• 27 jun 2009
  • Postado por Tiago

“Que se faça uma investigação”

Presidente Lula, sobre a onde de escândalos no Senado Federal

Agaciel depositou US$ 10 mil na conta de Virgílio

Durante viagem a Paris com a família, em 2003, o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), recebeu em sua conta 10 mil dólares depositados pelo então diretor-geral do Senado Agaciel Maia, a título de ajuda emergencial. A revelação é da revista IstoÉ, que circula neste final de semana. Na ocasião, Maia convocou o gerente da agência do Banco do Brasil no Senado, em pleno domingo, para ordenar a transferência.

Conta paga

O socorro ordenado por Agaciel Maia ao tucano Arthur Virgílio teria sido em razão da dificuldade do senador de fechar sua conta no hotel.

Sobrevida

A droga de ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) ganhou sobrevida no emprego após as críticas dos ruralistas. Lula não demite sob pressão.

Captação

O Ministério da Cultura autorizou Caetano Veloso a captar R$ 2 milhões em impostos, a título de incentivo, para seus shows País afora.

Perguntar não confunde

Será um “escambo de escândalos” a entrada em cena da “farra do Senado” no lugar da CPI da Petrobras?

Lula sem pressa de escolher procurador-geral

Expira neste domingo (28) o mandato do procurador-geral Antônio Fernando Souza, e uma lista tríplice de indicados dormita sobre a mesa do presidente Lula. Mas ele não tem pressa. O presidente brincou com a expectativa paralisante do Ministério Público da União, em conversa com um ministro: “É a primeira vez que mantenho esses caras sob controle durante dois anos…”, referindo-se à duração do mandato do procurador.

Três candidatos

Disputam o cargo de procurador-geral da República Roberto Monteiro Gurgel Santos, Wagner Gonçalves e Ela Wiecko Volkmer de Castilho.

Gripe comum

Cristovam Buarque (PDT-DF) brincou com seu resfriado e logo circulou o boato, no Senado, que estava com gripe suína. Mas era só brincadeira.

Flanelinha de mesa

O Senado tem os serviços de sinalização, controles e permissões de utilização de espaço dos móveis.

O emprego e o serviço

Dois (outros) setores que se revelaram absolutamente inúteis no Senado: o Serviço de direitos e deveres e o de Auditoria de despesas especiais. Com internet, fax e twitter, existe ainda o de Remessas Postais. Mas um deles é sucesso absoluto: o de Gestão da Qualidade de Vida.

Meirelles candidato

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, ainda planeja disputar o governo de Goiás em 2010. Em setembro, assinará ficha no PP, partido do atual governador Alcides Rodrigues.

Outro cacique

A médium Adelaide Scritori lembra o registro desta coluna, em 2001, de que o cacique Cobra Coral desaconselhava o ex-presidente José Sarney a voltar à presidência do Senado.

Inferno astral

É insustentável a situação do deputado Walace Souza (PP-AM), irmão do vice-prefeito de Manaus. A Polícia Federal vai indiciá-lo por suposta tentativa de assassinato de uma juíza federal.

Arraes na Embrapa

O presidente da Embrapa, cargo que está vago há três meses, deve ser Pedro Antônio Arraes Pereira. Primo do governador Eduardo Campos, de Pernambuco, ele tem o apoio de 41 centros de pesquisa da empresa.

Prejuízo na cana

Maior processadora mundial de cana de açúcar, a Cosan, de Ribeirão Preto (SP), anunciou prejuízo de R$ 473,8 milhões na safra 2008/2009. Atribui o resultado negativo à variação cambial com o real valorizado.

Alta continua

As previsões de superávit na balança comercial subiram de US$ 14,5 bilhões US$ 20 bilhões, sinalizando que o real continuará se valorizando perante o dólar. Quem deve na moeda americana que se cuide.

Conselho inexiste

Podem ser inócuas as ameaças dos adversários do presidente do Senado, José Sarney, de levá-lo ao Conselho de Ética. Cinco meses após o início da atual legislatura, o conselho simplesmente não existe.

Pensando bem…

…o contribuinte não teria “dançado” se ao menos metade dos políticos desse o duro que o falecido pop-star Michael Jackson deu na carreira.

PODER SEM PUDOR

Deus à distância

Jânio Quadros era prefeito de São Paulo e negociava com os líderes na Câmara a aprovação do orçamento. Após horas de conversa, o líder do PMDB, Gilberto Nascimento, percebeu que o prefeito não faria concessões:

– O senhor não quer acordo. Vou embora, fique com Deus!

– Vereador Gilberto!… – gritou Jânio, quando o líder chegou à porta – …vá e leve o seu deus. Não o quero aqui na prefeitura!

  •  

Deixe uma Resposta