• 16 jul 2009
  • Postado por Tiago

“A oposição grita, eu trabalho”

Presidente Lula, após afirmar que a ‘oposição’ queria privatizar a Petrobras

Lula diz estar ‘pela tampa’ com Minc

O presidente Lula já não consegue esconder sua irritação com o comportamento “problemático” do ministro Carlos Minc (Meio Ambiente). Na volta de sua viagem a Alagoas, ele disse a auxiliares, a bordo do Air Force 51, que está “pela tampa” com o ministro. “Se eu tiver que optar entre ele e o Alfredo [Nascimento, ministro dos Transportes], eu fico com o Alfredo” referindo-se à briga que já é pessoal entre os dois ministros.

Criador de casos

Segundo o presidente Lula, Carlos Minc se incompatibilizou com o governo, paralisa obras do PAC e provoca constrangimentos a ele.

Tô nem aí

Lula criticou Carlos Minc diante dos ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Geddel Vieira Lima (Integração). Nenhum dos dois o defendeu.

Preocupação

São desanimadoras as informações que chegaram ao presidente Lula sobre a saúde do vice José Alencar, internado há uma semana.

A chave do tesouro

Tem gente achando que do jeito que está, a CPI da Petrobras lembra Ali Babá comandando rigorosa investigação dos quarenta ladrões.

CPI da Aneel investigará tarifas e lucros

O “fato determinado,” ou seja, o foco da investigação da CPI da conta de luz da Câmara dos Deputados será o aumento indiscriminado das tarifas em todo o país nos últimos anos, de mais de 400%. Os salários cresceram 60% no mesmo período. Segundo documentos da CPI, em 1995 o megawatt-hora (unidade de venda de eletricidade) custava em média R$ 60; em 2006 o preço médio registrado era R$ 230.

Absurdo

O aumento da tarifa elétrica da Celpe (Pernambuco) para o consumidor final nos últimos anos é o dobro do IGPM e quase o triplo do IPCA.

Futuro caro

Até 2017, o custo da energia elétrica deve dobrar, segundo estudo da Associação Brasileira dos Grande Consumidores de Energia Elétrica.

Chicotinho queimado

A polícia do Sudão chicoteou mulheres usando calça comprida. No Brasil faltaria chicote para homens públicos que não honram as calças.

É um perigo

No Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque pediu a opinião dos colegas sobre a regularidade das reuniões. Heráclito Fortes (DEM-PI) brincou: “reunir esta comissão sem assunto definido pode ser um perigo”.

Desconfiança

Para o senador Agripino Maia (DEM-RN), a renúncia de Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) à candidatura para presidir o Conselho de Ética do Senado é “mais do que esquisito, é muito suspeito”.

Tô fora

Após o Conselho de Ética da Câmara livrar a cara de Edmar Moreira, a deputada Solange Amaral (DEM-RJ) pediu a seu partido que a desligue do colegiado. E justificou: “Ficar, para quê? Para inocentar bandido?”

Emprego em baixa

A oferta de empregos no semestre registrou o pior resultado nos últimos dez anos. Foram criadas 300 mil vagas, número muito inferior ao contingente de mão de obra que se incorpora à atividade produtiva.

‘Minctiroso’

Deputados já chamam de “minctira” os documentos e acordos assinados pelo Ministério do Meio Ambiente: por exemplo, ainda não saiu do papel a regularização da região na Floresta Nacional do Bom Futuro (RO).

Repondo a verdade

Documentos oficiais isentam a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira de culpa pela queda de arrecadação nos últimos 11 meses. Sem mágoa, ela não atribui sua demissão a critérios técnicos, mas políticos.

Abertura da Copa

Enquete do site do Ministério do Turismo pergunta qual a cidade predileta para hospedar a abertura da Copa do Mundo de 2014. Belo Horizonte e Brasília lideram com 49% e 47% respectivamente.

Porque amanhã é sexta

A Vara do Trabalho de Manacapuru (AM), onde emprego deve dar sopa, só terá labuta na segunda-feira. Hoje é feriado de emancipação do município, e como amanhã é véspera de sábado…

Pensando bem…

…no Congresso, depois do excesso, sempre vem o recesso.

PODER SEM PUDOR

Mineiro bom de garfo

Tancredo Neves chegou atrasado, tarde da noite, para um comício em Conceição Aparecida, na campanha para o governo de Minas, em 1982. Já era madrugada, quando aceitou o convite para jantar na casa do padre da cidade. Ele recusou a “sopinha leve” oferecida pelo anfitrião:

– Isso é discriminação, padre. Quero o mesmo que os outros!
Depois, puxou o padre pelo braço e pediu:

– E quero aquele vinho especial que eu sei que o senhor tem guardado…

  •  

Deixe uma Resposta