• 13 nov 2009
  • Postado por Tiago

“O presidente Lula está com Alzheimer político”

Ronaldo Caiado, líder do DEM, indignado com as críticas de Lula em relação ao mensalão

Comitê de Dilma se reúne até no Planalto

Para a ministra Dilma Rousseff a campanha de 2010 já começou e até sua casa se transforma em comitê eleitoral pelo menos uma vez por semana. Sempre às terças-feiras, ela reúne o comando da campanha ora em sua residência e ocasionalmente no Palácio do Planalto, para discutir os rumos da corrida. Participam das reuniões o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e o ministro da Propaganda, Franklin Martins.

Presenças ilustres

Também vão às reuniões Fernando Pimentel, ex-prefeito de BH, Gilberto Carvalho, secretário de Lula, e o marqueteiro João Santana.

Estilo de ministro

As reuniões semanais do staff de Dilma Rousseff mostram seu estilo organizado e alguns dos pretensos futuros ministros

Peremptória insensatez

O ministro Genro (Justiça) confundiu “microincidente”, como definiu o apagão, com “micoindicente”, que ele pagou dizendo tamanha tolice.

Volta para o futuro

Tudo o que não quer Dilma, a mãe do apagão, neste momento, é ser lembrada como a ex-ministra das Minas e da Falta de Energia.

Planos de saúde mais caros para servidor idoso

O governo Lula parece desprezar mesmo os votos dos idosos: a partir de janeiro, o repasse do auxílio-saúde para servidores e pensionistas será reajustado de R$ 65 para R$ 72. O preço médio de um plano de saúde para quem já chegou aos 60 anos é de R$ 400, ou seja, o idoso vai ter de pagar mais pelo restante. O novo valor atinge cerca de dois milhões de servidores de forma linear, independente da idade.

Apreensão

Há apreensão no Banco Central sobre previsões de crescimento recorde do Brasil em 2010: sem infraestrutura no País, a inflação pode voltar.

Está explicado

O leitor Frederico Araújo, de São Paulo, descobriu a razão do sumiço da ministra Dilma Rousseff após o apagão: “ela tem medo do escuro…”

Fiat Lux

O Ministério da Propaganda também apagou: em cadeia de rádio e TV, Lula ao menos poderia dizer que não viu nada “porque estava escuro”.

Barata tonta

Eduardo Barata, diretor do Operador Nacional dos Sistemas, parecia ontem uma barata tonta, na tevê, tentando explicar o apagão da era Lula e a incapacidade de sua ONS de evitá-lo.

Trem-fantasma

Ontem, day after do desastroso apagão nacional, a ministra Dilma tinha agendados encontros com o governador Luiz Henrique, de Santa Catarina, e com técnico chinês de projetos de ferrovias e trem-bala.

Farol do breu

A sede no Rio da estatal Furnas, uma das responsáveis pelo apagão, iluminava o breu dos moradores de Botafogo, zona sul, com todos os geradores ligados. Deu uma inveja nos contribuintes…

Mentira de advogado

Até o ministro Marco Aurélio caiu na lorota de que o terrorista Cesare Battisti “não foi submetido ao devido processo legal”. Não é verdade. Ele foi duas vezes julgado por quatro assassinatos e condenado à prisão perpétua em um pais democrático, com uma Justiça plena.

Bagunça gerencial

A Secretaria de Relações Públicas do Senado enviou correspondência ao líder do PMDB. No envelope, branco e grande, foi na etiqueta: “Cargo: vago”.  Renan Calheiros (AL), o ocupante, deve ter adorado…

Nepotismo

Em carta aberta, o ex-presidente nacional da OAB Reginaldo de Castro fez grave denúncia contra Ibaneis Rocha, candidato da situação à OAB-DF: ele nomeou três parentes para a Caixa de Assistência de Advogados.

Madame nervosa

Funcionária da comissão da Partilha do pré-sal, na Câmara, Maria Auxiliadora (“Cilí”) trata repórteres com muita grosseria. A dúvida é se apenas imita o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) ou cumpre ordens.

Outro apagão

Cerca de dois mil trabalhadores Furnas Centrais Elétricas recorrerão ao TRT de Brasília contra o acordo do Ministério Público do Trabalho com a estatal que pode resultar na demissão, até dezembro, de mais de 400 empregados qualificados, que fariam muita falta num próximo apagão.

Perguntar não ilumina

Quando o governo Lula vai criar o Bolsa-vela?

  •  

Deixe uma Resposta