• Postado por Tiago

Quatro horas. Este foi o tempo que os leitores W.S.P. e E.H. dizem ter perdido de trampo pra ficar na fila da agência Bradesco da rua Hercílio Luz, no centro de Itajaí, na tarde de segunda-feira. Os dois reclamam que, apesar do banco ter cinco caixas, alguns deles tavam vazios e o atendimento, além de ser péssimo, ainda demorou pra dedéu.

O auxiliar de faturamento W.S.P., 19 anos, deixou o serviço perto de uma hora da tarde com a intenção de ficar no máximo 15 minutos na agência. Ele ficou cabreiro porque os funcionários que saíam pra almoçar demoravam pra retornar ao banco. “A gente sai do serviço rápido pra fazer as coisas e quando chega lá tem essa fila”, reclama. Ele calcula que devia ter umas 50 pessoas esperando.

O supervisor operacional E.H., 28 anos, também passou pelo mesmo desrespeito. “Fiquei desde uma hora da tarde até às cinco”, reclama. Segundo ele, até o caixa preferencial, usado por velhinhos, gestantes e deficientes físicos, tava lotado.

Os dois já foram orientados pela Procuradoria do Consumidor [Procon] a pegar a senha autenticada pela agência com o tanto de horas que esperaram. Depois, é só meter um processo no lombo do banco Bradesco.

Gerente acha estranha a reclamação

Ivo Hoepers, gerente administrativo da agência do Bradesco do centro, admitiu ao DIARINHO que na segunda-feira à tarde o banco tava mesmo movimentadaço. Mas para ele, é impossível que os dois clientes tenham ficado quatro longas horas na fila. “Às 17h não tinha mais ninguém na agência”, garante.

  •  

Deixe uma Resposta