• Postado por Tiago

O vendedor João Honório de Miranda Neto, 58 anos, veio ao DIARINHO indignado com a falta de educação da vendedora de uma banquinha do camelódromo do centro de Itajaí. Ele diz que até foi bem atendido pelo colega da moça, mas que a tal desbocada lhe deixou desnorteado.

João foi comprar um cd de videogame pro seu netinho na segunda-feira. Na terça, já que o garoto não conseguia jogar de jeito nenhum a bagaça, por não entender nada do que tava rolando, ele voltou ao camelô pra trocar o bendito cd. “Na hora a moça já se recusou a trocar, dizendo que eu tinha sujado e riscado o cd. Mas ele tava novinho”, disse.

Um outro atendente comprou a briga e trocou o jogo pro seu João, que já tava saindo feliz da vida até ouvir umas besteiras digraça. “Ela começou a me xingar e dizer que se eu quisesse reclamar, que fosse comprar algo original. , o negócio custa 10 reais e eles sabem que tão irregulares. O que custa trocar o cd que nem tinha sido usado?”, bufou seu João.

O leitor faz questão de dizer que não tem nada contra o camelódromo e muito menos contra o pessoal da lojinha made in Paraguay. “Não tô reclamando da banquinha, que até fui bem atendido. Reclamo é do contrassenso dessa tal vendedora. E qualquer um no meu lugar faria o mesmo”, disse, cabreiro com o desrespeito.

  •  

Deixe uma Resposta