• 24 ago 2009
  • Postado por Tiago

“Lula age com soberba, desprezando os antigos companheiros”

Senador Pedro Simon (PMDB-RS), criticando a ação do presidente Lula na ‘crise’ do PT

Caso do mensalão em semana decisiva

Esta semana será decisiva para o caso do mensalão: começam a ser ouvidas as testemunhas de defesa. Será um procedimento demorado. O ex-ministro José Dirceu, por exemplo, apresentou 40 testemunhas, a maioria autoridades, como o vice-presidente, José Alencar, e ministros de Estado, que têm prerrogativa de escolher data e local para depor. Os 39 acusados apostam na prescrição das penas a que estão sujeitos.

Processo

As testemunhas de defesa do caso do mensalão serão ouvidas na 12ª Vara Federal de Brasília.

BR Ganância S/A

O barril de petróleo despencou de 89,64 para 43,62 dólares entre janeiro e julho. Mas, na bomba, a gasolina continua em alta.

Divina comédia

O Senado, que Ulysses Guimarães dizia ser o céu, com a vantagem de não precisar morrer para chegar lá. Mas, para Sarney, virou inferno.

Manda a conta

A Petrobras contratou jornalistas extras e até pagou anúncios no Google para divulgar seu blog contra-atacando a CPI no Senado.

Joãosinho Trinta será mesmo candidato

Joãosinho Trinta será mesmo candidato a deputado distrital no DF, como revelou esta coluna. Sob intenso assédio dos políticos, ele tem dúvidas quanto ao partido, afirma que se considera sério, não tem rabo preso e firmou duas certezas: Brasília será sua última morada e, se eleito, convidará o maranhense Teodoro Freire – que ele conheceu na cidade – para ser seu assessor para assuntos de bumba-meu-boi.

Proibido para menores

Girou em torno de depósitos da finada Varig a briga com palavrões envolvendo dois juízes numa rua do centro do Rio, semana passada.

Choque de mordida

O “choque de ordem” da prefeitura do Rio não alcança os pit-bulls: as feras passeiam em frágeis coleiras, sem mordaça, em Copacabana.

Cuidando do lixo

A Câmara Legislativa do DF está comprando mil lixeiras para a nova sede, projetada para ser inaugurada somente no fim do ano.

Fogo no palheiro

A CPI da Petrobras tem tudo para pegar fogo: chegou às mãos do senador Álvaro Dias (PR) auditoria do Tribunal de Contas da União na refinaria Abreu e Lima (PE), dando conta de um mega faturamento nas obras.

As bombas da Petrobras

Chegou à ministra Dilma Rousseff o escândalo anunciado da sociedade Petrobras-White Martins para produzir e comercializar gás natural liquefeito. Ignorou dossiê e denúncias do Sindicato dos Petroleiros.

Greve na base

A partir desta semana, partidos da base aliada na Câmara dos Deputados não votam mais nenhuma matéria, enquanto o governo não liberar as emendas parlamentares. A soma totaliza R$ 5,5 bilhões.

Sinal do aço

Com um acúmulo de desastres ao longo do ano, o setor siderúrgico dá sinais de recuperação. Em julho, a produção brasileira de aço bruto foi a 2,5 milhões de toneladas. Cresceu 28,5% em relação a junho.

Homem do apito

O vice-presidente do FMI, Murilo Portugal, que monitora as finanças de 80 países, tem um compromisso do qual não abre mão, em 19 de setembro: apitar a final do campeonato interno de futebol no Fundo.

Boa notícia

A Hemobrás a Hemope, de Pernambuco, inauguram nesta segunda, no Recife, um laboratório para produzir cola de fibrina, selante capaz de reduzir e até estancar hemorragias, produto muito caro, hoje importado.

Reclamar do quê?

O INSS reclama de barriga cheia dos seus déficits orçamentários. Com um orçamento de R$ 293 bilhões para este ano, o instituto é credor de R$ 166 bilhões em dívidas de grandes empresários. E não cobra.

Sugestão

Bem que o médico tarado Roger Abdelmassih podia pedir julgamento no Conselho de Ética do Senado Federal, que arquiva qualquer coisa. Talvez até beijo em paciente anestesiada…

Pensando bem…

… no Senado, o preço da liberdade é a eterna lambança.

PODER SEM PUDOR

Em nome de Deus

No governo Costa e Silva, uma campanha recolhia fundos para a conclusão da Catedral de Brasília, com apoio da primeira-dama, Yolanda. Preocupado com as fofocas sobre desvio de recursos, o então subchefe do Gabinete Civil, José de Assis Aragão, pediu a um jornalista para divulgar a decisão: o templo não seria apenas católico, mas ecumênico. Em pouco tempo a obra estava concluída. Aragão confessaria depois que a história do ecumenismo era só para dar um susto nos católicos e fazer o dinheiro aparecer:

– É pura mentira, mas Deus vai entender.

  •  

Deixe uma Resposta