• 27 out 2009
  • Postado por Tiago

“Não é fácil governar com a poderosa máquina de fiscalização”

Lula, o primeiro presidente ‘nahistóriadessepaís’ a pedir menos fiscalização

MST faz o PT arquivar projeto antiterrorismo

Temendo “atingir” o MST e outros “movimentos sociais”, o deputado Eduardo Valverde (PT-RO) retirou da Câmara o projeto de lei sobre o terrorismo no Brasil, que tramitava há dois meses, propondo “defender a sociedade da violência urbana e inibir ações terroristas”. Na época em que o projeto foi elaborado, São Paulo sofria ataques da organização criminosa “PCC” e, no Rio, ônibus eram queimados.

Petista ‘amarelou’

Eduardo Valverde diz que seu projeto regulamentava Constituição, mas o PT temia “criminalizar o MST”, e essa não era sua “intenção”.

É um terror

O projeto atendia a resolução da ONU, mas foi acusado por “ativistas” de direitos humanos de “transformar crimes comuns em terrorismo”.

A vida é bela

Funcionários públicos, categoria que com Lula já alcança quase 5% do PIB em despesas, são dispensados para doar sangue. O mortal, não.

Barraca de campanha

Como 2010 vem aí com Dilma e Lula no palanque, o governo vai gastar R$ 99 mil com três cursos para treinar porta-vozes e novas mídias.

Governo Lula investe pouco em segurança

Enquanto o crime avança, no Rio de Janeiro, o governo Lula registra números incômodos: de 2001 a 2008, investiu apenas R$ 7,5 bilhões para financiar ações de segurança pública (menos que 1% do PIB), mas gastou R$ 52,7 bilhões no programa Bolsa Família, por exemplo, acusado de desvios. Em 2008, o investimento na segurança dos cidadãos foi de apenas 0,25% do PIB, segundo a ong Contas Abertas.

Na caixinha

O ministério da Defesa ganhou um reforço de caixa para construir submarinos convencionais e um de propulsão nuclear: R$ 2,1 bilhões.

E ninguém vai preso…

Passagem Brasília-Atlanta (EUA), pela Delta Airlines, ida e volta, custa R$ 1.800, praticamente o que a TAM cobra pela rota Brasília-Maceió.

Em pauta

O relatório da polêmica PEC dos Precatórios será apreciado hoje na comissão especial da Câmara dos Deputados.

Outro mundo

Em nota, o governo Lula se diz “profundamente preocupado com a espiral de violência”… na Somália, onde mais de trinta morreram em uma guerra de facções. No Rio, foram 42 mortos em sete dias.

Braga com Aécio

Em reunião com o DEM, o governador do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB), revelou que avisará ao presidente Lula, o amigo de quem é admirador: não terá como deixar de apoiar o governador tucano Minas, Aécio Neves, caso ele confirme sua candidatura a presidente.

Dinheiro não é tudo

Candidato mais rico da última eleição (R$ 225 milhões declarados em bens), Airton Garcia (DEM) perdeu a prefeitura de São Carlos (SP) para Oswaldo Barba (PT) e agora tentou controlar o PMDB, retirá-lo da base pró-PT e sair candidato a deputado federal. Perdeu a convenção.

O julgamento de Chávez

Na votação sobre o ingresso da Venezuela no Mercosul, quinta-feira, o Senado dará voto de confiança ou repudiará o semi-ditador Hugo Chávez. O relator, Tasso Jereissati (PSDB-CE) opinou pela rejeição.

Sobe até as Olimpíadas…

O Brasil está no 41º lugar em qualidade de vida no mundo, abaixo da Costa Rica, Uruguai, Argentina e Chile, diz o Instituto Legatum, que analisou educação, saúde, liberdade, capital social e segurança.

Fábrica de roteiros

O vídeo do governo petista da Bahia exaltando as “maravilhas” de Salvador, tem precedente: o “Cidade Viva”, na longa prefeitura petista em Porto Alegre. Era mais falso que nota de R$ 3.

Sem prejuízo

A produção das novas provas do Enad não representará gastos para o Ministério da Educação. Os R$ 35 pagos na inscrição pelos 4,2 milhões de alunos renderam R$ 148 milhões. E o consórcio que deixou vazar a primeira prova, informa o MEC, devolverá os R$ 32 milhões recebidos.

Toma que é teu

Um assunto tira do sério o prefeito de Campo Grande (MS), Nélson Trad (PMDB): a transferência de dez chefões do tráfico do Rio para o presídio de segurança máxima na capital sul-matogrossense.

Perguntar não dá TCU

Se o inglês Ian Fleming criou o agente 007, que tinha licença para matar, Lula quer criar o agente PAC 000 com licença para roubar?

PODER SEM PUDOR
A Justiça que não cheira bem

Acusado de suposta propina no Banco do Estado de Pernambuco, em 1975, o senador da Arena Wilson Campos grampeou a conversa em que o empresário Carlos Alberto de Sá sugeria que agilizasse um empréstimo, apelando “a um desses generais de merda”. A fita circulou nos quartéis, irritando os generais, que pediram ao presidente Geisel a cassação do senador. Absolvido no Senado, receberia um telegrama dos colegas do Sesc, que só chegou quando foi cassado pelo AI-5. Dizia: “A Justiça tarda, mas não falha.”

  •  

Deixe uma Resposta