• 12 jun 2009
  • Postado por Tiago

“Se for para ser igual, fico eu”

Presidente Lula, sobre a candidatura a presidente da ministra Dilma Rousseff

Itamaraty agora tenta isolar Mangabeira

O ministro Roberto Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos) agora enfrenta um adversário discreto e poderoso, dentro do próprio governo: o exótico Samuel Pinheiro Guimarães, secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores. Segundo fontes diplomáticas, Guimarães até teria ordenado o monitoramento de Unger quando ele viaja aos exterior, para saber exatamente o que faz e com quem conversa.

Ciúmes

Samuel Guimarães e o Itamaraty estão irritados com as incursões de Unger em assuntos que consideram privativos de diplomatas.

Caia fora

O novo embaixador do Brasil na Ucrânia, Antonio Fernando de Mello, foi desestimulado a discutir com Unger o acordo bilateral espacial.

Corporativismo

O brasileiro Márcio Barbosa, que não é diplomata, ousou candidatar-se à direção-geral da Unesco. Foi esmagado pelo ministro Celso Amorim.

Valebrás

Os presidentes da Vale, Roger Agnelli, e da Petrobras, Sergio Gabrielli, negociam uma nova parceria em pesquisa nas áreas de gás e petróleo.

No DF, a prioridade do PT é Dilma

O PT nacional avisa: seu candidato ao governo do Distrito Federal, ex-ministro Agnelo Queiroz, tentará se viabilizar, mas está pronto a apoiar o primeiro adversário que se pronunciar favoravelmente à candidatura da ministra Dilma Rousseff a presidente. A surpresa é que os petistas aceitariam de bom grado tanto o apoio do governador José Roberto Arruda (DEM) quanto o do ex Joaquim Roriz (PMDB). Tanto faz.

Decolando na frente

A Infraero já trabalha em projetos para modernizar os aeroportos das cidades escolhidas sedes da Copa do Mundo de 2014.

Privatizar, não

Mal nasceu, a frente parlamentar contra a privatização da Infraero já soma quase uma centena de deputados e senadores.

Já chega

Sai cara a missão militar do Brasil no Haiti, já há cinco anos: R$ 700 milhões até agora. Posar de polícia do mundo é coisa para país rico.

Fora de controle

O Tribunal de Contas da União investiga o Bolsa Família, por falha no controle dos 11 milhões de beneficiados, e o “Universidade para Todos” (Prouni), com 38 mil convênios sem fiscalização.

Caudilho plebiscitado

Do jurista Paulo Bonavides, um dos constitucionalistas mais admirados do País: “Com o terceiro mandato, não se elegerá um presidente da República, mas um ditador constitucional, um caudilho plebiscitado”.

Retorno esperto

A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça distribuiu mais de 300 milionárias pensões por “perseguição política” do regime militar. Ainda há outros 190 processos da turma que, segundo Millôr Fernandes, não fez militância política contra a ditadura; fez um belo investimento.

A volta do milagre

Ministro dos governos militares e conselheiro informal do presidente Lula, o ex-deputado Delfim Netto, otimista, acha que a eleição de 2010 chegará com o PIB batendo os 4%. E com o emprego aumentando.

Ele é uma novela

O sempre indeciso Itamar Franco inicia nova rodada de negociações com o PPS no primeiro dia de julho. Quer disputar algum cargo em 2010, qualquer um. Pode até ser candidato ao governo de Minas.

Poupança imexível

Com medo de mexer na Poupança, o governo estuda a permissão para passar dos 8% atuais para 30% o limite para investimentos dos fundos de pensão em imóveis e em ações. É para compensar as perdas dos fundos, hoje com patrimônio de R$ 458 bilhões, com a queda dos juros.

República de bananas

Lula faz política externa com demagogia. Mandou abrir embaixada em São Cristovão e Névis, país do Caribe formado por duas ilhas, vinte vezes menor que o Distrito Federal, que exporta coco e banana. Sua população não lotaria nem o estádio Mané Garrincha, no DF.

Aos amigos, tudo

Tim Gomes, primo do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) e de seu irmão, o governador do Ceará, Cid Gomes, está entre os agraciados pela prefeita Luizianne Lins (PT) com boquinhas na prefeitura de Fortaleza.

Pensando bem…

…o aloprado ministro Carlos Minc foi à Marcha da Maconha porque perde o juízo quando vê uma fumaça. Ou seria o contrário?

O poder sem pudor, o homem do caixa

Ministro do Trabalho de Getúlio Vargas, José Segadas Vianna, certa vez advertiu o presidente sobre um assessor que procurava empreiteiros para fazer “caixinha”. Segundo familiares do ex-ministro, Getúlio perguntou:

– Segadas, você faria o que ele faz?

– Certamente que não!

– É por isso mesmo que o mantenho – encerrou o presidente.

  •  

Deixe uma Resposta