• 23 jun 2009
  • Postado por Tiago

“(Vamos) acertar nos políticos que a gente vai votar”

Presidente Lula massacrando o idioma ao criar a LotoLula

Caixa cria emprego para petista na Venezuela

A Caixa vai abrir em Caracas (Venezuela) sua primeira filial no exterior, para financiar obras e programas do semiditador Hugo Chávez e transferir tecnologia em informática, muito embora tenha um dos sistemas mais atrasados da rede bancária brasileira. O cabide da Caixa será chefiado pelo gaúcho Álvaro Hall, petista radical ligado ao ministro Tarso Genro (Justiça), que nem fala a língua local, diz fonte da Caixa.

Envergonhados

Prometida por Lula a Chávez no recente encontro de Salvador, a filial em Caracas tem tratamento “sigiloso” na Caixa. Deve ser por vergonha.

Como dois e dois

Como na Bolívia, que surrupiou a refinaria da Petrobras, e Equador, que dá beiço no BNDES, o prejuízo da Caixa na Venezuela é garantido.

Zé no forró

O ex-ministro José Dirceu foi a atração do São João de Caruaru (PE), ontem, como convidado do deputado Wolney Queiroz (PDT-PE).

Shazan!

A palavra mágica no Senado agora é “reforma política” para salvar a “imagem” da Casa. E o dinheiro surrupiado do contribuinte, ó…

Desertor das Farc quer ajuda para sair do Brasil

Ex-membro das narcoterroristas “Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia” (Farc), Guillermo Carodozo Horta está em Brasília à espera que o governo federal pague sua viagem para o Canadá, onde pretende viver. Ele diz ter sido sequestrado aos 14 anos e forçado a trabalhar pelas Farc, mas desertou e teme ser executado pelos bandidos. Ele fugiu da Colômbia, onde vivia escondido, e está no Brasil desde fevereiro.

Boca de espera

Acolhido na comunidade religiosa “Vale do Amanhecer”, Guillermo Horta vive hoje com um casal de evangélicos em Céu Azul, a 50km de Brasília.

Brasil, não

O governo ofereceu “refúgio” ao ex-narcoterrorista das Farc, como o fez a outros 551 colombianos, mas Guillermo recusou. Ele quer ir embora.

É coisa nossa

Festa de São João é levada a sério no Ministério Público de Pernambuco: fechou as portas ontem e só reabre na quarta-feira.

Devagar, quase parando

O ministro Geddel Vieira Lima perde o aliado, jamais a piada. Sobre a comparação que fazem dele com o falecido ACM, alfinetou: “É mania das pessoas. Tem gente que compara Pelé a Maradona ou o [governador Jaques] Wagner ao Waldir Pires”, ex-governador manemolente da Bahia.

Agaciel, o ‘incansável’

Ao lançar o livro “Tempo de transformação” em 2007, o ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia ganhou prefácio do ministro Nelson Jobim, então no Supremo Tribunal Federal, que destacou “o trabalho incansável em aumentar os laços que unem o Senado à sociedade”.

Papaletras

Incansável na verborragia para driblar com panos quentes a crise dos “atos secretos”, o senador tucano Papaléo Paes (PSDB-AP) é forte candidato ao troféu “Rolando Lero” de 2009.

Socorro, polícia

O Banco do Nordeste contratou uma empresa de segurança em Salvador para transportar malotes de sua agência na Praça Senhor do Bomfim para o Banco do Brasil, na mesma praça. A 20 metros de distância.

Tão longe, tão perto

A presidente das Filipinas, Gloria Arroyo, recebida ontem pelo presidente do Senado, José Sarney, enfrentará no Senado em Manila uma investigação dos gastos com a viagem, e de outra, ao Japão.

Terra sem lei

De uma lista com 17 pessoas marcadas para morrer no Pará, 12 já foram assassinadas. A vítima mais recente foi o sindicalista Luiz Lopes Barros, no último dia 12. Todos mortos com tiros à queima-roupa.

Filho grato

A cidade histórica de Mariana (MG) terá a Casa de Cultura Fernando Morais, com centro de jornalismo investigativo. O escritor vai transferir para a terra natal sua biblioteca de três mil volumes e o acervo de trabalho.

Bola murcha

Nova bola fora da “Mãe Dinah” do Planalto: Lula, o da “marolinha”, foi desmentido pelo conselho dos aiatolás do Irã, que reconheceu mais votos que eleitores na vitória do porralouca Ahmadinejad.

Pensando bem…

…o Senado já tem um culpado para a crise: o mordomo de Roseana Sarney.

PODER SEM PUDOR

O local adequado

Governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) foi procurado por um deputado da oposição louco para aderir. Mas impôs uma condição:

– Precisamos conversar num local onde ninguém nos veja.

Cunha Lima respondeu, na lata:

– Só se for no Instituto de Cegos…

  •  

Deixe uma Resposta