• Postado por Tiago

Leitor promete fazer a ?fogueira da tecnologia? e transformar o modem em cinzas

Antônio Lopes dos Santos, morador do bairro São João, em Itajaí, prometeu botar álcool no modem do seu computador e tacar fogo. A revolta toda é com a empresa de celular Claro, que agora também atua na internet, com a banda larga 3G. Depois de comprar o modem, ele funcionou por quase dois meses, mas agora não há santo que o faça pegar. ?No bairro onde moro, que fica a 2,5 km do centro de Itajaí, não abre mais nada, página nenhuma?, esbraveja o cliente, que garantiu que vai queimar o aparelho depois de pagá-lo.

Foi em fevereiro que Antônio comprou o modem (responsável por conectar o computador na internet) e pagou à vista 174 reales por ele. Ele também paga, desde então, uma mensalidade de 80 pilas pra ter acesso à internet. ?Acesso mais ou menos?, ele garante.

O aparelhinho foi testado no dia da compra e o cliente disse que conferiu na loja que ele funcionaria em qualquer canto de Itajaí. No entanto, desde o mês de abril, o modem parou de funcionar. Antônio já ligou dezenas de vezes pra operadora, abriu vários protocolos e até ouviu a promessa de que ganharia uma extensão de cobertura, mas até agora necas de pitibiribas. ?Cansei. Chega de ser palhaço!?, mandou, revoltadíssimo.

Também por diversas vezes, Antônio Lopes teve que sair do aconchego do lar, botar seu notebook embaixo do braço e caçar um lugar onde a internet funcionasse, pra fazer seus trabalhos. O cliente quer que a Claro devolva todo o preju que teve. Mas antes prometeu: ?perdi R$ 174 do modem e mais 12 vezes de R$ 80, que vou pagar. Depois desse período, vou jogar no lixo ou queimar?, garantiu.

O DIARINHO ligou várias vezes para o número 1052, que é um tipo de 0800 da Claro. A reportagem conversou com vários atendentes. As ligações eram transferidas para um responsável pelo perrengue, mas caíam antes de alguém atender.

  •  

Deixe uma Resposta