• 18 maio 2009
  • Postado por Tiago

Mais de 150 mil estão presos indevidamente

Estão presos indevidamente 30% da população carcerária do Brasil, a maioria porque já cumpriu pena ou nem sequer foi sentenciado; dos 450 mil detidos no sistema penitenciário, 150 mil estão presos ilegalmente. A revelação foi feita a esta coluna pelo ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça. Ele lidera um grande esforço no País para pôr fim a irregularidades assim.

Mortes impunes

Ministros do STF estão impressionados com a informação de que, em Alagoas, mais de 500 homicídios nem sequer têm inquéritos instaurados.

Ritmo lento

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apurou que no Piauí, durante um ano inteiro, apenas nove acusados de homicídios foram a júri popular.

Tô nem aí

O CNJ investiga magistrados de vários estados que, apesar do acúmulo de serviço, dão aulas em faculdades durante o horário do expediente.

Frevo

O PR sonha com a dobradinha, em Pernambuco, do governador Eduardo Campos (PSB) e o deputado Inocêncio Oliveira como vice, em 2010.

Refugiados palestinos se encostam na Viúva

Há pouco mais de dezoito meses no Brasil, 117 refugiados palestinos continuam “encostados” no ombro amigo do governo federal. Eles recebem, desde que chegaram, um salário mínimo e acesso a todos os programas sociais do governo, como o Bolsa Família. Um residente palestino em Brasília tentou ajudar um grupo deles a se estabilizarem na Capital, mas foi ignorado. A vontade dos palestinos é deixar o Brasil.

Palestinos ‘brasileiros’

Quando foram acolhidos no Brasil como refugiados em 2007, o grupo de 117 palestinos recebeu identidades e passaportes brasileiros.

Mistério

O Comitê Nacional de Refugiados do Ministério da Justiça não revelou quanto gasta com os refugiados palestinos no Brasil.

Advogado em Brasília

O jurista Ives Grandra Martins lança o livro “Um advogado em Brasília”, que escreveu aos 25 anos, no Café do Pateo, em São Paulo, amanhã.

Ela não se importa?

Os petistas procuram explicações para o fato de a primeira-dama Marisa Letícia não demonstrar interesse pela situação de vítimas de tragédias, como a do Nordeste. Dizem que a opção dela é “ser dona-de-casa”. Se é assim, deveria devolver o gabinete e funcionários que usa no Planalto.

Tudo a ver

O Senado mandou um grupo de integrantes da Polícia Legislativa para um curso de treinamento de proteção a autoridades. Com as denúncias contra a Casa e a crescente irritação do eleitorado, nada mais oportuno.

O bicho pegou

O lobby do jogo do bicho emplacou na Câmara. O projeto para oficialização do jogo já tem aprovação da Comissão de Constituição e Justiça. Sob o argumento de que criará 300 mil empregos.

Estudos constitucionais

Um dos mais admirados juristas do País, Paulo Bonavides foi a grande atração do II Congresso Latino-Americano de Estudos Constitucionais, em Fortaleza, junto ao jurista português Paulo Ferreira da Cunha.

Pense Grande

Alex de Brito Bonifácio lançará na segunda-feira (25) seu livro “Pense Grande – Atitudes e valores de pessoas de alto desempenho” (ed. Autodidata). Às 19h30 no restaurante Carpe Diem do Píer 21, Brasília.

Poupança

De um leitor sobre a decisão de Lula de taxar a caderneta: “Poupança é como feijoada. Antes era comida de pobre, até o dia que o rico descobriu que a coisa era boa. A feijoada virou comida de rico e o pobre…”

É festa

O vice-governador do DF, Paulo Octavio, lidera a comissão que se reunirá no Rio de Janeiro, no dia 29, para definir a escola de samba que apresentará os “50 Anos de Brasília” como tema do seu enredo no Carnaval de 2010. O patrocínio está estimado em cerca de R$ 5 milhões.

Pensando bem…

…usando tantas passagens aéreas e brigando para manter parentes na Infraero, o PMDB não faz parte da base aliada, mas da base aérea.

PODER SEM PUDOR

Inconsciente coletivo

A história do sujeito que tentou invadir o Palácio Alvorada, dizendo que queria tratar da bursite do presidente Lula, faz lembrar outro estranho indivíduo que certa vez invadiu o Palácio do Planalto dirigindo um ônibus, para atropelar o presidente José Sarney, que naquela época nadava em impopularidade. Quando aconteceu o fato, o jornalista Ronan Soares, que adora uma piada, lembrou do célebre psicanalista Carl Gustav Jung para explicar o incidente:

– Trata-se de um coletivo inconsciente…

  •  

Deixe uma Resposta