• 30 out 2009
  • Postado por Tiago

“Espero que todas as candidaturas possam ficar verdes”

Senadora Marina Silva (AC), pré-candidata do PV à Presidência da República em 2010

Terroristas do Irã poderão se abrigar no Brasil

Se a visita do porralouca Mahmud Ahmadinejad, dia 23, sacramentar a isenção de visto para iranianos, estará aberto perigoso precedente na periclitante segurança interna, já abalada pelo poder do tráfico. Cinco funcionários do primeiro escalão do governo do Irã são procurados pela Interpol pelo atentado, em 1994, ao prédio da instituição beneficiente Amia, em Buenos Aires. Morreram 85 pessoas, 300 ficaram feridas.

Em casa

Um dos procurados é o ministro da Defesa, Vahidi Ahmand, que seria o mentor do atentado que abalou as relações da Argentina com Israel.

Problema de todos

“É um problema de segurança nacional, não apenas dos judeus”, alerta o cônsul honorário de Israel no Rio, Osias Wurman.

Porta aberta

A isenção de visto, lembra ele, “é porta aberta ao fundamentalismo islâmico, que poderá circular livremente no território nacional”.

Palanque

Na Agência Brasil, do governo, o vice-chanceler iraniano, Alireza Salari, disse que “sionistas e israelenses” são “inimigos da democracia na AL”.

PSDB consulta aliados sobre presidenciáveis

FHC e o senador Sérgio Guerra (PE), respectivamente presidentes de honra e nacional do PSDB, iniciam com o presidente do PP, senador Francisco Dornelles (RJ), uma séria de “consultas reservadas” com partidos com chances de se aliarem aos tucanos. Eles querem saber qual é o candidato do partido que soma mais e que tem mais chances de vencer a disputa pela Presidência com Dilma Rousseff, em 2010.

Em família

A resposta do senador Francisco Dornelles está na ponta da língua: o governador mineiro e seu primo, Aécio Neves (PSDB).

Confortável

Em recente encontro com Fernando Henrique Cardoso, Sérgio Guerra confessou: “eu me sentiria mais à vontade se Aécio fosse o candidato”.

Bem feito

Lula pagará o mico de participar do programa de tevê de Hugo Chávez, em Caracas, em que o semi-ditador fala sem parar durante horas.

Sem vestígios

Amigo do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e frequentador assíduo do Palácio de Ondina, Francisco Mendonça recebeu ordem para pegar leve na sua mansão do condomínio de luxo Alphaville, em Salvador. “Mendoncinha” captou a mensagem. Até os tijolos sumiram.

Rauareiú, deputado?

Relator do Código Florestal, o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) recebeu o Greenpeace, e logo perguntou por que a ONG tem nome em inglês. Ele é autor do projeto que protege a língua de estrangeirismos.

Intensivão básico

Aldo Rebelo colaborou para a melhoria do nível da turma do Greenpeace, presenteando-a com as obras completas de José Bonifácio, o Patriarca da Independência, primeiro brasileiro a se preocupar com reforma agrária e defesa do meio ambiente.

Vale-tudo

Só não vale dedo no olho na campanha para presidir a OAB-SP. Um concorrente do atual presidente fez enquete fraudulenta na internet para tumultuar a re-reeleição de Luiz Flávio Borges D’Urso.

Filhos da Viúva

A UNE, que só faz passeata a favor, ganhou mais uma et pour cause: vai levar R$ 30 milhões de indenização pelo incêndio da sede no Rio, em 1964. O acordo passou na Câmara, por unanimidade.

Evangelho petista

Vem de longe a “bíblia”: antes de Lula juntar Jesus a Judas, o governador Marcelo Deda (PT-SE) saudou a posse do superintendente da Sudene como “a história de Lázaro, que Jesus ressuscitou”.

Casa de ferreiro

O deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) pergunta como parar a violência no Rio, “quando o presidente da República financia com dinheiro do povo os celerados do MST, UNE, e simpatiza com as Farc?”

Nação Opep

A Vipetro, exploradora privada brasileira, informou à Agência Nacional do Petróleo que encontrou indícios de petróleo em um poço no Espírito Santo. É a segunda descoberta no mesmo local em um mês. A portuguesa Galp também encontrou petróleo em Sergipe.

Vassourada

Ainda bem que cai no sábado o Dia das Bruxas. Já imaginou-as soltas, inaugurando obra?

PODER SEM PUDOR
PhD só em elitismo

José Serra tinha fama de detestar nordestinos, mas o que ele não entende é de povão. Na sua primeira campanha eleitoral, em 1986, ele combinou encontrar os assessores numa feira típica nordestina no bairro paulistano de Vila Mariana. Chegou e não os encontrou. Achou-os, depois, num bar.

– Como é que vocês me deixam aqui sozinho e ficam aí, em vez de trabalharem? – reclamou o candidato, irritado.

– Serra – respondeu um deles – feira, nordestina ou não, a gente visita de manhã, e não às duas horas da tarde…

  •  

Deixe uma Resposta