• 26 ago 2009
  • Postado por Tiago

“Que demissões?”

Ministro Guido Mantega (Fazenda), com “lulite aguda”, na crise da cúpula da Receita

CPI da Conta de Luz já está sob suspeita

Suspeitava-se que a CPI da Conta de Luz na Câmara nascera com o objetivo de intimidar empresários para depois dar uma aliviada e passar o chapéu. A desconfiança pode se confirmar: a CPI convocou 10 dos maiores dirigentes de empresas de energia para depor sobre formação de tarifas, quando até os postes sabem que essa é atribuição exclusiva da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que regula o setor.

Comando

A CPI da Conta de Luz é presidida por Eduardo da Fonte (PP-PE) e o relator, Alexandre Costa, é da bancada de Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Novo escândalo

Especialista em energia, o deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) acha que a CPI da Conta de Luz “é o embrião de um novo escândalo”.

Mina dando sopa

Fábio Resende pediu demissão da diretoria de Operações da estatal Furnas Centrais Elétricas. O PMDB já está de olho nessa mina de ouro.

Tô fora

Delfim Netto, 81, conselheiro informal de Lula, colocou stents no coração. Passa bem, mas se livrou do Conselho Curador da TV Brasil.

Loteria Raspadinha envolvida em polêmica

Vencedora de licitação para imprimir 150 milhões de bilhetes da nova Loteria Raspadinha, da Caixa, uma gráfica do Rio, a Minister, está sob suspeita de não ter condições de executar o contrato. A própria Caixa inspecionou a empresa para verificar isso, mas o diretor da área, Roberto Desiee, tem sido especialmente paciente com a empresa, esticando-lhe prazos. Contactada, a Caixa não quis se pronunciar sobre o assunto.

Governo do imposto

Entrou no ar ontem o site contra o novo imposto que substituiria a CPMF: www.xocss.com.br tem abaixo-assinado eletrônico e mural de protestos.

O de sempre

CCS (Contribuição Social para a Saúde) quer dizer mesmo é “Cês Sabem… Sifu”.

Corrida do crédito

Praticando taxas de juros que esmagam a concorrência, Banco do Brasil e Caixa já dominam 28% do crédito no país. E querem mais.

Boca BNDES

O BNDES abre escritório em Montevidéu para “contatos com países do Mercosul”, como se isso não pudesse ser feito da sede, no Rio. Mas aí não haveria boquinhas para a “cumpanheirada” ganhar em dólares.

Tutti buona gente

Defensores do italiano Cesare Battisti pressionam o Supremo Tribunal Federal para conceder “refúgio político” ao terrorista. Contra a provável absolvição de Antônio Palocci, nem “aí” pelo caseiro Francenildo.

Em campanha

O ministro José Pimentel (Previdência), do PT, nega que esteja em campanha para o Senado. Mas está. Abandona Brasília sempre quarta à tarde para fazer a ronda no Ceará, de onde só volta na segunda.

O frei do cabidão

Ex-aspone do Planalto, Frei Betto cospe no cálice em que bebeu: diz que Lula se afastou “dos movimentos sociais que o elegeram” (não foram os eleitores?), e que o PT “virou um cabidão, como o PMDB”.

O preço do irrevogável

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) renunciou à renúncia porque Lula insinuou que ele pode ganhar o direito de disputar a reeleição, o que o PT paulista decidira negar-lhe. Insinuou, mas não prometeu.

Fim do amadorismo

A Infraero deve devolver sua área de comunicação a profissionais. O setor está entregue à mulher de um coronel da Aeronáutica, protegida do ex-presidente da estatal, brigadeiro Cleonilson Nicácio da Silva.

Um país de todos

Depois da Associação dos Magistrados Brasileiros, manifesto de pastores evangélicos conclama o Congresso a não aprovar o acordo do governo com a Igreja, que ameaçaria o Estado laico.

Giramundo

O ex-presidente FHC está em Jerusalém com vários líderes internacionais, como o bispo Tutu, da África do Sul, e o ex-presidente dos EUA, Jimmy Carter, para “promover a paz no Oriente Médio”.

Santa Ceia

Lula, que diz não temer urucubaca, vai culpar Judas pela coincidência: com Lina Vieira, foram 13 a sair da Receita. O número do PT.

PODER SEM PUDOR

Santa promessa

Em 1994, Esperidião Amin fazia campanha em Laguna, na sua Santa Catarina, quando foi interpelado por uma eleitora:

– O que o senhor vai fazer por mim?

Amin começou a citar pontos do seu programa, mas ela o interrompeu:

– Não é isto. Eu quero que o senhor me arrume um marido bonito e rico…

Ele se lembrou que Santo Antônio dos Anjos era padroeiro local e tascou:

– Vou agora mesmo à igreja ver se arrumo um despacho direto com o santo, para encaminhar o seu pedido.

E seguiu célere para a igreja.

  •  

Deixe uma Resposta