• 25 ago 2009
  • Postado por Tiago

“A situação no Senado não está tranquila, não está resolvida”

Senador Eduardo Suplicy (PT-SP), ao criticar o presidente do Senado, José Sarney

Receita sabe a data da reunião Dilma-Lina

A memória pode ter traído a ex-secretária Lina Vieira, mas a Receita Federal sabe exatamente o dia em que ela se reuniu com a ministra Dilma Rousseff. Sabe, mas esconde a prova. É que, ao retornar do encontro, Lina consultou a situação dos processos envolvendo um dos filhos do senador José Sarney. Todos os ingressos nos sistemas da Receita ficam registrados, com nome do usuário, dia e hora do acesso.

Cadê o sistema?

Em 2005, o general Jorge Félix (Segurança Institucional) gastou R$ 3,2 milhões no sistema de “identificação digital” de quem entra no Planalto.

Lina, a invisível

A “identificação digital” do general Félix inclui 225 câmeras, sensores, cancelas, catracas, cartões. Agora diz que nada disso “viu” Lina Vieira.

Foto deletada

A “identificação digital” fotografou e fez imagens de Lina Vieira, que sumiram para Dilma Rousseff não passar por mentirosa.

Perguntar não prova

O apagador de fitas de vídeo está entre os gastos secretos da Presidência da República?

Morales compra avião para chamar de seu

O cocaleiro Evo Morales fez cara de coitadinho e levou mais US$ 322 milhões do Brasil, que jamais serão pagos, mas está usando R$ 100 milhões na compra de um avião Antonov, modelo “Regional Jet”, de fabricação russa. A argentina Cristina Kirchner comprou um Emb-195 da Embraer, made in Brasil, que custa a metade. Para 80 passageiros, o luxuoso jato terá sistema antimíssil, como o de Barack Obama.

Humilhação

Por não confiar nos militares do seu país, Evo Morales confiará o “Cocalero Uno” a pilotos cubanos, e não da Força Aérea Boliviana.

Efeitos colaterais

Assessores íntimos da ministra Dilma Rousseff lamentam, mas a coisa está feia. Ele não leva jeito de que vá disputar a eleição presidencial.

Folclore petista

Depois de Tarso Genro, conhecido como “O peremptório”, o PT agrega novo integrante “brancaleone”: Mercadante, “O irrevogável”.

Conluio contra a liberdade

O chefe do gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, foi ao México para uma reunião do Foro São Paulo, convescote das mais atrasadas figuras da esquerda latino-americana – também conhecido como “Jurassic Park”.

Montenegro, o especialista

Carlos Augusto Montenegro, dono do Ibope, disse a Veja que Lula não elegerá o sucessor. Em 1998, apostou, com igual ênfase, na reeleição do então governador do DF, Cristovam Buarque: “Se Joaquim Roriz (PMDB) vencer, eu não farei mais pesquisa em Brasília”. Deu Roriz.

Devagar com o andor

Sem negar-lhe o mérito, prudentes com a candidatura de Marina Silva lembram que ela é da mesma corrente cristã do ex-presidente George W. Bush, que nega a teoria da evolução de Darwin: o criacionismo.

Vire a folhinha

Desta vez o PT escapou da maldição do 13, número do partido, mas os dias 13 sempre renderam urucubaca: Lula foi vaiado no Pan do Rio de Janeiro e também num dia 13 estourou o escândalo dos aloprados.

Com Ferro fere…

Bem que o deputado petista Fernando Ferro alertou no Carnaval em Recife, em pleno escândalo do mensalão – como registrou a coluna – que “o PT tem vários PCs Farias”. Esqueceu tudo, depois da cerveja.

Mudanças na Infraero

O novo presidente da Infraero, Murilo Marques Barboza, define com o padrinho Nelson Jobim (Defesa) mudanças nas superintendências e diretorias da empresa. Não vai ficar ninguém da era Cleonilson Nicácio.

Sinuca de bico

Lula foi convidado a inaugurar em setembro dois novos estúdios da RecNov, o Projac da TV Record no Rio. Se for, ficará lado a lado com o dono da emissora, Edir Macedo, que tem nos calos o Ministério Público, e afrontará a Globo, com quem o bispo está em guerra.

Prestígio brasileiro

Peso pesado do governo alemão, o ministro da Economia Karl-Theodor zu Guttenberg vem ao Encontro Brasil-Alemanha, de domingo a terça em Vitória (ES), em plena campanha para o parlamento em seu país.

Best-seller

Sugestão para um novo livro de José Sarney, após a atuação decisiva de Lula no Senado: “Companheiro de fogo”.

PODER SEM PUDOR

25 de agosto a gosto

Na intimidade, Jânio não suportava conversar sobre a renúncia, assunto explosivo se provocado em público ou em ambiente com muitas pessoas. Um dia, aos próprios amigos, que insistiam em fazê-lo confessar algo mais do que a explicação que dava, respondeu com surpreendente calma:

– A verdade sobre a renúncia vocês já sabem. Se quiserem ingressar na ficção, conversem com o Vladimir Toledo Piza, que tem mais de 18 versões. Escolham uma delas.

  •  

Deixe uma Resposta