• 18 dez 2009
  • Postado por Tiago

“Isso melhora muito e cria um ambiente positivo para o Ciro”

Senador Renato Casagrande (PSB-ES), após Aécio Neves desistir da candidatura a presidente

Turismo: cúpula do ministério sob investigação

O secretário nacional de Políticas, Airton Pereira, está entre os integrantes da cúpula do Ministério do Turismo investigados por suposto desvio de recursos para eventos, custeados por emendas parlamentares. Pereira é quem comanda os recursos e até a escolha das empresas de eventos que produzem essas festas, realizadas em municípios. Somente este ano já foram gastos R$ 250 milhões em 1.500 eventos.

Pente fino

Uma varredura da Controladoria-Geral da União investiga suposto superfaturamento e eventos que, financiados, nem sequer ocorreram.

Na mira

A investigação mira também deputados federais que destinaram suas emendas para a área de eventos e empresas do setor, como a Dialog.

Pulverização

Os R$ 250 milhões do Ministério do Turismo foram pulverizados no financiamento de eventos que custam, no máximo, R$ 1,2 milhão.

Pensando bem…

…a ministra Dilma entende tanto de aquecimento global quanto Bento 16 de sexo, drogas e rock and roll.

DF gastou R$ 65 milhões com festas, em 2009

O governo do Distrito Federal gastou R$ 65 milhões em 2009 com festas e homenagens. O montante é quase o triplo do que foi aplicado em 2008, quando despesas com eventos do gênero consumiram R$ 26,1 milhões. Segundo dados do Sistema Integrado de Gestão Governamental (Siggo), aos quais esta coluna teve acesso, a maior parte do dinheiro foi destinada à celebração dos 50 anos de Brasília.

Ninguém merece

Seguidores do terrorista Cesare Battisti pressionam Lula para conceder asilo ao bandido antes do Natal. E o pior é que há chances.

Nossa grana

A Imprensa Nacional, que imprime os Diários Oficiais, contratou por R$ 3,6 mil um “Agente de Integração” para atuar junto aos funcionários.

Em família

Com o apoio da mulher, a prefeita de Natal, Micarla Sousa (PV), Miguel Weber será candidato a deputado federal, em 2010.

Aécio continua no páreo

A desistência de Aécio Neves coincide com seu rápido crescimento nas pesquisas para presidente, daí a surpresa. Mas em política as coisas nunca são o que parecem. Esse movimento de peça, no xadrez, deve provocar o contrário: fortalecimento da candidatura do tucano mineiro.

O certo e o duvidoso

A candidatura a presidente pelo PSDB se aproxima de Aécio Neves à medida em que José Serra cai para perto dos 30%, como tem ocorrido. Para vencer Dilma, Lula & Cia, Serra precisa de mais, muito mais. Para continuar governador paulista, precisa de muito menos. Quase nada.

Primeiro a saber

A anunciada desistência de Aécio foi comunicada por ele mesmo ao governador paulista José Serra, em telefonema a Copenhague. Serra ficou confuso, balbuciou qualquer coisa e desligou o telefone.

Inevitável

Da morte, dos impostos e do PT ninguém escapa: o partido elegeu nova representante em Boston, EUA, na eleição de novos dirigentes. De olho numa futura eleição de deputado federal dos imigrantes.

O abuso continua

Passagem Salvador-Rio-Salvador, emitida há dois meses para o final do ano, no valor de R$ 650, teve de ser cancelada por motivo de doença. Pois a GOL cobrou multa de R$ 50 e mais 20% do valor. E só devolverá o dinheiro em 45 dias. A Anac, claro, finge-se de morta.

Canhões e manteiga

Em 2010, o Ministério da Defesa terá um grupo de trabalho para “avaliação do panorama estratégico global”. Diz que o Brasil não tem posição consolidada nas questões de segurança internacional.

Filhos do Brasil

Dois meninos brasileiros concentraram a atenção da imprensa mundial ontem: Sean Goldman, 9, na iminência de voltar aos EUA, e o menino baiano de dois anos com 50 agulhas no corpo enfiadas pelo padrasto.

Maluf das Índias

Paulo Maluf, do “estupra, mas não mata”, tem seguidor na Índia. Um político local culpou mulheres sozinhas de madrugada, nas ruas, por possíveis estupros, diz o jornal inglês Independent. A gritaria foi geral.

Perguntar não polui

Quando, afinal, começaremos a pagar o imposto antipum?

PODER SEM PUDOR

Conversa de bêbado

Ronaldo Cunha Lima, poeta e boêmio, era candidato ao Senado, em 1994, quando um debate de que participava, em São João do Rio do Peixe (PB), foi interrompido pelo bate-boca de dois bêbados. “Ele me conhece!”, dizia um. “Não conhece!”, dizia o outro. “É comigo”, pensou Ronaldo. Era mesmo:

– Você me conhece? – gritou o primeiro bêbado para Cunha Lima.

– Conheço.

– De onde?

– Do bar, ora.

O bêbado se virou então para o outro, com ar vitorioso:

– Viu como ele me conhece?

  •  

Deixe uma Resposta