• 22 ago 2009
  • Postado por Tiago

“O projeto do PSDB não é ‘anti-Lula’, é ‘após Lula’”

Governador mineiro, Aécio Neves (PSDB), que não critica o presidente nem de longe

Senado ‘bloqueia’ acesso do Estadão

Está bloqueado no Senado o acesso da sucursal de Brasília do jornal O Estado de S. Paulo, desde a última semana. O acesso via internet foram vetados não apenas ao portal do Senado como também ao site da Secretaria de Comunicação da Casa. O Estadão tem publicado reportagens de denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney, e até foi proibido pela Justiça de mencionar investigações contra o filho dele.

Prática comum

O Estadão não é o primeiro jornal a sofrer restrição de acesso aos sites do Senado. Mas os outros jornais já foram “liberados”.

Hackers

O Prodasen informou que o endereço eletrônico do jornal foi bloqueado após computadores do Senado identificaram uma “tentativa de invasão”.

Conveniente

Jornalistas reclamam do acesso à internet no próprio Senado. Onde a imprensa vai, o sinal do wireless enfraquece. A Casa culpa o provedor.

Mudou rápido

Mal deixou o PT, Marina Silva já faz críticas ao governo Lula. Classificou-o de “insensível às causas sociais”. Mudou muito…

Lula enquadrou Mercadante, o irrevogável

Após mais de cinco horas no Palácio da Alvorada, entre chá-de-cadeira e conversa, o presidente Lula enquadrou novamente a bancada do PT no Senado, incluindo o líder que não a lidera, Aloizio Mercadante (SP), que passou toda a quinta-feira anunciando sua saída “irrevogável” da função. No final do discurso em que a montanha pariu um rato, o líder pôs o rabo entre as penas: “Não tenho como dizer não ao presidente”.

Óleo de tolo

Demorou: a Petrobras anunciou ontem “grande volume de óleo leve” na Bacia de Campos, enquanto o Senado enfrentava o mar de lama.

Tropa de choque

Influentes no partido, mas não junto a Lula, Eduardo Suplicy e o deputado Carlos Abicalil (MT) apóiam a volta de Delúbio Soares ao PT.

Lula em Londres

O presidente Lula vai a Londres em novembro receber um prêmio por haver contribuído para o aperfeiçoamento das relações internacionais.

Mira caolha

Cada vez menos gente no governo federal acha que não há maracutaia na desapropriação de terrenos no governo do Pará, de Ana Julia (PT). Agora, o governo talvez recue nas críticas aos supostos responsáveis pelos atrasos na implantação de novos projetos no Estado.

Cartas na mesa

Cristovam Buarque (PDT-DF) ironizou a permanência de Aloizio Mercadante na liderança petista: “Senadores do PT viraram carteiros. Num dia, carta do Berzoini. No outro, a do Lula”. E o Senado obedece.

Provocação

O governador de Minas, Aécio Neves, derramou-se em elogios ao deputado Ciro Gomes (PSB-CE) só para irritar outro tucano ilustre, o governador José Serra. Ciro e Serra não se bicam há anos.

Bolsa-votos

Somando já 12 milhões de beneficiados, o Bolsa Família deve incorporar até o fim do ano mais 500 mil famílias. Em 2010, ano eleitoral, deve chegar ao total de 15 milhões de assistidos.

Casa de marimbondos

O balaio de requerimentos que o governo arquivou na CPI da Petrobras incluiu o esclarecimento de denúncias envolvendo supostas doações irregulares para a Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop).

Tábua de salvação

A oposição em Pernambuco (DEM, PSDB e PPS), tentam convencer Jarbas Vasconcelos (PMDB) a disputar o governo do Estado. E tentar viabilizar a reeleição dos senadores Sérgio Guerra e Marco Maciel.

Boi na parada

A empresa Palestino organiza vaquejadas e rodeios em Goiânia e responde a vários processos, mas vai levar R$ 1,6 milhão do governo federal para organizar o desfile de 7 de Setembro em Brasília.

Batendo recordes

Se o ensino no Brasil vai mal, não é certamente por falta de escolas. Somente em julho o Ministério da Educação autorizou o funcionamento de mil novos cursos superiores no país. Até para corretor de imóvel.

Pensando bem…

…com toda essa esculhambação, é hora de Delúbio Soares voltar com pompa e glória ao PT.

PODER SEM PUDOR

Verbo solto

Certa vez, em Curitiba, o jovem vereador Fábio Camargo (DEM), bem ao seu estilo mauricinho de topete, fez um pronunciamento parabenizando o colega Ney Leprevost (PP), que estreou uma coluna em jornal local. Em meio ao discurso, Camargo foi aparteado pelo vereador Paulo Salamuni (PMDB):

– A coluna é política ou é social?

Camargo respondeu de pronto:

– As duas, pois Ney é um excelente político e um grande socialista!

  •  

Deixe uma Resposta