• Postado por Tiago

O cadeirante Jailton foi quem chamou o DIARINHO pra reclamar

A reclamação não é de hoje, mas o problema persiste. Os clientes do banco do Brasil da avenida Reinaldo Schmithausen, nos Cordeiros, em Itajaí, continuam usando o recuo da calçada pra estacionar as suas carangas. Chamado pelo cadeirante Jailton Francisco, 39 anos, ontem à tarde, o DIARINHO foi até o local e flagrou o abuso: veículos parados em cima da calçada. E pior: na rampa de acesso aos deficientes físicos.

Jailton, que depende da cadeira de rodas pra se locomover, conta que todos os dias o perrengue se repete. ?A rampa foi construída especialmente pros cadeirantes, mas é raro poder ser usada no horário de banco. Sempre tem carro estacionado aqui?, reclama.

Era 15h30 quando o DIARINHO pintou nos Cordeiros. Além dos três carros em cima da rampa, um outro ocupava, na caruda, parte da vaga destinada aos deficientes.

Risco também pra criançada

Jailton diz que, apesar dos deficientes serem os mais prejudicados, a principal preocupação é com a criançada. A rua Cosme Busarello, ao lado do banco do Brasil, onde as carangas ficam estacionadas, é muito movimentada e como a calçada fica ocupada, os pedestres têm que usar a rua pra conseguir passar. ?Tem um centro educacional bem do lado do banco e aqui na Cosme Busarello passa caminhão e carro direto. É muito perigoso?, alerta.

Banco já foi notificado

José Alvercino Ferreira, chefão da Codetran, disse que o caso foi repassado pra secretaria de Urbanismo, que já notificou o banco do Brasil sobre a irregularidade. ?Aquilo ali não é estacionamento, é um recuo de calçada. Os carros não podem estacionar naquele local, principalmente em 45°, que atrapalha a passagem dos pedestres?, esclarece.

Zé disse que os seus guardinhas estão fazendo rondas frequentes pela Cosme Busarello e tem ordem pra multar todas as carangas que estiverem estacionadas em cima da calçada do banco do Brasil.

  •  

Deixe uma Resposta