• 28 out 2009
  • Postado por Tiago

Antaq nomeia acusado em processo no TCU

O governo Lula se irrita com o Tribunal de Contas da União, mas bem que o TCU tenta ajudar. Em 2006, apurou indícios de irregularidades e aplicou multa no presidente do INSS, Carlos Bezerra, e em Glauco Alves Cardoso Moreira, procurador, dentre outros. Apesar desse “aviso prévio” do TCU, Moreira foi nomeado na calada do feriadão de segunda (26) procurador-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários.

Sem aviso prévio

Há anos procurador-geral da Antaq, o respeitado Aristarte Gonçalves Leite Jr. soube pelo Diário Oficial do dia 26 que havia sido substituído.

Plantando, dá

Hugo Chávez avisou na TV venezuelana que Lula vai colher soja na Venezuela, cultivada com ajuda do Brasil. Se fosse plantar batatas…

Mala sem alça

Marta Suplicy tenta empinar a candidatura do Aloizio Mercadante (PT) ao governo de São Paulo, de olho na vaga para o Senado. Está difícil.

Perguntar não descrimina

Tudo bem: foro privilegiado para o político não ser “perseguido” por uma autoridade. E quando uma autoridade persegue o cidadão?

O dia em que ministro de Lula escapou da morte

“Perdão, Mister Fiel”, filme do jornalista Jorge Oliveira, escolhido para a mostra competitiva do Festival de Cinema de Brasília, chega às telas com depoimentos inéditos do presidente Lula e de pessoas como um ex-agente do DOI/Codi. Ele conta com detalhes como o atual ministro da Propaganda, Franklin Martins, escapou da morte quando estava com pessoas da resistência à ditadura em São Paulo, nos anos 70.

Por pouco

Durante alguns minutos Martins esteve sob a mira das armas dos agentes da repressão, segundo depoimento de ex-sargento do Exército.

História

O filme conta a história do operário alagoano Manuel Miguel Filho, militante de esquerda, assassinado nos porões do DOI/Codi, em SP.

MultiDilma

Ex-guerrilheira e falsa doutora em Economia, a ministra Dilma agora também se diz “cozinheira” do PAC. Humm…

Novo nome

Novo no Supremo Tribunal Federal, José Antonio Dias Toffoli sinalizou ontem, em seu primeiro despacho, como deseja ser chamado pelos colegas, advogados e funcionários do STF: ministro Dias Toffoli.

Ojeriza a CGU

A Controladoria-Geral da União quer fiscalizar as operações do BNDES com recursos públicos. Assim como a Petrobras, o banco nem quer saber de fiscalização, alegando ameaça de “quebra de sigilo bancário”.

Lixo da História

O Brasil vai demorar a recuperar sua reputação, mundo afora, após receber a visita, a convite, do presidente porralouca do Irã, Mahmoud Ahmadinejad – aquele que faz tudo para virar lixo nuclear da História.

O dia da caça

Uma ONG sul-coreana quer levar o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-il, ao Tribunal Penal Internacional em Haia por crimes contra os direitos humanos. Logo agora que Lula abriu embaixada lá…

Superproteção

O novo advogado-geral da União, Luiz Adams, defendeu as viagens de Lula com a candidata Dilma em campanha, “porque eles não podem governar em uma redoma”. Já governam: nada acontece com eles.

Um dia, quem sabe…

Há muitos mais mistérios do que supõe nossa estupefação no assassinato do coordenador do grupo AfroReggae, deixado agonizante por PMs que o roubaram no Rio de Janeiro, dia 18.

Questão de gás

Cotado para uma diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o professor Nivalde José de Castro encontra resistência, após dizer que as termelétricas não teriam preços competitivos.

Sem dó do Dé

Vereador de Barro Preto (BA), José Hélio dos Santos, o Dé, poderá ser condenado a multa por “propaganda antecipada”. Distribuía camisetas e espalhava que quer ser deputado estadual. E nem tem PAC por lá.

Pensando bem…

…no Brasil, certos partidos políticos são um eufemismo para “facção”.

PODER SEM PUDOR

Faltou ‘sensibilidade’

O cargo de ministro da Cultura de Itamar Franco inflou o ego do diplomata José Jerônimo Moscardo de Souza, que certa vez achou de criticar a “falta de sensibilidade social” do ministro da Fazenda, Fernando Henrique. No dia seguinte, FHC topou com o espaçoso Jerônimo na antessala do presidente.

– Olá, meu querido! – exclamou o diplomata, de pouca sensibilidade política.

– “Meu querido” uma ova! – reagiu FHC – estou aqui pra pedir a sua cabeça!

Pediu e Itamar a entregou na bandeja: Jerônimo foi despachado para a Unesco. FHC não ficou satisfeito: já presidente, transferiu-o para Bucareste (Romênia), considerado o pior posto da diplomacia, na Europa.

  •  

Deixe uma Resposta