• 01 jul 2009
  • Postado por Tiago

“Não me preocupa, não me aflige e não me atemoriza”

Governador Aécio Neves (PSDB), sobre a evolução de Dilma Rousseff em pesquisas eleitorais

Sarney não cogita licença ou renúncia

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), não cogitou até agora, em qualquer das conversas com seus aliados, as hipóteses de licença ou renúncia do cargo. Aparentando muita tranquilidade, ele está seguro de que o apoio que lhe resta no Senado é suficiente para enfrentar a crise sem maiores consequências. Ontem, enquanto alguns tucanos bradavam por sua renúncia, outros, em particular, prestavam-lhe reverência.

Moeda de troca

Os tucanos Sérgio Guerra e Álvaro Dias, em reunião privada, indicaram a Sarney a porta de saída de sua crise: a instalação da CPI da Petrobras.

Amigo da onça

Para Lula, “faça o que digo, não o que faço”: mandou o PT ficar ao lado de Sarney, mas se picou para longe, a Líbia do ditador Mamuar Kadafi.

Em nome do pai

Recuperada de cirurgia, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, está em Brasília, ao lado do pai. Volta ao cargo na próxima semana.

Tudo bem

Passa bem o senador Pedro Simon (PMDB-RS) após uma cirurgia de emergência, em Brasília, para a retirada do apêndice.

PSDB quer tirar até tucano do poder

O esquema montado pelos senadores tucanos Sérgio Guerra (PE) e Arthur Virgílio (AM) para botar o presidente da Casa, José Sarney (PMDB), para escanteio, pressupunha a criação de uma comissão especial para analisar a crise que também deixaria o 1º vice-presidente da Casa, o tucano Marconi Perillo (GO), de fora da direção do Senado. Por isso Perillo defendeu a Mesa e disse ser capaz de “debelar a crise”.

Briga interna

O 1º secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), também se mostrou indignado com a proposta do PSDB: “só por cima do meu cadáver”.

Bem acompanhado…

O ditador aposentado Fidel Castro, que nomeou seu irmão sucessor, sem eleição, reapareceu em artigo condenando o “golpe” em Honduras.

…na derrota

Derrotadíssima na eleição de domingo, a presidente argentina Cristina Kirchner acompanhará o deposto Manuel Zelaya na volta a Honduras.

Vozes do atraso

A CUT e sindicatos pelegos ligados ao PT listam hoje os supostos riscos, para os servidores, da exposição na internet dos gastos do governo do DF (controlado pelo DEM), incluindo salários. A ideia deles é que os contribuintes continuem pagando a dolorosa sem ver a discriminação.

Piauiense ‘marvado’

Rum com Coca-Cola dá nisso: após um evento de arqueologia em São Raimundo Nonato, o governador petista do Piauí, Wellington Dias, falou dos conterrâneos para o vice Wilson Martins (PSB): “O que Sarney esperava de secretários do Senado como Heráclito Fortes e Mão Santa”?

Aprovado

Pesquisa realizada após o “escândalo” sobre suposta compra de votos de vereadores mostra que a aprovação do prefeito de Curitiba (PR), Beto Richa (PSDB), continua nas alturas: 85%.

A mesma praça, o mesmo banco…

Depois de FHC “esqueçam o que eu disse” e Lula “eu não sabia”, o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, vira o “não é bem isso”: negou na ONU querer um terceiro mandato, mudando a Constituição.

Prestígio intocável

Além do apoio da maioria dos colegas, contou pontos na escolha de Roberto Gurgel como procurador-geral da República o peso do ex-ministro Márcio Thomaz Bastos, amigo do peito do presidente Lula.

Voa, Lula, voa

O Air Force 51 vai gastar ainda mais combustível. No fim do mês, Lula vai a Assunção para visitar Fernando “Papa Tudo” Lugo e reiterar que o tratado de Itaipu é inegociável. No dia 10, vai à reunião do G-8 na Itália.

Abuso de poder

Um procurador da República no Rio, Edson Abdon Filho, investigou por três anos o laboratório Sanofi-Aventis sem ouvir seus dirigentes, segundo os advogados. E fez a Justiça bloquear R$ 100 milhões das contas do laboratório. O procurador seria alvo de denúncias de abuso de poder.

Encanto amazônico

A Vara do Trabalho de Tefé (AM) só reabre nesta segunda (6), após funcionários serem presos por exploração sexual infantil. Com prisão preventiva decretada, o juiz Antônio Carlos Branquinho sumiu.

Pensando bem…

…no Senado não tem árvore genealógica, mas fisiológica.

PODER SEM PUDOR

Obra faraônica

Em campanha para deputado estadual em São Paulo, Paulo Teixeira (PT) só conseguiu chegar à distante Tapiratiba após as 23h.

– Qual é a sua plataforma? – perguntou um eleitor, cansado de esperar.
– Fazer uma ponte entre Tapiratiba e o Palácio dos Bandeirantes – explicou, referindo-se à necessidade de aproximar o governo estadual do município.
O eleitor ficou indignado:

– Essa obra vai custar uma fortuna!

  •  

Deixe uma Resposta