• 29 set 2009
  • Postado por Tiago

“O que tirei de bom foi dar mais valor à vida”

Dilma Rousseff (Casa Civil), ao comentar o final de seu tratamento contra o câncer

Planalto teme que falta de quorum derrote Toffoli

O Palácio do Planalto teme que a ausência de aliados coloque em risco a aprovação, no Senado, do nome de José Antonio Dias Toffoli para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. Dezoito senadores faltaram à votação do indicado para o Tribunal de Contas da União, José Múcio, figura muito querida até na oposição. Como o ex-petista Toffoli é polêmico, os articuladores do governo tentam evitar surpresas.

Reforço

Muito embora não seja mais sua área, o ex-ministro da articulação José Múcio se juntou ao esforço do governo para garantir votos para Toffoli.

Mau começo

Foi decepcionante o discurso de posse do ministro Alexandre Padilha, substituto de José Mucio. Longo, cansativo e vazio de propostas.

Põe na coleção

Mais uma derrota da nossa diplomacia: na OEA, os EUA chamaram de “irresponsável” a volta de Manuel Zelaya e o apoio de “alguns países”.

Porta fechada

Antes de ingressar no PSC, o senador Mão Santa (PI) tentou assinar ficha no PSDB e no PPS. Bateu com a cara nas portas, fechadas.

Oficial do Exército brasileiro não vê ‘golpe’

Irmão do verdadeiro Capitão Nascimento, do filme “Tropa de Elite”, o tenente-coronel Paulo Pimentel deveria ter sido ouvido antes de o governo Lula se meter em Honduras. Trabalhava no País pelo Exército brasileiro, num acordo de cooperação, quando após a saída de Manuel Zelaya recebeu ordem para voltar. Texto atribuído a ele critica a atitude do novo governo Honduras, mas é taxativo: não houve “golpe” no País.

Está na Carta

A Constituição de Honduras, diz Paulo Pimentel, veda a reeleição e destitui e considera “traidor da pátria” governante que tente instaurá-la.

Goleada

A destituição de Zelaya, decidida pela Corte Suprema, foi referendada pelo Congresso por uma votação acachapante: 123 x 5.

Porralouca

Antes de cair, Zelaya liderou uma turba na invasão a instalações da Força Aérea hondurenha. Até seu ex-vice já estava contra ele.

Rei vivo, rei posto

No governo Lula, caem matando até quando um cargo apenas ameaça ficar vago. Licenciado para a sabatina no Senado, José Antônio Dias Toffoli passou por um constrangimento: a Advocacia-Geral da União, que ainda chefia, pediu de volta o seu celular, e que estava desligado.

Pai dos pobres

Além dos US$ 332 milhões para construir uma estrada, o governo Lula deu mais US$ 4 milhões nossos ao presidente cocaleiro da Bolívia, Evo Morales, para saúde e educação. Dos bolivianos, claro.

Consulado do calote

Em Nova York, empresas que alugam carros com motoristas correm de clientes brasileiros ligados a comitivas oficiais: reclamam que o consulado-geral do Brasil leva até 90 dias para pagar as faturas.

Mais furo no cinto

O governo “democraticamente comunista” de Cuba vai fechar “por enquanto” restaurantes de quatro estatais, para “reduzir gastos”. É a verdadeira união da fome com a vontade de comer dos cubanos.

Gosto de governo

A Santa Rosa Bureau Cultural, da ex-secretária de Cultura de Minas Gerais Eleonora Santa Rosa, ganhou do governo federal, sem licitação, R$ 400 mil para criar o Memorial da Anistia, em Brasília.

Gringo no pedaço

Após uma temporada em Havard, Mangabeira Unger deve se filiar ao PMDB e percorrer o País tentando se viabilizar, creia, como candidato a presidente. Deveria, antes, fazer um intensivão de Português.

Chapa branca

Em nota, a União Nacional dos Estudantes repudiou o “golpe militar” em Honduras, mas não cita ditaduras cruéis como as de Cuba, Líbia e Zimbábue, cujos líderes posaram para fotografias ao lado de Lula.

Outra do Chávez

O golpista Hugo Chávez conspira mesmo contra Lula. Plantou Zelaya na embaixada para meter o Brasil na confusão em Honduras, e agora declara apoio a Dilma Rousseff. Ela pensava ter-se livrado do câncer.

Pensando bem…

…Manuel Zelaya armou literalmente o maior barraco na embaixada em Honduras.

PODER SEM PUDOR
Contingenciar é cruel

Quando era ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes recebeu os deputados Virgílio Guimarães (PT) e Athos Avenilo (PPS) e representes do norte mineiro. Ex-relator da reforma tributária na Câmara, Guimarães foi direto ao ponto:

– Queremos que você corte 70% da verba prevista para o Norte de Minas…

Diante de um Ciro boquiaberto, ele emendou, agora com ar de súplica:

– …em compensação, queremos que você libere os outros 30%!…

Todos caíram na gargalhada. O ministro prometeu pensar no assunto.

  •  

Deixe uma Resposta