• 16 dez 2009
  • Postado por Tiago

“O nosso grande nome é o do presidente do partido [Michel Temer]”

José Sarney, sobre o nome que vai ocupar a vaga de vice na chapa de Dilma Rousseff

CGU investiga desvio de dinheiro no Turismo

A Controladoria Geral da União (CGU) investiga um escândalo de grosso calibre, no âmbito do Ministério do Turismo: o desvio de recursos destinados a eventos em centenas de municípios, financiados majoritariamente por emendas parlamentares. Só este ano, receberam ajuda financeira cerca de 1.500 eventos “que atraem fluxo turístico” (a condição para o patrocínio oficial), no total de mais de R$ 250 milhões.

Quebra de sigilos

A CGU já requereu a quebra dos sigilos bancário e fiscal de vários agentes públicos, incluindo dirigentes do Ministério do Turismo.

Dinheiro fácil

Cada “projeto” de evento recebe até R$ 1,2 milhão do Ministério do Turismo em emendas parlamentares, sendo R$ 300 mil por deputado.

Notas frias

A CGU suspeita que prefeitos, ONGs e deputados federais prestam contas com notas fiscais frias para justificar despesas desses eventos.

Superfaturamento

Os custos dos eventos turísticos nos municípios são também superfaturados, acredita a CGU, incluindo os cachês pagos a artistas.

Blogs fazem consórcio contra a censura

Os blogueiros Adriana Vandoni e Fabio Pannunzio criaram a “permuta de censura”. Vítimas de um abuso freqüente da Justiça, apesar da Constituição e de decisões do Supremo, um publica o que é proibido ao outro. Ele está impedido de mencionar uma quadrilha de Curitiba e ela de citar o deputado José Riva (PP), presidente da Assembléia do Mato Grosso, réu por formação de quadrilha, desvio, improbidade etc etc etc.

Badalos natalinos

Os servidores do Tribunal de Justiça da Bahia estão emendando greve com Natal e talvez Ano-Novo. Não querem trabalhar oito horas por dia.

Um dia especial

A coluna seleciona até domingo (20) as melhores Broncas dos leitores com o que eles esperam de 2010. Serão destaque em 1º de janeiro.

Toma lá…

O governo do DF tem quase 20 mil cargos para distribuir entre os deputados distritais interessados na aliança com o governador Arruda.

Estaca zero

Em greve política há dez dias, até agora, quase cem dias depois, a Policia Civil do DF ainda não desvendou o brutal assassinato do ex-ministro do TSE José Guilherme Villela, sua mulher e a empregada.

A virgindade de Creuza

Lula garantiu na esquisitíssima Conferência Nacional de Comunicação que para ele a liberdade de imprensa é “sagrada”, mas “sem excessos” etc. O velho conceito da meia gravidez ou da “democracia relativa”.

Calote permitido

Nos EUA, os bancos devolvem ao governo o socorro que receberam no auge da crise. No Brasil, bancos das montadoras de automóveis, que tomaram nossa grana, fingem-se de mortos. E nem são incomodados.

Falseta lusa

O jantar dos 97 anos da Câmara de Comércio Luso-Brasileira na Hípica (SP), por até R$ 600, segunda, garantia a presença de Lula e Dilma, mas os convidados jantaram com o ministro Luiz Barreto (Turismo) e o senador Aloizio Mercadante. Os comensais tiveram raiva irrevogável.

Fogaça governador

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) está otimista com a chapa do seu partido em 2010, no Rio Grande do Sul: o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça, vai disputar o governo; Germano Rigotto, o Senado.

Voo solo

O PV abandonou o governo Jaques Wagner (PT) por “coerência ideológica” com Marina Silva. O deputado Luiz Bassuma, expulso do PT por ser contrário ao aborto, é o candidato ao governo baiano.

Terceiro setor

O procurador José Eduardo Sabo Paes coordena o volume 3 do livro “Terceiro setor e tributação” (Fortium Editora), que será lançado às 19h desta quarta-feira (16) no restaurante Stella Grill, em Brasília.

O ‘cara’, não. O Chile

O Chile, onde o PIB cresce 5,5% ao ano, foi aceito na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), clube dos países desenvolvidos. O primeiro sulamericano, o segundo da América Latina.

Pensando bem…

… há malas que vêm para o DEM.

PODER SEM PUDOR
Irmão é segurança

Em viagem ao interior do Estado do Rio, sozinho e sem motorista, o deputado Ronaldo Cezar Coelho (PSDB-RJ) parou para oferecer carona a dois PMs uniformizados. Um de seus assessores, paranóico, alertou para a possibilidade de serem falsos policiais, talvez seqüestradores. Ele sorriu:

– Ninguém seqüestra deputado federal, ainda mais se ele é irmão de alguém famoso como o Arnaldo Cezar Coelho…

  •  

Deixe uma Resposta