• 08 jan 2010
  • Postado por Tiago

‘Se é ano eleitoral, paciência, não podemos parar a máquina’

Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, defendendo o reajuste de 9,67% do salário mínimo

Caça-fantasmas no governo do DF

O Ministério Público do DF investiga existência de funcionários- fantasmas na Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab). Um seria Adalberto Monteiro, presidente do Partido Republicano Progressista (PRP) na capital, que recebe R$ 14,4 mil pela CLT (FGTS, 13º, auxílio -alimentação, férias) e foi indicado pelo então presidente José Luiz Naves. A coluna tentou localizá-lo, sem sucesso.

Panetonegate

Adalberto Monteiro foi acusado por Durval Barbosa de ter recebido R$ 200 mil para que seu partido aderisse à coligação de Arruda.

Cidadão Honorário

Antes de ser denunciado, Adalberto Monteiro recebeu o título de Cidadão Honorário de Brasília, concedido pela Câmara Legislativa do DF.

Reincidência

A coluna informou, no dia 3, que o MPDFT também investiga o órgão por ter alugado 250 computadores, mas só há 128 funcionários.

Outro lado

A Codhab informa que Monteiro trabalha com cooperativas e que vai investigar a denúncia de supostos fantasmas. O órgão respondeu ao MP.

Um amor animal comove Brasília

Animal mais famoso do Zôo de Brasília, a sapeca “Capitu” traiu as duas filhas e deve mesmo estar grávida do genro, na “idade da loba”. A macaca apareceu no noticiário pela primeira vez há 11 anos, ao nadar para encontrar o amante, o finado Eliseu, em uma ilha próxima da sua. “Capitu” revolucionou a literatura animal. Virou tese de doutorado. Veterinários querem evitar uma ecografia, para não irritá-la.

Deu em samba

O enredo mais cotado até agora do tradicional bloco de carnaval “Nós que nos amamos tanto”, dos jornalistas de Brasília, fala do DEMsalão.

Mais manifestações

Organizadores do “Fora Arruda”, os estudantes da UnB e outros diretórios acadêmicos prometem uma segunda (11) “inesquecível”.

Arruda na cabeça

Os policiais civis também prometem barulho no DF, semana que vem, exigindo reestruturação da carreira. Organizam assembléia-geral.

Aprendiz de feiticeiro

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB) copia seu ídolo Lula em matéria de corpo presente nas tragédias. Só ontem (7), visitou Angra, uma semana após a chuvarada mortal na Costa Verde.

Fim de festa

A Prefeitura de Recife diz não ter conhecimento de problemas de atendimento na rede de saúde durante o réveillon. Afirma que o pagamento dos artistas está dentro da lei e no valor de mercado.

Você sabia?

O Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (IBEDEC) avisa que devemos guardar recibos de pagamento de restaurantes e hotéis por três anos para evitar futura cobrança indevida.

A vizinha erótica

Um cidadão registrou ocorrência policial no Paranoá, próximo a Brasília, contra uma vizinha que faz muito barulho durante o ato sexual, à noite. Ela responderá por contravenção de perturbação do sossego alheio.

Conduta ilibada

O Conselho Nacional de Justiça quer consultar a população sobre quais devem ser os critérios de promoção por merecimento dos magistrados no Brasil. O CNJ está de olho na conduta dos juízes.

A última que morre

O Planalto acredita que maio será o “mês da virada”, com a ministra Dilma subindo nas pesquisas, mas teme que o estilo turrão da candidata ajude o possível rival tucano José Serra – mais “simpático” e experiente.

‘Interesse público’

O presidente da OAB-RJ, Wadih Damous, está convicto de que o presidente Lula “vai se pautar pelo interesse público, e não para agradar os militares, ou ser simpático a A, B ou C”, em relação ao relatório da FAB defendendo a compra do caça sueco Gripen, da Saab.

Guloseimas palacianas

A Presidência vai “comer” R$64,7 mil em lanches variados, este ano, como 328 quilos de blanquete (sic) de peru por R$8,5 mil; 727 quilos de presunto cozido (R$11,6 mil) e 663 quilos de queijo prato por R$10,6 mil.

Forno sueco

“Estamos prontos para fazer o bolo juntos”, disse o diretor da Saab, do caça Gripen, ao Estadão. Resta saber quem vai quebrar os ovos…

PODER SEM PUDOR

Virgem pefelista

No final do primeiro ano do governo de Fernando Henrique Cardoso, muitos parlamentares de sua base aliada, sobretudo os pefelistas, reclamavam da falta de atendimentos dos seus pedidos. Um deles, Benedito de Lira (AL), numa reunião da bancada, expôs o seu descontentamento aos gritos:

– Continuo virgem em matéria de atendimento do governo. Virgem! Virgem!

– Mas louco para ser possuído! – exclamou Heráclito Fortes (PI) na bucha, arrancando gargalhadas gerais.

  •  

Deixe uma Resposta