• Postado por Tiago

INTERNA_11_abre_TRADE-SUMMIT---foto-felipe-vt-00-(2)

O feirão é coisa chic e vai reunir executivos, armadores, operadores portuários, prestadores de serviços e gestores públicos

Desde ontem o parque da Marejada, em Itajaí, é palco da Itajaí Trade Summit 2009, uma das maiores feiras de negócio da América Latina voltada para o setor portuário, comércio exterior e logística. Organizada pelo fórum Net Marinha, a feira segue até sexta-feira com mais de 60 estandes de empresas oferecendo serviços e produtos pra tchurma que costuma negociar com a gringalhada.

Cristina Pierini da Silva, da organização do Trade Summit, informou que mais de cinco mil pessoas já se cadastraram para visitar a feira. O porto de Itajaí, o Teconvi, o terminal Tesc, a Próspera Trade e o governo federal são os patrocinadores do evento.

A ideia da feira é se transformar num centro de negócios. Executivos, prestadores de serviços, operadores portuários, fornecedores de equipamentos, entidades de classe, órgãos governamentais e armadores internacionais são o público-alvo do evento.

Empresa de Itajaí apresenta transporte de cargas gigantes

É de olho nesse público que a direção da empresa itajaiense DC Logistics Brasil decidiu participar da feira. A firma papa-siri é uma das duas únicas do estado e uma das poucas no país que tem um departamento próprio para o transporte de cargas gigantes. ?Nosso grande objetivo é participar da feira para apresentar e consolidar a marca no mercado?, diz Dimitri Mattos, um dos gerentes da DC e responsável pelo setor de cargas e projetos da empresa.

A DC opera há 15 anos na área logística, mas apenas há seis meses decidiu investir num nicho de mercado que tem pouca oferta de serviços: o transporte de cargas superdimensionadas. Para Dimitri, o mercado voltado à logística de transporte de maquinários e equipamentos de grande peso e volume é promissor em Santa Catarina. ?Principalmente pelo fato de que o estado está recebendo investimentos para a construção de novos estaleiros e também de parques para a produção de energia eólica [produzida pelo vento]?, argumenta. Foi isso que incentivou a DC a alugar um estande de 50 metros quadrados logo na primeira quadra do interior do centro de eventos pra expor seus produtos.

Na sexta-feira da semana passada, a DC levou do porto de Navegantes (Portonave) para a região do alto vale do Itajaí uma máquina italiana de 52 toneladas. Dimitri não revelou qual o tipo de equipamento nem o nome do cliente, mas disse que foram gastos dois dias de viagem para fazer o transporte.

O equipamento tinha 7,5 metros de comprimento, quase quatro metros de largura e 3,3 metros de altura. Uma carreta com eixos reforçados e rebaixada para evitar o tombamento foi usada no transporte. Foi ainda preciso usar dois guindastes para tirar a máquina da carreta e colocá-la no interior da empresa. ?O principal diferencial da empresa está no atendimento e no acompanhamento diário da carga do cliente?, explica o diretor geral da DC Logistics Brasil, Ivo Mafra.

  •  

Deixe uma Resposta