• 22 set 2009
  • Postado por Tiago

“Vamos analisar com muito cuidado, com cautela”

Líder tucano, senador Arthur Virgílio, sobre a indicação de José Antonio Toffoli ao STF

Congresso tem sete CPIs rumo à

pizza

O Congresso tem sete CPIs em andamento e mais três a serem instaladas só no Senado. A CPI da Petrobras, por exemplo, foi sepultada em sua quarta reunião, quando o governo rejeitou, em uma só canetada, mais de 60 requerimentos da oposição. A CPI das ONGs, que investiga o afano de verbas por organizações não-governamentais, foi criada em outubro de 2007 e, dois anos depois, nada investigou.

Bate-boca

Na CPI da Dívida Pública, houve bate-boca: os tucanos não quiseram investigar o aumento de 1.100% na dívida interna na era FHC.

Sem votações

Na Câmara, a CPI da Violência Urbana está praticamente parada: só conseguiu eleger seus membros e realizar quatro encontros.

Casa da pizza

A Câmara realizou, entre 2002 e 2006, nove CPIs. Incluindo a CPI da Privatização do Setor Elétrico, que nem chegou a eleger membros.

Sem investigação

O Senado aguarda a instalação das CPIs da Amazônia; do DNIT; e dos Medicamentos. Com o governo na maioria, pouco será investigado.

Indústria ignora carro elétrico brasileiro

Ex-presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o engenheiro Elifas Gurgel, desenvolveu em Brasília, com associados da UnB, um projeto de carro elétrico. O veículo – modelo Gol – está pronto e rodando. O abastecimento é doméstico, na tomada, e tem autonomia para rodar 80 quilômetros, por enquanto. Nenhuma montadora nacional se interessou. Devem estar hipnotizadas pela abundância do pré-sal.

Ditadura da impunidade

Para a Associação Brasileira de Imprensa o caso Pimenta Neves é “um escárnio”. A lei é “resquício da ditadura”, diz Maurício Azêdo, da ABI.

Vento a favor

O TRT de Minas Gerais pagará R$ 32 mil à família Schürmann pela palestra “Não é possível mudar os ventos, mas ajustar as velas”.

Pólo fatura alto

O pólo industrial de  Manaus faturou US$ 2,145 bilhões em julho. Foi o melhor resultado desde o início da crise, em novembro de 2008.

‘Nacionalismo’ em dólares

O empresário Eike Batista agora se diz “nacionalista”, mas enquanto a Vale comprou por US$ 750 milhões, em Corumbá (MS), uma mina de minério de ferro da australiana Rio Tinto, ele vendia ativos minerais, em Minas, para os australianos da Anglo American, por US$ 5 bilhões.

Pedaço do Brasil

Eike Batista, o “nacionalista”, também negocia com a gigante chinesa Wuhan a venda de parte da MMX Mineração e da MMX Sudeste, de sua propriedade, pela bagatela de US$ 400 milhões.

‘Cuidado comigo’

Às vésperas do depoimento do poderoso gerente de Comunicação Wilson Santarosa na CPI da Petrobras, a estatal lembrou que vai contratar três agências para torrar R$ 600 milhões de propaganda.

Sarkozy se irritou com…

Segredo agora revelado: Nicolas Sarkozy abandonou abruptamente o desfile de 7 de Setembro porque a esquadrilha francesa fora proibida de fazer evoluções sobre Brasília; só pôde fazer um voo rasante. Lula precipitou o anúncio da compra dos caças para “acalmar” Sarkozy.

…reciprocidade brasileira

O veto às evoluções da esquadrilha francesa foi um troco atribuído ao comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, que aplicou o princípio da reciprocidade: na abertura em Paris no Ano do Brasil na França, nossa Esquadrilha foi proibida de fazer evoluções sobre o Arco do Triunfo.

Forçando a barra

Ao acolher o ex-presidente Manuel Zelaya, a embaixada do Brasil em Tegucigalpa se meteu na política hondurenha. Quando esteve em Brasília, Zelaya encontrou sua embaixada de portas fechadas para ele.

Porteira fechada

Neófito na política, mas com a arrogância própria do meio, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, achava que conseguiria “bypassar” Orestes Quércia e disputar o governo de São Paulo pelo PMDB. E se deu mal.

Festa do interior

Mais de dois mil prefeitos, aspones e moçoilas serelepes se encontram a partir de hoje em Brasília durante o 10º Congresso Brasileiro dos Municípios. O pretexto é discutir estratégias e a redução do FPM.

Sem asas

Esta terça é o Dia Mundial Sem Carro. Quando será criado em Brasília o Dia Nacional Sem Jatinhos?

PODER SEM PUDOR

Água que passarinho bebe

Damião Feliciano (PB) era candidato a deputado federal, em 1998, quando visitou o município de Curimataú. O chefe político local, ofereceu-lhe um copo de sua “fonte de água mineral”, de que muito orgulhava. Médico, Damião desconfiou que a água estava contaminada e acabaria doente. Pediu outro copo e o dividiu com seu pobre assessor, Jota Sales, que, sob o sol de 40 graus, aceitou a generosa oferta do chefe. Mas todos se salvaram.

Segundo relato do jornalista Heraldo Nóbrega, ninguém adoeceu, Damião foi eleito e o coitado do assessor manteve o emprego.

  •  

Deixe uma Resposta