente ao restaurante Manjare Felice da avenida Atlântica. Como na noite da ventania não foi possível fazer a poda, os vermelhinhos amarraram a árvore com uma corda e na manhã de ontem desceram o machado.

Os técnicos da Epagri/Ciram explicam que o vendaval que atingiu a região é resquício de uma ventania braba que detonou com o Rio Grande do Sul e a Grande Floripa. Pro sargento Vitorino Grosskopf, a ventania só não fez mais estragos pela região porque já tava perdendo força. “Quanto mais sentido sul, foi mais forte. Ela veio do Rio Grande do Sul e por isso deixou mais estragos por lá”, explicou.

  •  

Deixe uma Resposta