• 08 out 2009
  • Postado por Tiago

“O Brasil não é um comprador. É um parceiro”

Nelson Jobim (Defesa), justificando a compra dos caças ‘0 km’ pelo governo brasileiro

Projetos fazem o Brasil abrir mão da dignidade

São casos de má-fé cínica ou de obtusidade córnea (como Eça de Queiroz definiu o Conselheiro Acácio, em “O Primo Basílio”) os projetos que garantem vistos de entrada no Brasil mesmo em países que exigem vistos de brasileiros, como os Estados Unidos. Pelos projetos, o Brasil renuncia à última trincheira da dignidade de um país: o exercício da reciprocidade, em que países retribuem o tratamento que recebem.

Por 30 dinheiros

Projetos que eliminam a exigência de visto até de países que hostilizam brasileiros pretendem “aumentar o faturamento” da indústria do turismo.

Lobby intenso

O deputado Carlos Cadoca (PSC-PE) tem três projetos que “facilitam” vistos para estrangeiros. Ele admite “afinidades com o setor turístico”.

Só para chatear

Candidato ao governo baiano, o ministro Geddel Vieira Lima chega hoje a Salvador com Dilma Rousseff, só para chatear os rivais do PT.

Beata Dilma

Em campanha para Miss Simpatia, a ex-materialista Dilma vai à igreja do Senhor do Bonfim agradecer a cura do câncer que a atormentava.

Justiça afasta a Receita Federal de cervejaria

A cervejaria Petrópolis, dona das marcas Itaipava e Crystal, conseguiu na Justiça o direito de não ser fiscalizada pela Receita Federal por meio dos contadores de produção, que indicam a natureza e o volume produzidos. A empresa, que teve sócios presos na Operação Cevada, da Polícia Federal, alega que se preocupa com o destino dos impostos, mas a Receita acha que ela apenas não quer é ser fiscalizada.

Alegação

Para afastar a Receita, a Petrópolis alega que o PIS/Cofins só poderia ser revertido à Seguridade Social e Fundo de Amparo ao Consumidor.

Tocha olímpica

Incendiando trens atrasados ontem no Rio, os cariocas competiram na primeira prova das Olimpíadas de 2016: a de fogo.

É ‘cosa nostra’

O bufão aloprado Silvio Berlusconi perdeu a imunidade de primeiro-ministro. Prova de que até na Itália nem tudo acaba em pizza.

Pequeno problema

A presidente do PMDB, Iris de Araújo (GO), apresentou, na reunião de cúpula de ontem, pesquisa que revela que 58% do partido preferem a candidatura própria à Presidência. Só tem um problema: o nome. Ela não apresentou nenhum e o PMDB não tem um candidato forte.

Calou por quê?

O Ministério da Justiça informou que “acompanha” o caso do brasileiro Vicente Aguiar Vieira, que os narcoterroristas das Farc sequestraram há dois meses na Venezuela, mas não cita gestões para sua libertação. E o ministro Tarso Genro permanece em constrangedor silêncio.

A grande família

O “bispai” do Paraguai, Fernando Lugo, poderá tentar a reeleição se aprovada emenda constitucional em 2010, contrabandeada num projeto educacional. Acólitos do presidente conversam com os partidos. Sei…

Candidatura top-top

Com Ciro Gomes no encalço, a candidata Dilma tem outro problemão: a entrada na campanha do aspone de Lula, Marco Aurélio Garcia. De top de linha à presidência, Dilma passou a top-top fim de linha.

Se pode atrapalhar…

“Nunca antes na história do mundo” um presidente, que podia ser o negociador, entorna de vez o caldo em Honduras: Lula exige a renúncia do presidente Micheletti, quando o próprio fala em sair.

Tiro certeiro

O Exército promoveu ontem uma competição de tiro para homenagear o ministro Flavio Bierrenbach, que se aposentará no Superior Tribunal Militar. Exímio atirador, ele próprio ficou em terceiro, em 34 desafiantes.

Tente outra vez

A Receita divulga até o final do mês os qualificados para “o maior leilão do mundo”: 37 scanners de US$150 milhões para portos, aeroportos etc. O rolo foi tanto que a Justiça parou o processo por oito meses. A alemã Smiths, representada aqui pela Ebco, venceu o primeiro leilão.

Para explicar

A decisão da Agência Nacional de Saúde Complementar, que colocou sob “direção fiscal” a Unimed Paulistana, fez a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara convocar o presidente da ANS para explicar em audiência pública suas medidas consideradas “precipitadas”.

Pensando bem…

…pelo empenho em destruir laranjas, o MST deveria trabalhar com a Polícia Federal ou com o Ministério Público.

PODER SEM PUDOR
Cidadania cassada

No quase linchamento do ex-secretário do Tesouro Joaquim Levy, na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado em 2003, o então senador Sérgio Cabral (PMDB-RJ) cobrou dele a transferência dos recursos já acertados para pagar o 13º salário devido por Benedita da Silva aos servidores estaduais. Levy tentou tirar o corpo fora, negando má vontade com o Rio de Janeiro:

– Eu sou carioca e…

– Carioca nada! – interrompeu Cabral, cassando-lhe a cidadania – o sr. não é mais carioca. Está há muito tempo em Brasília em negociação com o FMI!

  •  

Deixe uma Resposta